MULHER ROSA E ROSA MULHER


Belmira era filha do rei de um reino lindo e ele era muito poderoso. O Reino do pai da Belmira tinha tudo. Nada faltava num reino que poder-se-ia dizer-se que Belmira era a princesa mais feliz do mundo. Que engano… A Belmira estava sempre triste porque nunca se contentava com o que tinha. Se ouvisse que num outro reino vizinha tivesse algo que ela não tinha, era a razão para mais um capricho e exigência. O pai da Belmira que era rei, adorava tanto a Princesa Belmira que nunca lhe negou nada na vida. Quantas guerras desnecessárias pera satisfazer os caprichos da Belmira, o historiador da corte até já havia esquecido a conta.

Apenas um reino era respeitado e o rei e pai da Princesa Belmira tinha o cuidado de nunca ultrapassar a fronteira. Tinha tanto medo deste reino que todos no reino da princesa Belmira chamavam aquele reino de “REINO DO TERROR”. O reino do terror ficava ao norte do reino do pai da princesa Belmira.

Certo dia a Princesa Belmira saiu para passear. Resolveu ir precisamente para o norte. Andou, andou, andou e não obstante os conselhos dos guardas e amas e damas da companhia de princesa Belmira, todos tremiam de medo, ela perseguia sempre para o norte.

O Norte parecia cada vez mais deserto e sem nada. A princesa Belmira ficou mais curiosa, porque todos tinham medo do nada? De repente surgiu a frente dela, um enorme monstro. Ela ficou paralisada e cheia de medo.

O Monstro disse que era o dono do reino e que queria casar com a princesa Belmira, pois ela parecia uma rosa vermelha e linda.

A Princesa Belmira riu-se do monstro e disse que nunca casaria com um animal daqueles.

O Monstro até sorriu e virou as costas para ir-se embora… Mas no último momento disse para a princesa:
-Tens razão, eu sou feio e não mereço uma princesa como tu, que és como uma rosa vermelha. Apenas te dou um conselho. Tudo que vês cá me pertence e se pegares seja no que for, sofrerás as consequências.

A Princesa Belmira sorriu e deu uma boa gargalhada. O que ela quereria de um reino onde não havia nada?

Entretanto perguntou a sua ama o que era rosa, pois nunca tinha visto uma. No seu jardim tinha todas as flores, de todos os jeitos e gostos, menos uma roseira.

A Ama não sabia responder, eis que de repente surgiu diante de Princesa Belmira uma roseira com uma única rosa. Uma rosa vermelha, linda e brilhante.

A Princesa Belmira desatou a correr e apanhou a Rosa, quebrando-a do talo que a suportava. Ninguém pode impedir este ato tresloucado da Princesa Belmira.

Mal apanhou a rosa, o Monstro apareceu do nada para lhe dizer.
- Ou casas comigo ou serás uma mulher-rosa, Princesa Belmira, daqui à 24 horas.

Ela não acreditou. Riu-se do Monstro e regressou ao seu palácio com a linda rosa na mão.

No dia seguinte, a Princesa Belmira foi ao seu jardim, como habitualmente fazia. Toda vestida de vermelho, a sua cor preferida. Mal chegou ao jardim a profecia se realizou.

A Princesa Belmira se transformou numa rosa. Não só se transformou como passou a ter sequencialmente duas formas… Mulher-Rosa  e Rosa-Mulher…

O rei desesperado foi procurar o monstro e pediu para desfazer o feitiço.

-Só se ela casar comigo! – Disse o Monstro!

Sem outra alternativa casaram-se…. No altar, a Mulher-Rosa, nome que o Monstro deu a Princesa Belmira, beijou o Monstro, outra exigência dele… Assim que lhe beijo, ele se transformou um belo Príncipe e o reino do terror ou do nada se transformou e mostrou toda a beleza que escondido continha.

A Princesa Belmiro deixou de ser teimosa e foi uma das melhores Rainhas dos dois reinos que se uniram.

Mesmo assim uma vez por ano, a Princesa Belmira se transformava em Rosa Perfumada por poucos minutos, era quando a lua completava seu circulo anual e cheia cobria a Princesa  Belmira. Era um lindo espectáculo de se ver, mas apenas o rei Popas, era este o nome do ex-Monstro, assistia e acarinhava a sua bela Rosa-Vermelha…

João Furtado
Praia, 30 de Janeiro de 2015
http://joaopcfurtado.blogspot.com

Exibições: 155

Respostas a este tópico

João Pereira Correia Furtado

Parabéns querido amigo poeta João, um conto maravilhoso, bjs MIL.

MIL

Muito obrigado, amiga e poetisa!

O seu comentário da-me sempre alento para avançar!

Um abraço,

João Furtado

Que bom ser lido por grande poetisa Isabel!

Muito obrigado!

Prendeste-me, Poeta João Furtado!

Lindo conto! LINDO!

ABRAÇO

chantal

Muito obrigado Maria-josé, estava cansado de trabalhar e resolvi escrever um pouco e deu neste conto, inspirado na rosa-mulher!

Gostei muito querido irmão e amigo fraterno. Muito imaginativo e belo! Convido-te a ir também ler o meu A Doutora dos Sonhos.

Parabéns, um conto que segura a atenção do começo ao fim.

Como sempre...querido amigo poeta João Furtado ...encantou!

Beijos

Obrigado Amiga e poetisa Janete!

Desejo-te um bom dia cheio de poesia!

Que maravilha de leitura, querido João. Prendeu-me do inicio ao fim.

Parabéns, pela linda criação.

Bjssssss

Obrigado Poetisa Mônica, é muito estimulante ler o seu comentário!

Boa semana de trabalho!

João Furtado

RSS

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço