Talvez

De Té

Talvez que o destino chegue ainda hoje, e bata à minha porta.
Mil anos trilhando atalhos, que se cruzaram continuamente..
 Procurando minha estrela perdida no firmamento ,morada ignota.
Talvez que o caminho certo , seja o que ainda seguro firmemente.

Continuo ligada no indivisível fio, que deu a minha vida a firmeza.
Caminhar entre momentos de paixão, outros que tanto me magoavam .
Decisões e indecisões, palavras gastas e outras, ditas por ligeireza .
Anseios fracassavam injustiçados ,meu ser tristemente se rebelava.

Noites esgotadas ,pensamentos que me deixavam sofrimentos..
Continuadamente, olhava para as noites estreladas buscando sinal.
Estrela, que ofuscada ,se não mostrava ,,por tamanhos impedimentos.

Madrugada alta, uma clarão ofuscante entrava quarto adentro.
 , Meu coração,batia acelerado, Ali estava minha estrela tão procurada .
, Sinal que eu esperava,e uma lágrima quente sofrida selou o momento.

De Té Etelvina Acosta
Fevereiro 20-02 ás 11:H

Exibições: 16

Membros

Aniversários

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Autores em destaque - hoje 

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...