À Sílvia

Não te queixes...

Sim, na vida tudo passa tudo há de passar...

Como neste meu fado de memória dolente

Na alma abalada e de memória comovente,

O Tempo em forma de poesia este vai levar!

A poesia, lenitivo aos queixumes que gestou:

Ó “não te queixes... Não o faças”, tens razão,

“Inda que verdadeiros os motivos do coração”

Não te preocupes amiga a poesia me libertou!

Obrigado minha querida

e estimada amiga Sílvia Mota,

Sempre de uma forma ou de outra

tens o dom de trazer inspiração...

Bjsss de alegria e afeto.

* Irei publicar o poema completo no

Grupo Poemas Livres para que seja conferido... Tomara!

Homenagem realizada em:

http://peapaz.ning.com/group/antologia-imagem-e-literatura/forum/to...

Exibições: 13

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço