">                                 Sonhar enquanto há sol e luar

De Té

Já não sou aquela que corria de cabelos ao vento!

Com a alegria estampada no rosto enrubescida
Já não sou a mesma cheia de graça.! Não é lamento
Mas minha graça vem do que agora vivo com medida


Não quero que essa graça se perca no meu pensamento.
Tempos em que as paixões eram voláteis desfaziam-se no ar.
Meus olhos cor de mel brilhavam a todo o momento.
E atingia pináculos de outros mundos onde queria ficar.


Hoje minha graça ainda existe nos sonhos que preservei.
E meus mundos são reais pintados da magia que retenho..
Minha puerilidade vive dentro do meu peito ,os conservei .


Meu tempo tem outros voos contidos no remanso apaziguado.
Minha alegria já experimentou dor com muitas lágrimas vertidas.
O amor tem a cor da entrega voluptuosidade em que me refaço...

De Té Etelvina Costa
Fevereiro de 2017

Exibições: 6

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...