Na rota do soneto 

Amor sacrossanto

De Té

Minha sede de amor , em ti deponho, seja este o momento

Afável serei ,espero com anseio o teu aprazimento

Transcendo a dor, se por mal, me envies tormento

Visto-me de negro, será o negrume do meu sofrimento.

Poeta louca ? Não! Apenas louca de amor em sacrossanto

Incomensurável seja este momento de suspiroso sentimento

Por quem oro ,canto ,minha tristeza, seara ondulante de lamento

,Suspiros repercutirão, e se escutarão, no alto firmamento

Vigia amor, teus enganosos segredos, junta a eles teu argumento

Esvazia teus vis enredos, eles fluem dentro de ti gloriosos

Exauro meus mares,meus rios, minhas razões, alto grau de lamento

Tua luz bruxula de indignidade , no cofre aberto do teu sentimento

Cada palavra tua me fere, lamina cortante, em brados dolorosos

Não te invejo a sina, que futura intrigas,sofrimento, aluimento-.

De Té Etelvina Acosta ou Etelvina da Costa

13-03-2017

Exibições: 26

Respostas a este tópico

Muito obrigada Maria Cristina Um prazer ter a sua companhia na minha escrita Um lindo cestinho de belas flores que me encantaram Um beijo

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...