Esta é a foto mais antiga que possuo. Aqui tinha 13 anos. Então, a fotografia era um "luxo", que as dificuldades económicas dos meus pais não permitiam.

Quanto à imagem/poema, de facto nasci em Novembro e, na casa onde nasci (nasci em casa) corria um "rio" no meio da sala, pois a água infiltrava-se e a verdade era (foi) essa.

Exibições: 90

Respostas a este tópico

Adorei a foto do jovenzinho Paulo César! Lindo, com a dignidade estampada nos olhos! Quanto ao teor do poema, estremece-me o coração, que emocionado admira a força do Amor em tua vida.

Parabéns, querido amigo!!!

Beijossssssss

INTENSO POEMA, COMO , GERALMENTE, O POETA ESCREVE. PARABÉNS.

A Intensidade do teu poema permitiu ainda assim

saber que NOVEMBRO deixou fluir em ti o MENINO,

que chapinhou e jogou a bola,

e foi com o avô descobrir que lavrar com o arado e os bois,

trazia ao decima a semente germinada! (in Memorias Prosaicas!)

NOVEMBRO é, pela Lusitânia terra, tempo de sementeira!!

grande SEMENTE foi regada pelo "rio da sala": TU PC!!!

Beijos de poesiaaaa!!

PARABENS PELO TEU PRÉMIO!!

Chantal Fournet

falei acima das memorias Prosaicas e não especifiquei!!

Aqui deixo o momento: http://peapaz.ning.com/group/memorias-prosaicas/forum/topics/menino...

beijos

Chantal

Encantador!Como todas as suas belíssimas obras!
Compartilhar afetos embutidos em histórias verdadeiras, de quem vive em "carne e osso", é uma linda maneira de se expressar no Grupo de Poetas do Amor e da Paz.
Parabéns!

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...