Um cantinho para amigos que gostam dos cordéis nas suas várias formas.

dos cordéis eu nada sei

dos cordéis eu pouco sei
tudo que sei muito admiro
são cantos – ternos-de-rei
são contos já de vampiro
versos da alma do povo
entre o antigo e o novo
que cantam a rosa e o tiro.

se houve um homem mau
muito mau por natureza
matou a mulher com um pau
cuspiu na Santa Tereza
no cordel tivesse eu crido
por ter sido desabrido
ia pagar por sua rudeza.

era maio, domingo bom
desses que passam e ficam
veio a mulher de batom
os olhos que vivificam
tanto em luz como em traço
nos beijos me deu um abraço
é setembro, ainda se esticam.

de tudo o cordel falou
com seu jeito tão simplório
poeta sábio rabiscou
coloriu o mundo inglório
do Lampião ao Padre Cícero
o que era rico era mísero
quem maltratou foi notório.

na crônica do Rubênio
conheci Manoel Monteiro
mais que poeta, poeta gênio
nos cordéis pro mundo inteiro
nas paredes de sua casa
tem poemas, ferro e brasa
na Paraíba, o tinteiro.

nas terras da Borborema
o luar é um suspiro
passa o vento na jurema
nos poemas me inspiro
são poemas?... voz de Rei?
dos cordéis eu pouco sei
tudo que sei muito admiro.

Marco Bastos

´

Exibições: 687

Respostas a este tópico

´
a rosa no laço

Com sufoco do bode quem pode
o afago já vem nesse afogo
é a língua alisando o bigode
é a paixão a arder como fogo
bem querer quase quase me explode
meu querer espaçoso no espaço
se querendo, já sais do mormaço
não se escondem em tua saia segredos
é a viola que canta em meus dedos
rosa e bronze é o teu cheiro no laço.

Marco Bastos

´
´

TROVINHAS DISAFORADAS

mi chama ela ' trovadô! '
(e prá ri fecha parêntis ))
- isso é lá do interiô
ou di quem rancô us dentis.
vou inté lhi dá conseio
prá só si oiá nu ispeio
si quisé us panus quentis.

o trovadô é bonzinho
não é não dos mais pió
eu respeito seu jeitinho
sua boca di jiló
gosto mesmo é da canela
da morena pele dela
e num como mocotó.

Marco Bastos

´
´
E pelos caminhos dos sons e tempos, DOIS GALOPES À BEIRA-MAR

* * *

Aurea Charpinel said:

Amor vai-e-vem, esse bem que me espera
É tudo de bom, é bombom de cereja
A gente se encontra, se abraça, se beija
E mata a saudade... é um sonho, quem dera!
Mas se bem-me-queres, serei primavera
Mulheres se vestem até de luar
Se o seu bem-amado assim desejar...
Abrindo os meus braços, sou árvore, flores
Sou fruto da espera, promessa de amores
Num lindo galope na beira do mar...

* * *

Marco Bastos sede:

bombom de cereja dá água na boca
você se me beija...oh! bem que isso faz!...
tem dia que um beijo por ser tão fugáz
implora à manhã, com a doce voz rouca
que venha uma brisa que seja mais louca
querida cativa sem medo de amar
orvalho sem pranto que venha molhar
o sonho sonhado num tempo de flor
que seja ardida a pimenta do amor
na cor de um galope à beira do mar.

Marco Bastos

* * *
´
TEIMOSIA

a poesia é sempre teimosa
o poema sai pela goela
penso que sou todo prosa
ela diz: - não se rebela!
mas se ela vem e não deixo
no silêncio do meu queixo
estala um beijo que sela.

Marco Bastos

´
Este mote foi postado por Álesson Paiva na comunidade do orkut "Casa dos Amantes do Cordel":

Quem não tem laranja doce
Faz garapa de limão


E aqui os meus versos...

Se um dia enguiçar o trem
O jeito é andar na linha
E fazer uma trovinha
Enquanto o cordel não vem...
Se for embora o meu bem
É só mudar de estação
E dizer: vai, coração!
Mas tão bom se ele não fosse...
Quem não tem laranja doce
Faz garapa de limão


(Aurea Charpinel)

.
sei que não é de costume
misturar a taboada
vai o canto na toada
como peixe no cardume
o bom cordél se resume
nos versos que contam sétimas
e cantos que são de décimas.
vou fazer versos pulados
vai esse com dez bem contados
o outro segue nas sétimas.

Lindo! Lindo!

Beijossssssssssssssssss



Aurea Charpinel disse:

Este mote foi postado por Álesson Paiva na comunidade do orkut "Casa dos Amantes do Cordel":

Quem não tem laranja doce
Faz garapa de limão


E aqui os meus versos...

Se um dia enguiçar o trem
O jeito é andar na linha
E fazer uma trovinha
Enquanto o cordel não vem...
Se for embora o meu bem
É só mudar de estação
E dizer: vai, coração!
Mas tão bom se ele não fosse...
Quem não tem laranja doce
Faz garapa de limão


(Aurea Charpinel)

.

kkkkkkkkkkkk

Qui disaforado, qui é meu cumpadi!

Beso. Sirvinha.

 

 



Marco Bastos disse:

´

TROVINHAS DISAFORADAS

mi chama ela ' trovadô! '
(e prá ri fecha parêntis ))
- isso é lá do interiô
ou di quem rancô us dentis.
vou inté lhi dá conseio
prá só si oiá nu ispeio
si quisé us panus quentis.

o trovadô é bonzinho
não é não dos mais pió
eu respeito seu jeitinho
sua boca di jiló
gosto mesmo é da canela
da morena pele dela
e num como mocotó.

Marco Bastos

´

´

dona moça é tão supimpa

vô cantá nessa viola

veja lá se não ingrimpa

de tanto brinco e argola

vai pegá o acordeão

vem sortá seu coração

- sem a bateia quem garimpa?

 

Marco Bastos.

´

 

qui sodade, ai qui tenho,

dus meu verso tudo sorto

nos quintár lá do engenho!

acordião dexava torto

de tocá apaixonado

os meu braço amorenado...

- ai, ai, ai... num mi contenho...

 

Sílvia Mota

RJ, 21/08/2011 - 3h51

 

Marco Bastos disse:

´

dona moça é tão supimpa

vô cantá nessa viola

veja lá se não ingrimpa

de tanto brinco e argola

vai pegá o acordeão

vem sortá seu coração

- sem a bateia quem garimpa?

 

Marco Bastos.

acordeão é chorão

chora aqui e ni paris

cá quem toca é avião

lá é um tal quatorze bis

eu não orço di pirraça
as magrelas tão sem graça

nas praças du rei Louis.

 

Marco Bastos

21/08/2011

 

Sílvia Mota disse:

qui sodade, ai qui tenho,

dus meu verso tudo sorto

nos quintár lá do engenho!

acordião dexava torto

de tocá apaixonado

os meu braço amorenado...

- ai, ai, ai... num mi contenho...

 

Sílvia Mota

RJ, 21/08/2011 - 3h51

 

Marco Bastos disse:

´

dona moça é tão supimpa

vô cantá nessa viola

veja lá se não ingrimpa

de tanto brinco e argola

vai pegá o acordeão

vem sortá seu coração

- sem a bateia quem garimpa?

 

Marco Bastos.

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...