Comunhão de almas identificadas

Sem necessidade de aval ou fiança.

O olhar garante de imediato

A sintonia vibrante que os une.

 

Sem imaginar o mal ou ardil

Entregam-se, amam-se, intensamente.

Amor de romance, laços indestrutíveis

Cegos de paixão e ardor dantescos.

 

Entrega imediata apadrinhada pelos astros

Consumada no fogo ardente do sentimento

Inominado e indestrutível pelo homem

Pois transcende ao físico, identificação sobrenatural.

 

Pobres amantes crédulos e enganados

Acreditaram-se acima de toda maldade

Só queriam o amor eterno almejado, vivido

Consumado, irrenunciável, infinito.

 

Inveja cega e desmedida capaz de horrores

Eternizou o ódio em ato amaldiçoado

Para quem o pratica sob os auspícios demoníacos.

 

Para todo sempre permaneceram amando-se

A eternidade os elevou ao céu celestial

Onde prevalecerá a união espiritual e o amor.

 

 

Isabel C S Vargas

Pelotas/RS/Brasil

Exibições: 118

Respostas a este tópico

Tentei ser fiel à obra literária. Abraço

Isabel

Eloquente inspiração!

Belo poema.

Parabéns!

Beijossssssssssss

obrigado , Sílvia. 

RSS

Membros

Aniversários

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço