Afinal, qual é o papel do poeta?

Jorge Linhaça

Há anos que venho lutando com esta questão e, confesso, não sei exatamente o que pensar ou como pensar.

Para mim o poeta, enquanto pessoa inserida em uma sociedade, tem sim a responsabilidade de atuar como um cronista e formador de opinião, não apenas para esta geração mas também para todas as gerações futuras que tiverem contato com sua obra.

Não consigo entender o poeta como aquele ser delirante, preso em seu idílico mundo próprio e alheio aos problemas da sociedade onde vive e convive. Não digo que não se possa falar de amor, que as poesias de dor ou solidão não tenham o seu valor, o que não consigo compreender é a falta de combatividade poética quanto a questões sociais, aos dramas do cotidiano, ao resgate da humanidade em cada pessoa.

Como podem os poetas não ver os moradores de rua? Como podem não ver o horror das guerras?

Como podem se calar sobre temas como aborto, pedofilia, estupro, criminalidade?

Como podem passar ao largo, dia após dia, de todos os desmandos de todos os governos e pseudo-autoridades?

Será que a maioria dos poetas é refém dos aplauso fáceis e efêmeros que se conseguem tratando de amenidades?

Será que a maioria dos poetas é refém de uma doutrinação dos tempos da ditadura, onde falar o que se via era sinônimo de correr risco de prisão ou morte?

Ou será que, apenas e tão somente, os poetas fogem para um mundo paralelo, de versos cor-de- rosa para tentar apagar de suas córneas a realidade triste, nua e crua do dia a a dia?

Não sei a resposta correta, nem mesmo sei se existe uma resposta correta, ou várias delas, apenas sei que gostaria de conhecer os pensamentos da maior quantidade possível de colegas das letras para tentar entender esse tal “ mundo da poesia” presente na mente de cada um.

Aguardo suas considerações.

Abraços fraternos

Jorge Linhaça

Exibições: 169

Responder esta

Respostas a este tópico

Boa tarde Poeta Jorge Linhaça!

Comecei a escrever poemas sociais, foram os primeiros, um tema criticado por muitos por verem no poeta seres que enfeitam as vidas. Com o tempo vi a luta de muitos poetas que lutavam pela liberdade de povos. Acredito que seja um dever humano e moral os poetas irem de encontro os desmandos do mundo, dar seus poemas como escudos aos povos, ser as vozes caladas pelo medo. 

Desejo-lhe sucesso e que alcance o maior número de pessoas, Deus o abençoe muito! 

Jorge Linhaça.

É interessante e bela a tua crônica.

Concordo com todas as tuas assertivas.

Penso que o poeta dos dias atuais também tem um papel social.

Lindolf Bell foi um poeta catarinense que defendia um movimento, junto a outros poetas,

de declamar os próprios poemas em lugares públicos. E assim ele fazia. Enquanto viveu

o movimento  continuou.

Abraços.

Boa tarde querido poeta Jorge! Um magnifico texto! De modo geral sinto que o poeta  não está apartado do mundo em que vive, de alguma forma a sua poesia expressa  sentimentos em relação á estas questões, talvez não as nominando ou até somente publicando  em locais específicos, é o que tenho visto dentro das plataformas Ning,

devido aos estatutos que regem as mesmas.... Grande beijo, MIL..

Posso dizer que o que mais me aproxima da poesia, é fugir de mim.

Visitar horizontes alheios, pois os meus eu já conheço!

Posso falar deles algumas vezes, mas gosto de dar voz aos que precisam

de uma voz a mais, como um apelo...

O mundo da poesia é extenso, encantador, cada um escreve de um jeito diferente,

mesmo que se esteja falando do mesmo assunto!

Boa tarde querido escritor Jorge Linhaça!

Poeta Jorge,

Em qualquer área de seguimento profissional devemos estar atentos aos problemas sociais. Não foge portanto o versejar.

O escrever sobre qualquer alerta, apelo, conscientização é dever, na minha opinião, de quem detém o saber.

Obrigada.

Poeta, gostei de sua explanação e a considero verdadeira. Os poetas precisam mesmo fazer um pouco mais de obras voltadas ao social. Plantar sementinhas reais que aos poucos irão germinar. Quem sabe assim consigamos mudar um pouco o mundo real.Abraços

Muito bom

O poeta que vive o seu tempo, corre o risco de ser queimado numa fogueira por causa de sua opinião, muitos pensadores da Idade Média viveram suas vidas até serem mortos no fogo, suas obras porém ficaram para nós, que é o que importa.

Escrevo versos poéticos com os mais variados temas,  tenho os meus gostos pessoais onde mais me detenho mas escrevo prosa, critica ,e o que acho devo intervir .. Tenho apanhado baldes de agua fria pelo pouco interesse que os leitores demonstram por esses temas talvez porque na verdade temas sociais ou escrever sobre politica economia como vai o mundo e sobre guerras é a vivência bem forte de todos nós neste mundo conturbado  talvez por isso uns versinhos bem molhados no mel lhes interesse mais.É dever de um escritor poeta letrista abordar tudo o que sente ser o que mais poderá marcar o que escreve .. Sim porque quando escrevemos estamos a fazê-lo para um largo publico e interessa saber ser ou um bom cronista ou um critico ou um poeta que embebe seus versinhos no mel da poesia.. . Sem dúvidas meu caro esses são os mais apetitosos ... E porquê? Todos sabemos porquê. Porque suscita mais curiosidade há um sentimentalismo romântico porque era mesmo daqueles versinhos que estavam a precisar e então são os mais preteridos.

O poeta é um sonhador dá largas aos seus sentimentos  pode escrever algo mais intimista  ou meia dúzia de versinhos minimalistas mas com sabor a doce ..... e o poeta até gosta de ser lido ,precisa de ser lido, para estimular as suas criações os seus dons.e, essa de mentiroso ,acho que também tem um bocadinho, não lhe chamemos mentira mas dá largas á sua imaginação e aos seus conhecimentos,  não só porque é um devorador de leituras mas porque terá grande conhecimento do mundo que o rodeia quer motivado pela sua profissão ,que lhe dá possibilidades de construir uma narrativa cujos personagens nada têm a ver consigo mas ele imbui-se nessa narrativa poética de tal modo que vivência....Eu separo bem o versar da poesia .. Poesia é aquela doçura aquele encanto com que embebemos nossas palavras mas um bom poeta sabe como embeber com  poesia descrições de teor mais sério os problemas sociais e outros..portanto versos e prosa  andam de mãos dadas com a poesia por isso nos chamam de poetas .Nosso papel no mundo da escrita é comunicação formação e informação  O poeta deve ser um bom construtor de mentalidades ou um destruidor porque ao comunicar forma e informa..dai ter que ser sensato e saber o que está a escrever  Há uma grande heterogeneidade de públicos os que têm bigode, os que franzem o nariz ,os que carregam o sobrolho há os que abanam a cabeça sim? ou não? Não sabemos ou os que lêem uma folha ou meia dúzia de versos e deixam cair o livro dai a nada ressonam..é disso que um bom escritor/ poeta se tem de acautelar .. A poesia falada /representada declamada chegou com o primeiro homem . tinha de comunicar com os outros então falava(sons)  gesticulava pulava  e desenhava  nas pedras  foi quando apareceu a escrita e estou convencida que foi assim que nasceu o amor   e deixaram de arrastar as mulheres pelos cabelos.. ,,,elas pelos desenhos entendiam tudo..........pois meu caro colega deste cantinho encantador de poetas pela paz já escrevi e até abusei  ,,, desculpe  e acho muito pertinente abordar todos os assuntos que tenham a ver com a saciedade e no geral com o mundo que vivemos .. mas só cá para nós eu adoro escrever sobre o amor,o gasto o desgastado e o que está nas primícias de um alvorecer Adorei o que escreveu que tenha muita sorte lhe desejo Um  abraço

RSS

Membros

Aniversários

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...