DESPEDIDA

E foram tantas asas da saudade,
Qual pássaros voando a fugir,
As dores só na alma a sentir,
A falta dos carinhos de verdade.

A alma se fendeu, só a metade,
Ficou ao ver seus passos a partir,
Na curva do caminho a sumir,
Tentou gritar, mas muda, era tarde.

As flores que murcharam sem piedade,
Quedaram ante a fria solidão,
Mostrando àquela alma lealdade.

A vida passa, triste novidade,
Tocando a mesma corda, sem canção.
Uma viola sem sonoridade.

Estrela Radiante

"imagem do Google
31/01/2013

Exibições: 137

Respostas a este tópico

Beleza de soneto querida poetamiga...

Realmente uma bela inspiração..

Beijos aplauditivos,Marcial

Belo, belo, belo!!!

Decassílabo perfeito.

Parabéns!

Beijossssssssss

Obrigada, querida

Obrigada,querida Sílvia, pelo destaque carinhoso. Abraços

Parabéns, Regina!

Mais um lindo soneto, poetisa.

Muito belas metáforas, muito lirismo!

Beijosssss

Obrigada, querida Arlete, pelo carinho na visita. Abraços carinhosos.

Querida Safira, anjo de luz que ilumina nossa vida. Benditas sejam suas mãos criativas. Abraços carinhosos.

Regina, eita esta saudade que apronta, que mexe, que doi!!! Bonito poema, querida! Gostei mesmo! Bjinhos de eri

Obrigada,querida Eri, pela visita carinhosa. Abraços carinhosos.

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...