Teatralizamos até quando nos olhamos,

Bichos estúpidos, carentes e humanos.

Contra nós pensamos e nos imolamos.

Como podemos nos achar superiores,

Se não sabemos cultivar os amores?

Quanto mais avançados, mais ilhados

E preparados para invejar e arrotar;

Excrescências, riquezas e vitórias...

Muito aquém das nossas histórias;

Pálidas, rotineiras, vis e sem graça.

O que nos falta para ser e crescer?

A natureza ainda vive e nos aguarda,

Como se quisesse ser complacente,

Com quem mente e usa espingarda.

mongiardimsaraiva

Exibições: 128

Respostas a este tópico

Antonio Carlos M. G. Saraiva

Estimado amigo poeta, teu poema é magnifico,

para ler e meditar, rever valores e condutas...

Quando dizes: O que nos falta para ser e crescer?

Creio que a prática da espiritualidade pode ajudar muito,

liberando uma consciência maior com tudo, com todos...

parabéns, bjs MIL.

Sim, concordo com você. Seria necessária uma grande transformação, mas num outro sentido. Com máscaras é muito difícil... Muito honrado com a sua apreciação e comentários. Beijos MIL

Reflexão poética do mais alto jaez.

Precisamos edificar nossa revolução humana, com urgência.

Aprender a amar e a "cultivar os amores" é imprescindível.

Urgente, mesmo!

Parabéns!

Beijossssssssss

Obrigado, Sílvia! Que as nossas máscaras caiam por terra e nos identifiquemos num plano superior e mais consciente... Lisonjeado pelo comentário. Um beijo grande!

Releio.

RSS

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço