Os segredos do sexo tântrico

 

O sexo tântrico é uma filosofia de comportamento que permite atingir um êxtase de prazer infindável e muito mais intenso que um orgasmo comum. Isto é hiperorgasmo o que  não é um espasmo de alguns poucos segundos, mas um estado de êxtase iluminado. Mas é possível a qualquer pessoa alcançá-lo?

Não é preciso ser nenhum atleta sexual para atingir o hiperorgasmo. Mas algumas condições básicas são necessárias. Sensibilidade, sutileza, desinibição, concentração, capacidade de se esquecer do tempo e das obrigações são indispensáveis. Além disso, é preciso renunciar à pressa, às comidas gordurosas, às bebidas alcoólicas, ao fumo e, em especial, não focalizar no orgasmo como único foco importante do sexo.    É preciso um mínimo de três horas para cumprir com sucesso as diversas etapas e alcançar um estado tal de hiperestesia erógena (alta sensibilidade), que se transforme no tão desejado hiperorgasmo. É como ultrapassar o prazer físico até uma dimensão que supere exatamente os limites físicos. O hiperorgasmo não é um espasmo físico, mas sim o ponto mais alto do prazer, com uma duração bastante acima do comum. Quem já experimentou garante que dura horas, embora provavelmente seja mais certo falar de minutos. O estado de prazer é tal que pode incluir a perda de consciência.

Um maremoto de prazer

 

Os defensores do sexo tântrico descrevem assim o orgasmo comum: "os simples mortais imaginam que o máximo do prazer é alcançar um orgasmo comum. A verdade é que experimentaram apenas um espasmo nervoso acompanhado de um pequeno prazer durante um curtíssimo espaço de tempo". E eles mesmos definem o hiperorgasmo como "um maremoto de prazer indescritivelmente melhor do que um orgasmo comum, que mantém o êxtase por tempo ilimitado".

 

Quem já experimentou as carícias tântricas, o sexo tântrico e o hiperorgasmo, diz que essas práticas mudaram suas vidas. A vida fica mais alegre, a produtividade aumenta. Os praticantes também argumentam que se tornam mais sábios, porque alcançaram uma nova dimensão do ser humano. O hiperorgasmo depende exclusivamente da vontade de cada um, mas há algumas condições básicas que devem ser cumpridas para chegar a esse estado superior do prazer.

O importante é o caminho

 

A primeira condição é romper com a idéia ocidental contemporânea de praticar sexo. Essa é uma idéia primária e instintiva, com foco na reprodução.

 

A finalidade do sexo no Ocidente é chegar ao orgasmo. O sexo tântrico, ao contrário, tem como objetivo o prazer da prática em si mesma, sem objetivo final. Se a relação dura menos de uma hora, o tantrismo a considera ejaculação precoce.

 

Sem pressa

 

O carinho mútuo e a sensibilidade compartilhada são fundamentais nessa prática. A pressa está proibida e, nas várias horas que deve durar a relação, é preciso esquecer-se do mundo. É importante sentir-se leve, ágil e livre. Por isso, é preciso alimentar-se de maneira saudável, sem nenhum excesso, sem álcool, fumo, carnes vermelhas, gorduras ou doces. O ambiente precisa ser tranquilo, acolhedor, com música suave. Deve-se dar importância a todos os rituais.


A prática tântrica precisa ser compartilhada pelo casal. Deve ser uma oferenda vital, a ser realizada com os olhos e o coração bem abertos. As várias horas de atividade devem ser alternadas com períodos de descanso, para relaxar os sentidos e alcançar mais prazer. O tantrismo crê que a ejaculação é um desperdício de energia vital, por isso ensina o homem a controlá-la e adiá-la. Calma, paciência, doçura, olhos nos olhos, sem pressa... condições básicas para passar das carícias tântricas ao sexo tântrico e deste ao hiperorgasmo, o auge do prazer sexual.

Manual do sexo tântrico

 

Nada de ejaculação precoce nem pressa: o sexo tântrico busca o prazer máximo e duradouro com os cinco sentidos. Se você quer experimentar o chamado hiperorgasmo... tome nota!

Carícias

Uma relação sexual comum dura por volta de 15 minutos. O sexo tântrico deve durar ao menos duas horas. Caso dure menos de uma hora, é considerado ejaculação precoce. O sexo tântrico tem uma duração mínima, mas não uma máxima: quanto mais tempo durar, mais prazer proporcionará. O tantra encoraja o homem a fazer com que sua companheira se sinta divina.


Sem dúvida, os norte-americanos não praticam o sexo tântrico: 70% deles ejaculam apenas dois minutos depois da penetração. O sexo tântrico tem como proposta exatamente o contrário: evitar a penetração rápida e brusca, para que a ejaculação não seja o único motivo da relação sexual. O sexo tântrico leva em conta que nossa pele possui cerca de 600 mil pontos de sensibilidade. A ejaculação é considerada um desperdício de energia vital e por isso deve-se aprender a adiá-la.

Começando

Faz parte do ritual tântrico iniciar o sexo com uma contemplação e adoração mútuas, com palavras doces e carícias, fazendo amor com os olhos bem abertos, sem dispersão ou agressividade, sem pressa e com sentimento. Depois das carícias tântricas, o passo a seguir é o sexo tântrico, cujo objetivo principal é prolongar a excitação sexual do casal.

O pênis do homem deve penetrar a vagina de sua companheira, mas apenas cerca de dois centímetros e meio. O homem mantém o pênis dentro um minuto, depois o retira e o descansa sobre o prepúcio do clitóris da companheira antes de voltar a penetrar.

Esse jogo deve ser mantido por cerca de vinte minutos, quando se iniciam as dez posições básicas do sexo tântrico. Essas devem ser executadas seguidamente ao longo de duas horas. Devem ser alternadas por descansos e pausas para que o casal descanse, a ereção se distensione e os corpos reponham forças bebendo ou comendo algo leve.

As posições
Depois da introdução, o sexo tântrico começa com o casal sentado, os dois levemente inclinados para trás e se apoiando o peso nos braços. A penetração é lenta e os movimentos pélvicos circulares.


A seguir acontece a penetração profunda. A mulher deve abrir bastante as pernas, quase em forma de V. Compensando o esforço físico anterior, o sexo segue com o casal sentado, cara a cara, os corpos erguidos e as pernas entrelaçadas. É uma postura para abraçar-se, acariciar-se e deixar que circulem os sentimentos.

A postura clássica do missionário é a quarta etapa. O homem deve procurar a todo momento retardar e refrear sua ejaculação, porque a quinta etapa o levará a uma postura mais cômoda: com o homem deitado, a mulher se senta agachada sobre ele em plenitude completa, ambos unidos pelas mãos, fazendo movimentos pélvicos circulares.

Um momento de descanso

A sexta posição é uma variação da anterior: o homem coloca algum apoio (almofadas) sob as costas, nos quais pode apoiar-se. Assim, a mulher pode mostrar-lhe seu corpo e oferecer-lhe seus seios para que ele os beije.

O sétimo passo obriga ambos a se olharem nos olhos e a deter a marcha da relação. É um passo difícil, mas é obrigatório para conservar a energia até o final. Para isso, uma postura clássica com o homem recostado sobre ela é o ideal.

Depois do instante de relaxamento, a oitava etapa coloca o homem em cima, por trás da mulher, ambos estirados, com penetrações profundas.

O nono momento é o das tesouras. É uma postura atípica, na qual ela recebe quase de costas, passando uma perna sobre a cintura do parceiro, que a penetra profundamente, entrelaçando os corpos. É o prelúdio da última postura: ele está semi-incorporado e ela se senta sobre ele, dando-lhe as costas e deixando-se penetrar suavemente enquanto ele lhe acaricia os seios e beija o pescoço.

Todas as etapas do sexo tântrico foram cumpridas e a excitação dos amantes é absoluta. Este é o momento de viver algo difícil de narrar: o hiperorgasmo.

Exibições: 181

Responder esta

Respostas a este tópico

É fazer amor com poesia, onde as duas almas

escrevem uma só assinatura.

Belíssimo Amada Mestra,é disso que a humanidade

urge e não percebe.

Bisous  meus em ti com carinho

Tuas linhas dizem a verdade.

O ato sexual num casal não deve apenas focar na ejaculação. Nesse caso se abreviaria por demais o prazer de ambos.

Tem que haver aquela sincronia de carícias e descobertas para que excite mais a relação. Dessa forma não somente se aproveitará tão poucos segundos de gozo. Mas sim, cada instante será repleto em êxtase.

O sexo Tântrico vai mais além ainda. Com dietas, tempo minimo de duração e sem pressa. Os ocidentais levam isso muito a sério mesmo! Talvez se os orientais também o levassem. A relação sexual não estaria tão banalizada como se encontra.

Interessante pesquisa. Aguçou minha curiosidade.

Bjsssssss

Num mundo em que o sexo tornou-se um objetivo rápido e descompromissado, parece difícil essa busca especial de prazer 'a dois' ...

Não poderia dizer melhor que a nossa querida Loubah :  'fazer amor com poesia, onde duas almas escrevem uma só assinatura" ...

Bjs !

Wau

D. Sílvia, uma pesquisa pra lá de relevante, se considerarmos que o quotidiano contemporâneo de solidão, carências, e de tanto desamor que, infelizmente, vivenciamos, transforma este belo texto numa quase ficção, inalcançável para simples mortais urbanos (vide os norte-americanos).  Agora, uma coisa importante que vi é que, além da  valorização do prazer sexual em si, o prazer feminino feminino é (e deve ser sempre), valorizado, por todas as razões óbvias. 

Abraços, Sílvia.

Quedé con mucha admiración por tu artículo perfectamente descriptivo en lo que se refiere al sexo tántrico, que es en realidad a los famoso rituales a los que me refiero muchas veces en mis poemas. Tanto como el Sumiyá que tambien tiene todo un ritual o el Sexo Tántrico son las formas mas bellas de practicar la sexualidad en el amor. Lamentablemente poco se habla de esto y es una pena porque realmente lograr esta experiencia creo que es lo mas sublime que se pueda vivir con una pareja. El varón poco sabe de esto, aplica lamentablemente su cultura machista inconscientemente de penetración casi violenta eyaculando en forma intempestiva. Tal vez comprendas ahora porque mis poemas están llenos de rituales antes de llegar a la concreción sexual. Debo confesarte que aquí en Argentina es bastante complicado encontrar una pareja que esté al tanto de lo expuesto. Realmente es una pena que no tenga difusión este tipo de relación maravillosa porque se pierde el elixir de la vida y del amor, en una dimensión que resulta difícil poderla explicar en palabras, aunque leerte me pareció espectacular tu descripción sobre el tema, es maravillosa y sumamente clarificadora.

Creo que hay que saber diferenciar entre fornicar que dura escasos minutos y concretar el amor en la sexualidad sublime. 

Bellísimo Silvia

María Cristina

MAGNÍFICO, GRATA QUERIDA SILVIA, BJS MIL.

Que belo ensaio literário!Costumo dizer que a erótica é a mística da carne...O sexo pleno seria uma "recosmisficação do "andros" e Gynos" numa síntese do fenõmeno humano.O homem astral realiza esta fusão cósmica.

Parabéns Silvia pelo trabalho.abraço poetico

Uma explicação excelente, Silvia.

Pergunto-me pq. as diversas culturas e civilizações, na maioria das pessoas, não praticam este sexo pleno. Muitos  nascem e morrem sem saber nada disto.

Imagino que a cultura judaico-cristã reprimiu tudo isto. Ao homem, tudo era permitido. 'A mulher, nada era permitido além de procriar. E isto vem de muitos séculos.

Penso que deveria haver um curso para homens e para mulheres, para descobrir este prazer.

Beijosss.

Sair da banalidade que tornou essa bela relação

entre pessoas que se amam ...

Não tocar só no corpo mas também na alma,

na mente, no controle,e mergulhar um no outro ...

Tudo isso requer muito treino, paciência,e amor

Silvia,ótima abordagem...Te abraço

Lindo. Amor é doar . ´É partilhar o melhor que tenos  procurando levar ao outro toda doçura contida em nóse para nós. 

 Obrigada pela partilha

RSS

Membros

Aniversários

Aniversários de Hoje

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...