Rendo-me (POEMA )

 

Rendo-me a magia de uma sinergia,  que a mim me  ardia

Nas tardes frias,  na morada morrinhenta naquele quarto

Que nem a Tequila  em doses duplas  no sofá , satisfazia

A solidão de meu corpo envelhecido pedia novo parto

 

Rendo-me as tuas visitas, insolente. Surpresa  e  querida

Vinhas fugida de teu marido louco,  que nada atendia

Desconhecida visitante,  lhe sabia pelo cheiro de alho

Tiravas-me as calças a força de mulher sempre ferida

Sem calçolas-uma louca, me jogavas  ao chão,  arredia

Certeira de intuição,  pegavas meu sapato não bugalho

 

Enrijecido  e de pé tal como madeira de carvalho dura

Intumescida de antemão,  em mãos o brinquedo, o teu sexo

De teu desejo continuado , a maratona de teus orgasmos

Refregavas teus seios avantajados em meu peitoril ancião

Gritavas com minhas mãos em tua boca e  logo vinhas candura

Com saudades de uma boca. Te beijava sem temor ou nexo

Alucinantes momentos  do sexo animal , volúpias e espasmos

Entendia e refletia os mesmos atos  e  em ti meu todo tesão

 

Sentimento da ausência fortuita  do sexo crescente assim

Como nestes versos em progressão aritmética,  em cada estrofe

É noite e de lamparina acesa  sinto pena solitária de mim

Em quatro versos,  como de quatro sua posição é anástofre

 

FIM

Antonio Domingoa

05 de agosto de 2016

 

Exibições: 176

Respostas a este tópico

Li e reli teu poema.

A ausência de pontuação, ainda que atualmente utilizada por muitos autores, dificulta-me o entendimento, acostumada que estou às diretrizes de outrora... rsrsrs... De quando em quando, tento construí-los assim, mas com os versos bem mais curtos. Enfim, considero-os de difícil construção.

O poema é fortemente sensual e não menos belo.

Parabéns!

Beijosssssssssss

P.S. Não desejarias dizer "quatro estrofes" ao invés de "quatro versos", ou referes somente a última estrofe, essa de quatro versos?

Prezada amiga Silvia,

Grato pelo comentário.

Em poema , com o seu comentário e uma releitura, concordo plenamente, que a pontuação adequada faz muita falta a melhor compreensão e entendimento,  até mesmo do autor depois de passados algum tempo.

As vírgulas, principalmente,

Para que até eu mesmo entenda melhor, revisei o texto e coloquei as vírgulas, de modo  que reflita a mensagem desejada.

Na prosa poética, escrita na horizontal, aí sim, eu gosto de escrever sem pontuação para dar um ritmo acelerado.

Gostaria que relesse novamente, eu mesmo senti uma melhoria de muito valor para o texto.

Grato

Antônio Domingos

Prezada amiga Silvia

Me refiro a última estrofe, em que o personagem, remonta seus pensamentos em retorno intrínseco a 1a. estrofe de 4 versos

Percebi que estendestes o trocadilho, onde as três primeiras estrofes com 4, 6 e 8 versos ( crescentes aritmeticamente_ reflete o crescimento dos anseios e experiências vividas pelo personagem.

obrigado

antonio domingos

PS: Muito difícil ficar naquele limiar, para que o texto não fique estilizado pornô. Meu 1o poema sensual e o erótico,  ficou muito agressivo e pornô. Aqui tomo cuidado, e deves lembrar do certame em que escrevi um texto sensual pueril , acerca de dois jovens que de crianças, tornam-se adultos e relato um amor nascido e o primeiro dia dos dois na  Faculdade.

Querido Antônio Domingos,

Quando exponho meu pensamento nos comentários, não significa que o autor deverá mudar a sua criação. Existem diversas formas de expressão. Como disse anteriormente, muitos autores optam hoje por ignorar a pontuação, deixando para o leitor o universo da interpretação. O texto se abre a diversas leituras. É proposital/consciente e não falta de conhecimento. Mas, confesso-te, que considero difícil fazer isso.

Beijosssssssssssss

Estimada amiga Sílvia

Grato mais uma vez e:

Fique tranquila amiga. As colocações de vírgulas não significaram para minha pessoa uma alteração do poema escrito, da mensagem que tentei passar na obra.

E, de agora em diante, adotarei a pontuação quando achar conveniente aos meus Poemas. Como já aprendi aqui, Poesia desde a mais simples até a mais sofisticada é para ser entendida e para o deleite de quem lê.

Lembra-se que destes um toque quanto a gramática (concordância verbal, nominal e etc..) Podes observar que estou atento a isto e procurando usar a linguagem formal, mesmo no ambiente das licenças poéticas.

Só tenho a agradecer aos comentários que me indicam falhas e possibilidade de mehorias, pois somente assim, posso melhorar a mim mesmo, podendo assim expor minhas experiências e cada vez mais ser criativo.

Ser criativo em qualquer tema ou forma de poesia é o mais importante para mim,

Já nos demais formatos a falta de pontuação pode ser um trunfo na comunicação da obra. Já li Saramago e sofri muito pela falta de pontuação, mas, não medi esforços na compreensão

Creio que tenho sido um bom aluno.

Ainda tenho um Soneto neste Tema, mas vou publicá-lo mais adiante.

Bom final de semana amiga

Antônio Domingos

Sim é como dizes querida Silvia Mota! Jacques Prévert e outros poetas do verso branco aboliram a pontuação por acharem que ela limitava as diferentes leituras dum poema! Mas gosto muito da pontuação na prosa! no verso consigo prescindir, se forem versos curtos!

E enfim, temos José Saramago e seu "Memorial do Convento" que lhe valeu o Prémio Nobel ... sem qualquer tipo de pontuação ... o quer torna "infernal" a sua leitura!

beijosss

Chantal

Estimada amiga Chantal.

Concordo que em versos curtos funciona bem sem pontuação, mesmo ser ter o embasamento literário e ser de uma pessoa culta de muitas leituras. Poucos livros li durante minha vida. Trabalhava demais, muitas horas/dia. muitos anos sem férias e etc...

Nesta estrofe abaixo não usei pontuação, mas os versos são curtos.

""Bate ruidosa nas tardes carnes tão

Uma ruína ruiva ruim a depressão

Uma mediúnica túnica de é o fim

Da vida cala rala rara afirma um sim""

Obrigado

Antônio Domingos

querido Poeta Antonio Domingos

como já li depois da pontuação teno a singela sorte de ter entendido melhor!

Poema forte e rebelde duma mulher igualmente rebelde e forte!

O penúltimo verso da última estrofe deixou-me intrigada, pela leitura quiçá dificil!! 

vou reler....

beijossss

Chantal Fournet

Estimada amiga Chantal,

Grato e  honrado com sua leitura e comentários sempre oportunos e valiosos.

Quanto ao penúltimo verso, eu queria transmitir os seguintes sentimentos da personagem:

Verso:

"Hoje é tarde noite , e de lamparina,  sinto pena solitária de mim"

Sentimento:

" Hoje , agora, ao entardecer, já com a luz da lamparina acesa, me sinto solitário e tenho pena de mim " isto é: " _ Hoje é tarde noite , ( Transição da tarde para a noite ) , e de lamparina, ( situação melancólica acerca da noite ), sinto pena solitária de mim"( um sentimento de solidão saudosa , até mesmo auto piedosa).

Estimada amiga: Algumas vezes desisti  de um trecho  em função de que não encontrava palavras que pudessem transmitir os sentimentos que eu desejava passar a poesia.

Agradecido mais uma vez

Antônio Domingos

Estimada amiga Silvia

Por favor insira o Poema no Certame

Obrigado

antonio domingos

RENDO-ME!

E-BOOK em PDF

Literatura Sensual e Erótica

PEAPAZ_E-book_Literatura_Sensual_e_Erotica_Rendo-me.pdf

Autores participantes

 

Antonio Domingos Ferreira Filho. RENDO-ME

Arlete Maria Piedade Louro. DESEJO DE UMA VIDA!

Elías Antonio Almada. YO COMPRÉ

Jorge Manuel Brites Pereira. TROUXESTE-ME PELA MÃO

José Hilton Rosa. RENDO-ME!

José Santiago. ME RINDO

Luísa Maria Valente C. Zacarias. AO AMOR!

Luiz Morais. RENDO-ME!

María Cristina Garay Andrade. ESTILO

Maria Iraci Leal. EU ME RENDO!

Maria-José Chantal Dias. RENDIDA PARA TODO O SEMPRE!

Paulo César. SUBMISSÃO INFERNAL

Rosalina Gonçalves Ramos Herai. RENDO-ME

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...