Mauro Martins Santos - Moji Guaçu - SP

  

PINGOS E CORCÉIS

[ Divisão Regionalismo Minuano]

Rio Grande do Sul 

 

A Esperança triunfará dando um amanhã melhor que hoje,

Como um pajador gaudério do Bem, tecendo a teia da vida:

Virá montada a selote num zaino, A Prenda a Camperear.

[m m s]

 

____________________

______________

Às vezes o trilhar é doloroso ao volveres ao rincão,

O caminho de volta podes a ti nunca ser o mesmo,

Vais achar pedaços de ti espalhados pelo chão.

Tu ficarás imaginando que és a criança que foste,

Na escadaria da escola não mais caberão teus pés,

Nada estará sendo o que tu assimilaste no coração.

 

*

O quarto cheio de medos e sombras é tão pequeno!

A menina loura de tranças: é aquela velha senhora...

As calçadas de terra, onde rolavam bolinhas de gude,

Ora cobertas de pedras portuguesas cinzas e brancas...

As cercas de taquara, onde as mães conferiam prosas,

São altos muros eletrificados de condomínios fechados.

 

*

Os velhos vizinhos se foram com as cadeiras na calçada

Dentre as tardes modorrentas do passar lento dos dias...

Não será um retorno ao passado, mas um futuro de tocaia,

De fuzis AK-47, abatendo um a um os teus largados sonhos,

Disparados por francos atiradores das trincheiras do Mal,

Contra a ‘Árvore Ancestral’ carregada de frutos amargos...

 

*

Os pampas; agora miragem dum altar à beira do abismo,

As pessoas sem rosto, sem sorriso, de olhar ressabiado...

Teu pensamento diz: “Nunca mais voltarei para donde vim”,

A casa onde gerou a minha infância é tapera abandonada,

Porteiras desengonçadas há muito potreiros desandados

Arisca bagualada às furnas e canhadas: os pingos e corcéis.

 

*

O altar iluminou meu rosto, mas o abismo não ilumina,

A menina de olhos azuis e tranças me olhava da esquina,

Um elevado edifício a levou junto com a casa pequenina...

O escuro asfalto veio tirar a graça da rua de chão batido,

Onde rodavam os piões e retiniam as bolinhas de gude,

Os jogos aferrados de futebol com bolas feitas de meias.

*

Daqueles guris saíram: médicos, advogados, um prefeito,

Professores, engenheiro do ITA, oficial militar, um frade...

Creiam - dessa rua saiu também um goleiro da Seleção,

Convenhamos que na verdade, por este fato, é evolução.

Mas no retorno vi que o precipício engoliu a tradição

O altar que iluminou meu rosto, o abismo não ilumina,

 

 O pretérito é demolidor, voltei-me ao passado, não ao lugar,

Geada e neve que aos primeiros brilhos do sol desaparecem.

Contudo, temos de Graça os dias do presente a nos abençoar,

Se hoje for pior que amanhã tem-se que o futuro será melhor.

Sendo o hoje melhor que ontem, minha e tua prece foi ouvida;

E a ‘Árvore da Tradição’ voltará a florir e dar frutos mais doces!

 

**

A Esperança triunfará dando um amanhã melhor que hoje,

Como um pajador gaudério do Bem, tecendo a teia da vida.

Virá montada a selote num zaino, uma Prenda a Camperear.

 

[M. Martins Santos]

Exibições: 24

Respostas a este tópico

Constatação verdadeira. Nunca se retoma o passado.

Estou na minha cidadezinha natal...

A Natureza continua bela e exuberante, mas o contexto pessoal, familiar e social é outro...

Parabéns, pela relevante inspiração!

Beijossssssssss

Do passado, resta mesmo, somente as lembranças.

Nunca mais será como no pretérito, apesar de ter a impressão que até o ar que se respira, é o mesmo de antes.

Que beleza de composição, meu amigo.

Parabéns, por mais essa grande obra.

Abraço, fraterno.

        A "Ponte de Ferro" sobre o rio Moji Guaçu, em minha cidade de mesmo nome[Moji Guaçu-SP]

Minha mui querida amiga Mônica,  linda de coração e alma que refletem e iluminam teu semblante. Grande prazer honroso é falar-te. Quisera a oportunidade nos ofertasse uma mesa, uma roda  familiar de amigos e prosa sendo "cortada" como cartas em um jogo literário, em meio a abraços e sorrisos da amplitude de sincera  amizade. Abraço-te à distância, cujo consolo e orgulho é estarmos vivendo no mesmo "rincão", embora a distancia seja continental [que só nos orgulha pela imensidão de nossa pátria]. Grato por tuas palavras eivadas de energia positiva, esperando que as minhas também recaiam com a mesma benção em teu coração. Repasse meu abraço a cada um de teus queridos, e sentirei essa rara energia aqui do outro lado de Nosso imenso Brasil.

Emocionada com tuas palavras.

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...