Anoitecer

Lembra-me escuridão. Anoite escuridão. De São João da cruz

Mói-te sem estrelas sem o clarão da luz, sem o reflexo da lua, apenas o escuro.

 Solidão infinita onde a alma se cala. Quando perguntamos e ficamos sem respostas, sem crença. Derrelição da alma e ser.

Qual a direção a seguir?

Deserto sedento sem nenhuma sombra, sem. Lugar para descansar. Nenhum oásis. Geme o corpo em busca da água. Sem lagrimas.

Povo que caminha neste deserto juto sem se verem. Invisíveis.

 Desacreditados, governados pela ganância e a desonestidade. Cada um apenas vê seu próprio umbigo. Fome, violências apenas o ódio das massas crescendo.

 Homens olhem para o infinito que as estrelas estão lá. E CISTE A LUZ. Poderemos v elas se olharmos para cima e vermos o brilho prateado iluminando a vida Paz e união será o sol do amanhecer.

  Nós que escolhemos entre a dor ou o amor

 

Dione Fonseca

Exibições: 46

Respostas a este tópico

Amei sua presença poeta amiga. Que a nova semana que se inicia amanhã seja de paz e alegrias

Bom domingo

Excelente, felicitacionesssssssssssssss

Obrigada poeta Elias pela presença e comentário Boa semana e bom Domingo 

Dione Fonseca de Barros

Parabéns querida Dione, pela grande beleza de tuas palavras, adorei, bjs MIL.

Maravilhoso. Amei Muito obrigada. Bijus querida Iraci. 

 Feliz semana

Muito bom, Dione.

Muito obrigada por ler e comentar. nossa alegria é ver nossos escritos  sem dos lidos e comentados pelos amigos

poetas e todos. grande abraço  e boa semana

Obrigada poeta margarida maria pela presença e comentário .Muita paz e alegrias sempre

Njus

Parabéns! Maravilhoso!. Beijo.

Obrigada por ler e comentar. Agradeço e desejando uma linda semana.Sempre bem vinda

Abraços

Grata querida Dione, por me propiciar ocasião de deleitar-me em tão nobres letras...

É bem assim...

beijos

RSS

Membros

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...