HOMENAGEM  A MINHA 1ª PROFESSORA – Da. CORA (minha mãe)

 

 

A sra. se lembra, mãe, do meu 1º dia de aula?

Fazem muitos anos, para falar bem a verdade, 60 anos se passaram, desde aquele 1º dia onde, através de sua maneira carinhosa de ser, me ensinou a engatinhar para o mundo, através das palavras.

Sim, mãe, foi aí que dei os primeiros passinhos em direção aquele que hoje sou. Tornei-me um poeta, um escritor, faço versos, escrevo em prosa e por que? Porque a sra. me ensinou o beabá, que começou a mostrar um mundo diferente daquele que eu imaginava.

Foi um ano maravilhoso.

Mas, como todo conto teu seu lado pitoresco, tenho que contar como eu era naquela época.

Introvertido, medroso, quietinho, sempre calado, fazia as lições sim, porque quando chegávamos em casa, vinham os ensinamentos há mais,onde acho que conseguia acompanhar os melhores, porque fui um deles.

Bem, voltando ao lado pitoresco.Quero dizer-lhe,mãe-professora, que não esqueço de quando saía da sala de aulas, eu ia correndo atrás feito um louco, também, com 7 aninhos naquela época, não era para menos. Acho que os outros alunos e os professsores, que lecionavam,riam-se às pampas com aquela minha maneira de agir.

Coitadinho de mim, né? Pensava eu.

Que nada, eu tinha medo de ficar sozinho mesmo.

Bem, o pior vou contar agora.

Quando a mãe “tinha” que sair, ir ao banheiro, adivinha quem saía correndo junto?

Eu, é claro, né.

E, assim, o tempo passava e eu lá com meus pequenos problemas que, na época, achava enormes.

Bem, mãe, foram momentos maravilhosos junto a sra. que tinha e sempre teve a preocupação de desejar e querer o melhor para os filhos.

A sra. fez a sua parte, não só para mim, mas para uma multidão de pessoas que ainda se encontram neste mundo e tantas outras que já partiram.

Por isso, mãe, PARABÉNS.

Com os olhos marejados de lágrimas participo, com orgulho, daquela que merece esta homenagem e à tantas outras, suas amigas que também vieram de longe.

Hoje, a sra. passa a  ser lembrada como alguém que,vindo de tão longe, para uma pequenina cidade, mostrou aqui seu valor e recebe, com muitos méritos adquiridos, o título de Cidadã Honorária.

 

Eu sei, meus irmãos sabem, o quanto a sra. lutou para chegar onde chegou. Por isso e por tantas outras coisas só podemos dizer-lhe: Obrigado mãe, obrigado professora Cora Bridon dos Santos, por ter saído da Capital do Estado, Florianópolis, deixando lá pais e irmãos, para compartilhar suas experiências nessa pequena (na época) GASPAR.

Seja bem vinda mãe e professora: Da. CORA.

 

De seu filho

 

Júlio Cesar   -  hoje artisticamente conhecido por JC Bridon – O Poeta

 

 

Exibições: 48

Respostas a este tópico

Recordações sensíveis, que emocionam...

Também fui aluna da minha Mamãe, no quarto ano primário...

Beijosssssssssss

RSS

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço