Deus do céu que nos proteja

Do cordel sem metro fino

Os verso amontoado

Tudo assim desencontrado

Sem passar um pente fino

O cordel é arte antiga

Tem seu metro e sua rima

 

Quando vejo um cordel

Todo assim de pé quebrado

Cada verso de um metro

Sem se atentar ao certo

Logo fico arrepiado

O cordel é arte antiga

Tem seu metro e sua rima

 

Pode ser preso no mote

Pode ser de outro jeito

Só não pode sair torto

Com o metro troncho e morto

Sem qualquer zelo ou respeito

O cordel é arte antiga

Tem seu metro e sua rima

 

 

Pode ser agalopado

Ou galope a beira-mar

Tem de haver sempre cuidado

Pra não cometer pecado

E ao cordel desfigurar

O cordel é arte antiga

Tem seu metro e sua rima

 

Já nasceu pra ser cantado

Por isso tem tempo certo

Como o rondel e o soneto

Há de ter metro perfeito

Igual massa de concreto

O cordel é arte antiga

Tem seu metro e sua rima

 

Seja épico ou satírico

Ou repente improvisado

O cordel é uma arte

E o coração me parte

Ao vê-lo tão descuidado

O cordel é arte antiga

Tem seu metro e sua rima

Exibições: 83

Respostas a este tópico

Nossa siôra! Mai qui buniteza qui tá esse cordé du cupadi Jorgi Linhonça.

Muitos parabéns, aravejasó!

Bejusssssssssssss

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...