Piquete da minh’alma

Nasces quieta! – Inflama essa beldade,
que entre mil aves, sempiternas flores,
verte em teu seio jovem galanteio.

És madrigal de esplêndida deidade,
terra dos ventos – palco dos amores,
fêmea de casto e pulcro devaneio.

Lembras em mim, um sonho de cidade!

Minha Piquete - musa da saudade!
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro, 9 de julho de 2016 – 5h49

Foto: Piquete - A Cidade Paisagem

Andre Rieu. Memories

Exibições: 76

Respostas a este tópico

Tão doce quanto os suspiros desse seu meigo coração.

Abraço você e agradeço por sempre partilhar.

Cantar o lugar  que um dia nos acolheu,é sentimento sublime...Te abraço

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...