Poema ao anoitecer

 

 Cai a noite lenta e suave e refrescante

Véus nefros cobrem a terra mudando o tom colorido

Tece no céu maravilhosa teia ligando os astros

Estrelas reluzem no universo pelo mapa traçado

 

Amulhera de Negro surge apaixonante

Deusa da lua branca mostra sua solidão

Luar que clareia sombras no chão que se fundem

Amantes, desejos e encontros libidinosos.

 

Lua que desperta sonhadores encantados

Canta o menestrel como o rouxinol a amada

Versos composto pelos poetas hipnotizados

Pela magia gerada nos seres de corações flechados

 

O cupido empunha sua flecha impiedosa e sorri

Gera se a química da vida entre os seres desatentos

A estranha loucura seduz o casal que nela se consomem

Adormece a terra com casais entrelaçados pela teia infinita

 

Dione Fonseca

Exibições: 79

Respostas a este tópico

Constelações que reluzem o espectro de múltiplos sons...

Quicá delírios alucinantes , quicá o destino dos percursores, aflitos ou regeneradores....

Solidão acompanhada de perto, marca sintônica registrada..

Andar à esmo? Talvez, quimera que não convence...

Beijos Dione

Belíssimo estar a sós, com as costumeiras companhias...

beijos

Amei sua presença querida amiga poeta.

Obrigada pelo comentário

Beijos

.

 Dione Fonseca de Barros

Versos que encantam, adorei,

parabéns querida Dione, bjs MIL.

Boa noite querida Mestra Iraci . Agradeço pelo carinho de sempre. Muita paz e saúde sempre

Bjus

"Gera se a química da vida entre os seres desatentos..." - Muito bonito Dione.

Que lindos trabalhos que enfeitam minha pagina

Obrigada Bjus e boa semana 

Maravilhoso! Parabéns! Beijo.

obrigada querida amiga poeta 

Bjus

Obrigada amigo poeta sempre presente

 Boa semana e uma terça de paz e alegrias

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...