Um soneto singelo

Dá-me a tua mão

De Té

Dá-me a tua mão, vem não tenhas medo!

Eu estou aqui ,e ninguém sabe nosso segredo!

Que de tão longe, esperas sempre por mim!

Vem que te aqueço, e te arranco do degredo!

Dessa vida sem apreço, dor que te rasga o coração!

Vem .. esperarei sempre por ti , aqui tens o teu lugar !

No barco da aventura, que nos espera com emoção !

Ambos seguramos os remos, e nos fazemos ao mar!

Vem ,, Não olhes para trás só encontrarás dor!

Eu serro .essas correntes , que te estão a magoar!

Liberdade encontrarás , muito carinho e amor!

Aqui encontrarás abrigo, e o descanso merecido!

Uma mesa acolhedora, um leito cómodo para repousar!

Onde reina a simplicidade e o calor humano que te é oferecido!

De Té Etelvina Acosta

Fevereiro de 2017

Exibições: 20

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...