A preguiça, dizem é má conselheira, vamos ver se realmente tem um fundo de verdade,
pois por vezes pode ser interessante dar aquela espreguiçada a mais...

UMA VIDINHA FELIZ
Marcial Salaverry

Existem aqueles dias em que o sol está um pouco preguiçoso e não quer trabalhar, então fica escondido atrás de umas quantas nuvens, e não nos contempla com seu calor e com seu brilho.
Quando isso acontece, sempre vem aquela vontade de acompanhar o sol em sua greve, e não sair da cama.
Assim pensava Cipriano, quando acordou, e escutou o barulho da chuva caindo, tirando sua pouca disposição para o trabalho naquele dia. Não bastava estar com dor de cabeça, e ainda mais a chuva?
Decidiu fazer daquele, seu dia da preguiça. Contudo, o toque do telefone fê-lo levantar-se. Lamentou não ter comprado a secretária eletrônica. E para aborrece-lo mais ainda, era engano.
Resolveu que já havia se levantado, e assim, cumpriria suas obrigações. Fazer o que se ainda tinha contas a pagar e o bendito do bilhete premiado nunca o escolhia como beneficiário.
Estava de mau humor, porque sua esposa havia viajado junto com os filhos em férias, e ele não encontrava disposição para acompanhar seus amigos “cigarras”. Amava sua família, e não achava justo cair na farra só porque estavam ausentes. Ainda mais que o dinheiro não estava sobrando.
Assim, sacudiu a preguiça e foi para o trabalho, já começando a sentir-se realizado pelo fato de ter um emprego que lhe garantia a subsistência, e permitia sustentar sua família. Se não com luxos, mas provindo-a do necessário. E já que saira resolveu dar aquela paradinha para comprar o indefectível bilhete. Um dia teria que ser contemplado pela sorte.
Sempre se considerara feliz por ter esse emprego. Gostava daquilo que fazia, e sempre se empenhou a fundo. Intimamente recriminou-se por ter pensado em não trabalhar naquele dia chuvoso. Ali pelas tantas, seu chefe o chamou, dizendo ter algo importante para dizer-lhe. Existia uma possibilidade de promoção, e a vaga estava entre ele, Cipriano, e Waldemar.
Como Waldemar havia faltado naquele dia, e nada justificara, a balança estava pendendo para ele, pois a decisão precisava ser tomada naquele dia mesmo. “Seu” Mário pediu sua opinião.
Agindo honestamente, Cipriano disse que seria melhor esperar Waldemar estar presente, pois assim as chances seriam iguais, e que ele, Cipriano aceitaria de bom grado o que a chefia decidisse, e que continuaria trabalhando com o empenho de sempre.
Por sua atitude correta, recebeu a promoção, pois a atitude de seu colega fora totalmente oposta quando consultado, pois deixou claro que não se sentiria feliz se preterido, e deixaria o emprego. E deixou mesmo.
Assim, o dia que tão mal começara, acabou sendo um dia super feliz em sua vida. Ainda mais quando Waldemar falou com ele, dizendo ter sido o autor do telefonema. Estava tão irritado que telefonou apenas para brigar com ele, chamando-o de puxa saco dos chefes. Coisas do destino.
Sua promoção foi salva por um desafeto. E porque resolveu sair naquele dia.
Ia me esquecendo... Seu bilhete também foi premiado...
Isso sim, é UM LINDO DIA...

Exibições: 39

Respostas a este tópico

Um dia mais que perfeito!

Cipriano foi abençoado com um dia de sorte. Dias que são tão raros assim, quando se alcança, tudo se pode tentar que tudo se consegue.

Adorei a criatividade, meu querido poeta.

Deu-me até mais ânimo de começar o dia.

Quem sabe, como Cipriano, eu também consiga um dia de sorte como o dele.

Parabéns, meu querido.

Bjssss 

Na verdade, dias como esse, também dependem de sabermos aproveitar nosso livre arbítrio, e claro, contarmos com uma ajudinha Dele para nos colocar no rumo certo...

Beijos carinhosamente poetoagradecimentais,

Marcial

RSS

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço