VIII FESTIVAL VIRTUAL DE POESIA - DIA MUNDIAL DA POESIA INSTAURADO PELA UNESCO - 21 DE MARÇO

Sejam bem-vindos a este fórum de poesia!

VIII FESTIVAL VIRTUAL DE POESIA NO DIA MUNDIAL DA POESIA

21 de março - data instaurada pela UNESCO. 

Classificação do evento: o festival é de caráter meramente participativo.

Tema: poemas alusivos à data em epígrafe.

Tipologia poética: admitem-se todos os formatos poéticos.

Número de publicações: cada autor apresentará quantos poemas desejar, editados ou inéditos.

Diploma de participação: todos os participantes receberão um diploma de participação.

Divulgação dos trabalhos apresentados: na ocorrência de participação significativa, será editado um E-book EXCLUSIVO para os participantes do VIII Festival Virtual de Poesia. Esse E-book será divulgado em todas as Redes Socioculturais e pelo Sponsor, no seu periódico digital SICILNEWS.COM, de propriedade do peapaziano Ross Salvaggio: http://peapaz.ning.com/profile/rosssalvaggio. A participação dos autores peapazianos será ressaltada.

Local para a publicação dos poemas: a participação se fará diretamente e apenas nos espaços reservados para os comentários. Não criar novas discussões no grupo. 

Criadora do Evento:

Rosemarie Parra - Rosa Maria Parra

Organizadoras do Evento no âmbito do Portal PEAPAZ:

Rosemarie Parra - Administradora do Grupo “Esse Mundo Virtual”

Sílvia Mota - Criadora e Mantenedora do Portal PEAPAZ

Exibições: 201

Respostas a este tópico

A natureza da poesia

 

O poema é como um esplendoroso

Amanhecer: pode brilhar muito,

Mas não é tão forte e tão poderoso

Quanto o meio dia e, em tal fortuito

Esquecimento, nos dá alegria...

 

O poema é como o nascimento

Encerra em si mesmo potência

Máxima de todo o seu momento,

Em uma tal vontade, sem carência,

Que é luz, mil raios, extasia...

 

O poema é como uma floresta,

Todas as suas espécies tem seu valor:

Se uma só perecer, cai, nada resta;

E é assim porque foi feita com amor

Pelo Criador que tanto bem queria...

 

O poema é como uma onda alta,

Vai bem acima, mas no fim tem

Que descer, trazer do mar a malta

Dos marulhos na areia, porém quem

Diria ser, sim, menos do que poesia...?

 

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

TREZE HORAS NAS DEZASSEIS HORAS DUMA VIDA…

Explicação do Título:

 A Primavera entrou no Hemisfério Norte às 16h15m

O Outono iniciou-se no Hemisfério Sul na hora Brasileira às 13h15m!

Poema curto, poema leve,

Poema sem mágoa…

É desejo amigo para compor a tarde.

 

Como se a flor abrisse na aurora

Orvalhada e fresca.

Como a folha de ouro, já caída,

No calor que sufoca

Na tarde esvaída.

 

É poema toado

Em jeito de nada.

Em jeito de tudo.

Celebrando o Outono

Celebrando a Primavera

Em jeito de Vida…

No ouro da vida, a frescura nascendo!

 

Poema já curto não é

Poema leve, poema sem mágoa.

Grinalda de frutos colhidos

Doces, maduros, sumarentos de sol!

Grinalda de flores nascidas

Ainda frias de geada

Encimadas de alguma neve

 

São vigorosas promessas

Esperanças e sonhos

A Vida chegando!

Colheitas frutadas e floridas!

Em que balas são rebuçados de mil cores

Bolas de sabão irisadas

Rebentando 

Ao sol nascente e ao sol-posto

 

Vamos co-criar a Esperança, o Entusiasmo

No Poema leve, Poema sem mágoa

Que já curto não é!

Chantal Fournet

20/3/2018

Portugal

bálsamo dos simples


das entranhas da terra
das profundezas do mar
brotam versos
lavrados com suor e lágrimas
paridos com dor
com a alegria de os dar à luz
e para sempre cantá-los
e dançá-los
alívio das agruras da vida
de um povo
amores e desamores
bálsamo dos simples

in  "Cintilações", Ana T. Freitas

Meus aplausos!

Muito grata 

Poesia

Poesia é luz
Transmite fé e traduz
Com amor de mãe
Ensinamento de padre
Exemplo de criador
Valoriza a arte
Esquece a arrogância
Envaidece toda bondade
Palavra de santa
Sem vaidade
Fala da filosofia
Nunca desafia
Humildade de anjo
É como um filho que ensina
Pede ao pai uma história
Assusta com o choro de adulto
As lágrimas caem com a razão
Não esconde qualquer vaidade
Esquece todo mal
Caminha com os pés na terra
Também fala do choro
Poesia é uma palavra sincera
José Hilton Rosa
Brasil

Bela expressão poética. 

Parabéns pelo lindo poema.

RSS

Membros

Designers PEAPAZ

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

*Reinaldo*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço