Você é um estudante ou uma estupidez?

 

Certa vez ouvia um jovem que se lamentava da sorte. Dizia ele que, quando mais novo, nunca se importara em aprender. Nunca deu importância aos estudos, se achava esperto o bastante para ficar perdendo tempo com leituras, pesquisas e exercícios. Ia à escola todo cheio de malandragem, era conhecido como o “bonzão” do pedaço. Achava-se importante, malandro, ao ponto de impressionar algumas garotinhas idiotas e alguns manés com quem andava.

Dizia que tocava o horror em sala de aula. Gostava de apavorar no colégio, na rua, e ainda, pagava sapo para seus pais. Não tava nem aí pra nada. Vez ou outra aparecia “doidão” arrumando confusão com colegas e professores que estavam ali com propósitos de um futuro melhor.

Pois bem, passado alguns anos, encontrei esse “pobre diabo” num presídio qualquer, quando fui fazer um trabalho de inclusão social e educacional com os presidiários. Ao deparar-me com aquele coitado totalmente desumanizado, acabado físico-moral, e outros mais que estavam sentados numa sala, pensei rapidamente: o destino me colocou mais uma vez na vida desse jovem, espero que dessa vez ele entenda minha mensagem.

Apresentei-me. Expliquei o motivo de estar desenvolvendo aquele trabalho de Cidadania e Cultura com eles, o significado de ser e viver, numa sociedade moral e ética e a importância da cultura, do saber para o desenvolvimento humano. Porem quando estava explicando, para minha surpresa e todos ali, aquele jovem se levanta e pede a palavra. E aí termina seu discurso, emocionado, dizendo:

- Se hoje tô passando por tudo isso é porque fui um otário, um zé mané, que ao invés de estudar pra ser gente, ia pra escola zoar, o professor é prova disso, sabe o que to falando... A justiça de Deus não falha... Carrego esta frustração... Nunca fui um estudante e sim uma estupidez humana... Mais vou aprender a lição professor, do jeito mais penoso... Vou sair daqui diferente se Deus quiser. Desculpa por tudo!

Outra surpresa, naquela mesma ocasião, um jovem advogado do Estado, de Defesa, pegou aquele caso e, coincidentemente, saber que fora outro aluno meu nos bons tempos de magistério. Em seguida conversamos a respeito daquela realidade, cada vez mais constantes nos dias de hoje.

Por isso, procure aprender sempre, não desperdice nenhum minuto sequer do conhecimento, quanto mais obtê-lo, maior será sua capacidade de alcançar o sucesso. Não seja um estudante fútil, um estúpido, um lixo social como vários por aí, seja diferente, esteja sempre entre os bons, seja você, seja o melhor.

 

“Ninguém pode escolher os pais ou a pátria, mas cada um pode moldar sua personalidade pela educação”.

Erasmo de Roterdã

Texto elaborado pelo Professor Sérgio Russolini, cujo tema “estudante ou estupidez?”, é uma reflexão sobre a atual situação de alguns jovens e seus tristes destinos por não levarem a sério a educação e a importância do conhecimento. Fonte de pesquisa.

Exibições: 43

Respostas a este tópico

Nos meus tempos de estudante encontrei muitos tipos assim...

Achavam que a escola era só para brincar...

Fui muito farrista, mas sempre fui dos primeiros da classe...

Sabia separar o tempo da farra, e o tempo do estudo...

E é o que sempre recomendei a meus filhos e netos... Saber aproveitar o tempo...

Osculos e amplexos,

Marcial

 

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...