Valsa de Strauss

Dia lindo de sol
Quente e amena brisa
A Valsa de Strauss
Encanta a vitrola
Agulha é violino
Aguça os sentidos
Seu vestido branco
Convida ao salão
Minha alma alegra
Meu sofrido coração
Quantas saudades amor
É a noite chegará
No canto da cigarra
Buscarei você inteira
Na magia do luar
O obscuro da sombra
Brilhará

adomingosfilho
11 de Dezembro de 2016

Exibições: 27

Respostas a este tópico

Encantada Antonio!!!!!!

Quanta magia neste poema maravilhosamente maravilhoso ( se é que se pode falar assim)...

Lembraste da minha ascendência europeia, que influenciou de modo incisivo a formação do meu caráter,

um misto de austríacos, e alemães de Berlim..( portanto cabeça dura)...como se diz por aqui...

Vou buscar uma cena , que vi milhares de vezes em cinema/cinema, naquelas cadeiras duras,das casas de espetáculos, da minha acanhada cidade, juntamente com meu pai

que adorava estas produções de Sissi ...vários filmes, que enredavam biografias romanceadas

sobre o Império Áustro- Hungaro, ( Kaisertum Österreich)

Vi milhares de vezes de vezes estes filmes e sempre que saía um novo ( sempre com os mesmos atores)

corríamos , eu e meu pai, e nos perdíamos na beleza do momento...

Gratíssima!!!!! é só o que posso dizer!!!!!

Estimada amiga

Não pensei em tudo que lembraste.Esta poesia é como se fosse uma prosa bela como escreves.Claro que Valsa de Strauss e vitrola foi intuitivo com relação à sua árvore genealógica.Adorei você lembrar-se do seu Pai e detalhes.Seu foi uma pessoa adorável com aqui descreves.Outra intuição foi dar um caráter espiritualista a Poesia sem tirar-lhe uma certa beleza criativa e real.
Quando terminei eu amei escrever neste estilo e saiba amiga que gosto muito do que escrevo
Feliz por teres gostado.
Parabéns mais uma vez.

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...