No palco, Maria
à plateia reverencia
grata pelo reconhecimento...
Com graça, Maria faz gestos
ante do público os manifestos
reconhecidos de seu talento!...

=========================

Maria, no entanto tem pressa;
dali, saindo, uma outra peça
há de viver...e dela se faz cativa...
O palco será todo feito
de um doce perfumado leito...
É grande a expectativa!...

==========================

A doce temporada se finda;
virá uma mais doce ainda...
Maria, à imaginação, dá asas!...
Situações obscenas;
Maria já vê as cenas:
dois corpos ardendo em brasas!...

========================

Na imaginação, Maria flutua:
no seu...(meu Deus) se tatua
com o calor do "vai e vem"
(no qual Maria se apruma;
unidas duas almas em uma)
o corpo do seu amado, seu bem!...

========================

Sem pudor, é pura adrenalina
que ferindo sua pele fina
lhe injeta a agulha matérias
de um líquido cujas substâncias
lhe aumentam do gozo, ânsias
fluindo por todas as veias e artérias!...

=========================

A doce temporada se finda;
virá uma mais doce ainda...
Maria, dá asas à imaginação
onde Maria então flutua;
vendo unida a boca sua
à boca daquele que lhe aumenta o tesão!...

================================

Sem pudor, a agulha espeta;
e todo líquido injeta
que dela então expele;
pra no momento a explosão
do clímax, gozo, tesão
tão doce à flor da pele!...

==========================

Ah...Maria, minha atriz,
te aplaude pedindo bis
este teu ardoroso fã!...
Vivemos nossa epopeia;
eu sou a tua plateia,
e ao mesmo tempo, galã!...

===========================

(GERALDO COELHO ZACARIAS)

Exibições: 13

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...