Solidão

De Té

Sozinha poderia estar, se desse ensejo

de silêncio ,cintilasse toda a emoção

Que me faria serenar esse desejo

Que transborda de mim ,em agitação.

Pode a noite tornar-se multidão.

Plebe gentia em devaneios alucinados.

Meu silêncio se perfilha à solidão

E nesse emudecer calo os desatinados

Não quero teu lenço de seda fria.

Que me ofereces para me aveludar.

Pois é em ti que vive a minha alegria.

Pode o céu beijar os teus caminhos

De longe vigiarei ,para te resguardar

Pois é em ti, que vivem os meus carinhos

De Té Etelvina Costa

02-03-2017

Exibições: 15

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...