FOTO DE PINDAMONHANGABA

A Noite

 

A noite de todos os dias.

Antes do sono de cama, sento-me à cadeira de praia, diante deste verde rural.

Cadeira e Praia fora do contexto, é útil na varanda do andar de cima, minha cachaça, visões do além...no horizonte...

De lá ouço o silencio, vejo as cruzes das cercanias, cercas enfim,

 ... as quais meu corpo está aprisionado. Que dirá meu coração?

 

O ar fresquinho dá banho na alma e sensação de alívio.

As lâmpadas dos postes iluminam ruas vazias, ralas as luzes, casas no escuro, os vizinhos dormem na escuridão dos seus costumes, dormem cedo, logo após o por do sol,  paisagens noturnas Belas Estranhas pressinto veladas nestas paragens, meu bairro brincadeira de esconde-esconde.

 

Ao longe se vê e vê-se a torre de telefonia acesa, sem aviões, é lá o centro desta pequena cidade do interior a quem chamo de :OH! Vila Rural”

 

Nada de comércio funciona, nem bar, nem farmácia de plantão, táxi é ET, nem casa de mulheres, que não aprecio, mas desperta interesses e curiosidades.

 

Na solidão da noite e no claro luar, cidade fantasma. “ Vila Rural”

A imaginação voa parada com os pássaros em seus ninhos calados. As flores encolhidas a espera do alvorecer.

 

Tenho o desejo de mudar temporariamente para outra cidade interiorana. Imagino, viajo a cidadezinha não muito distante daqui, “  Vila Esperança.”

Em meu sentar busco um endereço. Sei que lá tem uma farmácia de plantão que pode ofertar o analgésico do amor. A dipirona da minha dona paixão.

 

Não me importa não achar lugares incomuns, sei que em algum endereço um alguém me espera.

 

Não estou longe desta cidade e ao mesmo tempo as próprias pedras de caminho me levariam a cidadezinha Vila Esperança, a girar em outras pastagens bucólicas.

 

Gostaria de pegar a calda do cometa que acabou de passar e nela viajar até  Vila Esperança.

 

O frescor deste ar guardaria meu suor de transpiração para mais tarde, nova manhã porvir.

Diria meu corpo ao coração...

Pulse mais forte e valente...

Estás vivo...Oxente...Oxóssi..

 

ADomingos

17\02\2012

 

Exibições: 85

Respostas a este tópico

Conheço Pinda, e realmente é uma linda cidade...

Parabenizo-o duplamente, pela imagem e pelo conto, lindamente escrito...

Abraços fraternopoeticos,

Marcial

Que bonita cidade, Como deve ser bom sentar se e olhar do alto . Privilegio. .

 As vezes temos de pensar no que temos. A vila Esperança deve estar perto

 

Agradável de ser lido e o desfrute das horas consigo mesmo.

A vida calma é como um tônico revigorante.

Teu texto mostra as delícias que uma vid calam propicia.

Parabéns!

beijos

Caro contista, conseguiste um conto bonito. Meu abraço poético-encatado.

RSS

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço