Bem, primeiro vamos entender o que é corrupção.

A palavra corrupção vem do latim corruptus, que significa quebrado em pedaços. Na república romana, ela se referia à corrupção de costumes. No mundo contemporâneo, sua prática pode ser definida como utilização do poder, cargo público ou autoridade – também chamada de tráfico de influência -- para obter vantagens e fazer uso do dinheiro público ilegalmente em benefício próprio ou de pessoas próximas. A corrupção é fenômeno inerente a qualquer forma de governo, seja democrático ou despótico, em países ricos ou em desenvolvimento. Suborno, propina, carteirada, “rouba, mas faz”. Casos como Mensalão e Operação Lava Jato estampando manchetes de jornal. Quem já não escutou alguém dizer que no Brasil a corrupção é algo natural?

Agora pergunto:

Alguém já parou para pensar em quantas pessoas morrem todos os dias nas filas dos hospitais? Já perguntou, onde está a merenda das nossas crianças? Por que não constroem mais creches para que a mães possam trabalhar para ajudar no sustento da família? Já imaginou o aposentado que ganha um salário mínimo tendo que custear sua despesa e comprar remédios que nunca tem nos postos de saúde? Imagine quanta criança torna-se um adulto deficiente por falta de tratamento adequado por não ter plano de saúde? Por um momento, ponha-se no lugar de uma família de 10 pessoas que ganha um "vergonhoso" salário mínimo e pense: para onde vão as crianças? Para os sinaleiros, prostituição, aliciados pelo tráfico ou de arma em punho assaltando, matando e morrendo. Tudo isso é culpa da corrupção dos dirigentes que desviam verbas na saúde e por incrível que pareça... na merenda escolar.

Um país sem educação é mais fácil de conduzir no cabresto.

Anos atrás, tínhamos no currículo escolar a disciplina de “Educação Moral e Cívica”. A disciplina tinha muitas finalidades, dentre elas o fortalecimento da unidade nacional e do sentimento de solidariedade humana, o aprimoramento do caráter, com apoio na moral, na dedicação à família e à comunidade e o preparo do cidadão para o exercício das atividades cívicas com fundamento na moral, no patriotismo e na ação construtiva, visando o bem comum. Mas, os anos passaram e a disciplina foi extinta de maneira equivocada do currículo escolar.

O que faz a Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia serem países menos corruptos? Todos têm uma coisa em comum: investem alto em educação. São países que têm um forte Estado de Direito, apoio à sociedade civil e regras claras de conduta para as pessoas que ocupam cargos públicos.

A corrupção política

Entre as práticas de corrupção mais comuns na política estão o nepotismo (quando o governante elege algum parente para ocupar um cargo público), clientelismo (compra de votos), peculato (desvio de dinheiro ou bens públicos para uso próprio), caixa dois (acúmulo de recursos financeiros não contabilizados), tráfico de influência, uso de "laranjas" (empresas ou pessoas que servem de fachada para negócios e atividades ilegais), fraudes em obras e licitações, venda de sentenças, improbidade administrativa e enriquecimento ilícito.

Para muitos, a corrupção é um fator moral e cultural. Como descreveu o antropólogo Sérgio Buarque Holanda no livro Raízes do Brasil (1936), o brasileiro (segundo ele, um indivíduo cordial, que pensa com a emoção)

Suborno, propina, carteirada, “rouba, mas faz” . O problema é que denunciamos mais do que punimos os envolvidos em escândalos de corrupção e vai continuar assim enquanto não houver mudança em nossas leis ultrapassadas principalmente acabando com a "Imunidade parlamentar"...

Marcia Portella

Pesquisa de dados do Google

Exibições: 92

Respostas a este tópico

Depois do teu texto, que é magistral, só resta ao povo dedicar-se, fazer  campanhas em prol de mudanças das  leis!

Parabéns querida Márcia, bjs MIL.

Mil,acho que de tanto ver política rolando acabamos escrevendo algo à respeito que no final, é uma repetição de tudo que acontece há anos...Te abraço

Querida Marcia Portella,

O texto aqui apresentado expõe os inúmeros busílis da corrupção.

São perguntas, sempre perguntas que morrem sem respostas... para renascer em outro contexto.

Como dizes, no comentário à Maria Iraci, as questões repetem-se, incontrolavelmente.

Ainda que lamentável a situação, parabenizo-te pelo desenvolvimento escorreito texto.

Beijossssssssss

Texto com profunda e real inspiração... Excelente!!!

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...