TRABALHAR OU ESTUDAR EIS A QUESTÃO!

 

Certo dia eu acordei decidida é hoje que irei voltar estudar... Ingressar na faculdade com mais de trinta anos é muito complicado! Como assim? Que loucura é essa? Pensei sozinha.

- Com vinte anos no mercado securitário, carteira de corretora e tem sucesso no que faz! O que você quer mais? Essa era a fala do meu marido diariamente: - O que você pretende com isso? Nada vai ganhar e sim gastar, o mercado de trabalho você já tem seu lugar... E nosso orçamento está apertado, quem cuidará de nossa filha de três anos?

Tampei os ouvidos para todas a adversidades, trabalhando de 8:00 às 18:00 horas de segunda a sexta, então,  com a carga profissional, marido, filha, casa para administrar sem ajudante, tudo parecia mais do que um empecilho para mim. Mas o sonho de concluir o curso superior me perseguia, eu me via uma pessoa capaz. E aos meus ecos de insegurança respondia com firmeza:

- Vou ganhar sim! Conhecimento, crescimento sociocultural, visão global e integração social! Hoje o mercado é globalizado, a idade e experiência são vencidas pela integração e informatização, então as opções são: Ou atualizo meu perfil profissional ou os jovens recém-formados chegam com força total e vontade de conquistar minha vaga no mercado de trabalho. Irei prestar o vestibular, decidi. Se eu esperar mais um ano. Sei que não irei mais embarcar neste sonho.

Assim apostei com o destino; Desafiei a mim mesma: Prestarei o vestibular, se passar ingressarei na faculdade, a sorte está lançada.  Tinha ao lado do endereço do meu trabalho uma filial da faculdade FATEC para os cursos de Gestão Comercial - Processos Gerenciais, um curso semi-presencial, ou seja, dois dias da semana assistiria aula na escola e o restante das atividades seria on-line pela internet. Achei a proposta interessante e propícia ao meu perfil, fiz a inscrição para o vestibular, estudei um pouco em casa redação e conhecimentos gerais, se eu passar: Volto a estudar... E assim, fui lá, fiz a prova e passei para o curso escolhido. Fiquei eufórica, nem acreditei, quem eu? Conseguindo passar no vestibular depois de quinze anos sem estudar, foi o ápice da realização!

No primeiro mês estava empolgada e feliz, mas logo no primeiro semestre minha turma de trinta alunos calouros encolheu para dez, como diz o ditado bíblico: “Muitos são chamados, mais poucos escolhidos”.  Fiquei um tanto encabulada com aquilo, mas não esmoreci. Saia do trabalho lanchava e seguia para biblioteca da faculdade para estudar; as minhas aulas começavam somente às 8:30 horas,  era muito difícil esperar... Muitas vezes o cansaço queria me vencer e tudo que desejava era chegar em casa e receber o abraço de minha filha, um bom banho quente e cama para dormir... Expulsava estes pensamentos, lembrando a mensalidade paga com suor do meu trabalho, e mais que isso, o meu esforço não poderia ser em vão, ei de vencer...

Trabalhar fora e estudar, não é para qualquer um! A pessoa tem de desejar muito, com força de vontade, fé e perseverança... Será possível chegar à linha de chegada? – Respondo fielmente: É sim! Trabalhar fora e estudar é uma escolha para pessoas corajosas, com raça! Que acredita que o bom de hoje não é o suficiente, e olha para si mesmo e diz: Posso ser melhor ainda amanhã! Para meu crescimento como pessoa e profissional.

É gratificante quando você passa pela linha de chegada e olha para trás e percebe que muitos que começaram na linha de largada, desistiram no meio do caminho e você perseverou... De uma turma de média de trinta pessoas formaram comigo apenas três. De dois anos e meio de estudo, tivemos de ingressar em outra turma para concluir nosso curso. Muitos desejaram, mas poucos lutaram até o final pelo que queriam.

Como dito muitas vezes por sábios mestres, o sucesso é um por cento de sonho e noventa e nove por cento de esforço. Quem tem um sonho lute, acredito que para conquistar seu ideal é possível! Não depende de mais ninguém no mundo, que não seja você mesmo.

“Índice alto de pesquisa do MEC, prova que maior parte dos estudantes das universidades particulares são alunos que trabalham e estudam para pagar as mensalidades escolares e conquistar o tão sonhado diploma.”  Sabe de uma coisa, quando lia isso,  me sentia motivada, pensava: Não sou sozinha! Tem outros tantos como eu que passam pela mesma dificuldade e conseguiram, eu também posso! Eu também conseguirei!

E consegui, além de ser profissional, esposa, mãe e dona de casa! Encarei a árdua tarefa de ser presidente da comissão de formatura, unindo várias turmas de cursos diversos para não deixar de realizar um sonho completo, formar com Colação de grau para entrega dos diplomas, cerimônia religiosa ecumênica e o um lindo baile de formatura para formandos e familiares. A tarefa complicou!

O desafio ficou mais complexo! Mas o sabor da conquista para mim foi maior que para outros, creio eu! Deus me deu esta vitória, este mérito, esta honra, fui capaz porque ele me deu força e coragem quando pensei em desistir, inteligência e sabedoria de administrar tudo isso, não deixando o bastão cair e cumprindo a trajetória por completo da corrida para minha vitória com firmeza e determinação até o final da partida.

Elieti Mendes Ribeiro Estevão

Exibições: 65

Respostas a este tópico

 LETI RIBEIRO

Magnifico querida Leti... Como tu mesmo escreveste, basta querer e lutar, também entrei para a faculdade com 30 anos, era casada, com dois filhos, dava aulas de dança moderna, corria como louca e consegui, como tu... Menina, que maravilha a tua prosa autobiográfica, um exemplo para quem ainda está pensando se vale a pena... E como vale! Meus parabéns, meu carinho, bjs MIL.

QUERIDA  LETI

UMA BOA NARRATIVA.  TEM ALUNOS QUE CONSEGUEM ESTUDAR E TRABALHAR. MAS A MAIORIA DESISTE.

SEMPRE AJUDA A FORÇA DE VONTADE. 

                                                                         BEIJOS.  BOA NOITE    ARLETE.

RSS

Mauro M. Santos

Graça Campos

Carlos Saraiva

José Santiago

Lilian Reinhardt Art

De Luna Freire

Visitantes

Liv Traffic Stats

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço