A ORAÇÃO AO CAVALO

Dono meu:

– Dá-me frequentemente de comer e de beber e, quando tenhas terminado de trabalhar-me, dá-me uma cama onde eu possa descansar comodamente;

– Examina todos os dias os meus pés e limpa o meu pêlo;

– Quando eu recusar a forragem examina meus dentes e minha boca, porque bem pode ser que eu tenha uma travagem que me impeça de comer;

– Fala-me; tua voz é sempre mais eficaz e mais convincente para mim que chicote, que as rédeas e que as esporas;

– Acaricia-me frequentemente, para que eu possa compreender-te, querer-te e servir-te da melhor maneira e de acordo com os teus desejos;

– Não cortes o minha cauda muito curta, privando-me do melhor meio que tenho para espantar as moscas e os insetos;

– Não me batas violentamente e nem dê golpes violentos nas rédeas; se não obedeço como queres é porque, ou não te compreendo ou porque estou mal encilhado, com o freio mal colocado, com alguma coisa nos meus pés ou meu lombo que me causa dor;

– Se eu me assustar não deves bater-me sem saber a causa disso, pois bem pode ser o defeito de minha vista ou um providencial aviso para ti;

– Não me obrigues a andar muito depressa em subida, descida, estradas empedradas ou escorregadias;

– Não permaneças montado sem necessidade, pois prefiro marchar, a ficar parado com uma sobrecarga sobre o dorso;

– Quando cair tenhas paciência comigo e ajuda-me a levantar, pois faço o quanto posso para não cair e não causar-te desgosto algum;

– Se tropeçar, não deves por a culpa em mim, aumentando minha dor e a impressão de perigo com tuas chicotadas; isso só servirá para aumentar o meu medo e a minha má vontade;

– Procura defender-me da tortura do freio, não no trabalho, mas quando esteja em descanso, e cobre-me com a manta ou com uma capa apropriada;

– Enfim, meu dono, quando a velhice me tornar inútil, não esqueças o serviço que te prestei, obrigando-me a morrer de dor e privações sob o jugo a um dono cruel ou nos varais de uma carroça; se não puderes manter-me, ou mandar-me para o campo, mata-me com tuas próprias mãos sem me fazeres sofrer;

– Eis tudo que te peço, em nome daquele que quis nascer numa baia, minha morada, e não num palácio, tua casa…

Autor: desconhecido

*A minha "Oração ao Cavalo", que tenho em meus arquivos, há anos, coletei no Regimento de Cavalaria "9 de Julho" - da Polícia Militar do Estado de São Paulo, quando estava na ativa.

 

 

Exibições: 40

Respostas a este tópico

Poeta!

Uma oração simplesmente linda e tocante.

emocionei-me muito ao lê-la.

Parabéns pela postagem!

abração com carinho

QUEM É O ANIMAL IRRACIONAL? 

Elza, Deus lhe pague pela visita e leitura da Oração ao Cavalo - tão nobre animal, que pela sua história de parceria com o homem desde o princípio da História conhecida, em todas a lides, pode muito bem representar todos os demais animais não humanos a que nos propomos a elevar e honrar e cuidar - independente da existência de lei ou não [para nós] a outros não só a lei como está, mas deveria ser agravada, tais são os maus tratos ainda existentes. Beijo e abraço de carinho fraterno.

Querido amigo, emocionei-me.

Às vezes, quedo-me a pensar na insensibilidade do ser humano, no que se refere aos animais. Minha mamãe sempre nos apontava o sofrimento desses belos animais através dos tempos e ressaltava como sofriam nas guerras do mundo antigo. Hoje, a tortura persiste, sob diversas formas. Lamentável!

Agradeço-te a publicação de tão belo texto!

Beijosssssssssssss

Querida Sílvia.

Obrigado pela leitura e o comentário, de ti não esperava menos.

Durante minha trajetória de vida, já tive - com orgulho sim - de intervir várias vezes em favor dos animais. 

Cães sendo judiados com um cano de calha no pescoço e servindo de risos - cinco foram para a delegacia se explicar. Um cãozinho com sarna, apanhava para ficar na rua "chorando" para entrar. Um garoto de 9 anos todo dia cavalgando um cão labrador preto - fiz os pais ir à delegacia se explicar ao delegado.Uma pequena égua, muito magra, com as costelas e vértebras aparecendo atrelada à carroça cheia de tijolos, não conseguia subir à quina viva da guia (não rebaixada) e o carroceiro surrando-a cruelmente com o relho, estava a pé, fui até ele, repreendi-o, ele me enfrentou, a uma pessoa que passava e me conhecia pedia chamar a PM, vieram, o homem foi detido, o animalzinho desatrelado e levado ao páteo de animais de prefeitura (este segui as multas, punição e o desenrolar dos fatos) e muitos outros casos por tantos lugares por onde passei. Assim querida Sílvia eu sinto correr nas veias o amor pelos animais inumanos. Beijoss.

Obrigado - Muchas gracias - amigo Almada por las felicitaciones.

Um fuerte abrazo. 

Linda oração. Tenho uma semelhante, muito conhecida, "10 PEDIDOS DE UM CÃO". Eu tenho uma cachorrinha. Faço o melhor para ela dentro das minhas possibilidades. Tem quem pense que os animais são apenas para servir e ser mau tratados.

Obrigado pela leitura Margarida Maria

Estou curioso para ler os "10 PEDIDOS DE UM CÃO", publique-o para nosso conhecimento e aplicação prática.

Já que nossos amiguinhos "de focinho gelado" não falam, "só dão a entender" suas necessidades, acredito que seria uma bela e útil  leitura. Beijo e abraço fraterno.

Lindo, lindo! Parabéns pela oração. Tenho 2 animais, uma cadela e uma gata. Fazem parte da familia. Jamais abandonaria um animal porque já está velho ou doente.

Obrigado pela visita e leitura querida poeta-escritora Livita

Desde que abri os olhos para o conhecimento das coisas existentes no mundo, lá estava em minha frente um cão ou um gato ou cães e gatos. Nunca criança ou adulto me conheço sem pelo menos um cão em casa. Foram tantos e suas histórias interessantes... Descobri que os animais domésticos têm personalidades próprias, alguns gatos e cães principalmente foram tão personalíssimos que não pareciam serem inumanos. Tive um cãozinho tamanho médio-pequeno digamos, preto, vira-lata; mas Livita, acho que ele tinha um gnomo dentro dele para entender-nos e  ser tão educado e respeitoso: só entrava dentro de casa se fosse carregado. Entendia a tonalidade de voz com que se dirigia a ele, se ralhasse ele abaixava o olhar e a cabeça - impressionante chamava-se Murphy (Murfi) e assim muitas histórias marcantes. Abraço e beijo de afeto fraterno.

Fico contente por ter todo esse carinho pelos animais.

Muitas pessoas querem um cão para guardar a casa, ou para a caça, se não serve, abandonam.

Querem um gato para apanhar ratos...se não o faz, não serve.

Eu tenho uma cadela e uma gata porque me fazem companhia. São chamados de animais irracionais mas para mim, são mais racionais que certos humanos. Eu entro em casa, estão as duas á porta á minha espera. Querem um carinho.  São muito diferentes, personalidades diferentes. A cadela é mais mimalha, não se cala enquanto eu não fizer um mimo. A gata é mais safadinha. Tem ciumes da cadela e faz tudo para a afastar de  mim. Neste momento, estou no pc, está a gata no meu colo (adora colinho) e a cadela ao lado no sofá. Não me largam...

Elas querem muito mimo mas também me dão muito. Entendem tudo o que eu digo, obedecem quando me zango. Então a cadela faz aquela expressão de tristinha...só para ter um miminho.

De irracionais não têm nada, ou quase nada, só lhes falta falar. Mas eu entendo a linguagem delas, o miar da gata quando quer comer ou  quer colo...são miares diferentes. Nós, ditos racionais é que temos de os entender.

Beijo carinhoso

 Querido Mauro Martins,

 Emocionante..!

 Agradeço por compartilhares.

 Abraço.

RSS

Membros

Aniversários

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...