TRÍVIOLETRA TC: CALMA

C om confiança cega // Vou me acalmar // Siento la brisa (2)

A rmistício consigo // SILÊNCIO MENTAL // lucidez e paz (1)

L ento o rio // mudo, tranquilo, jaz //  espada não pára mente (4)

M ansidão é arte // entre guerra a paz // surdo e mudo sonha. (3)

A espada cuspiu fogo // em paz rezavam // paz as almas rezemos...(5)

 

Laís Müller - 1

Rafael Mérida - 2

João Furtado - 3,5

Chantal Fournet - 4

TRÍVIOLETRA TS: CALMA

A rmistício consigo // SILÊNCIO MENTAL // lucidez e paz (1)

C om confiança cega // Vou me acalmar // Siento la brisa (2)

M ansidão é arte // entre guerra a paz //surdo e mudo sonha. (3)

L ento o rio // mudo, tranquilo, jaz //  espada não pára mente (4)

A espada cuspiu fogo // em paz rezavam // paz as almas rezemos...(5)

 

 

Exibições: 198

Respostas a este tópico

A rmistício consigo// SILÊNCIO MENTAL// lucidez e paz (1)

Laís Müller - 1

Com confiança cega// Vou me acalmar // Siento la brisa -2

Rafael Mérida  2.

Muito felicitada com a vossa participação Dr. Rafael Mérida Cruz-Lascano

Muitíssimo obrigada pelo belo t

beijos

M ansidão é arte //entre guerra a paz//surdo e mudo sonha.  (3)

Adorável participação!

Feliz da vida, com tão belo t

Grata poeta João Furtado

beijos

​L ento o rio // mudo, tranquilo, jaz //  espada não pára mente(4)

Chantal Fournet - 4

Maravilhoso t Chantal!

Grata , grata e gratíssima!

Em prosseguimento ao t de João Furtado...que de modo terno e audaz nos diz que  "surdo e mudo" sonha...

Talvez apenas jaza...tal qual o leito do Rio Doce....tendo por cobertor os metais pesados, e no frio,

por agasalho o  alumínio...que por dó do declínio...muitas camadas recobrem, e encobrem , sobre o leito  revestem, tal mantilhas mudas aos mundos sem som ou calor, aos cingires complacentes ,  tal cornetas estridentes.

Assim como o rio, serão precisos dias, meses, décadas, ou quem sabe séculos, para deixar de apenas "contornar" e deixar a água estiolar, e  seguir apenas adiante, meliante do seu próprio curso!!!!

O rio não pára! tampouco a espada , nem a mente!!!!

Show!!!!!!

beijos

Querida poetisa Laís !

Feliz de teres gostado do meu t!

Estive para não escrever rio!  Mas RIO é um elemento de calma em geral e pode ter um marasmo proprio de secas! Mas cá estão as LEITURAS, que vão surgindo e que em Poesia tem essa vantagem: o leitor faz um poema dentro do poema! 

ISSO é encantador!!!!!!

Fiquei orgulhosa da tua leitura! Senti-me muito prendada!!!! ahahaaha

Imagina que pensei em pessoas e silencios mudos e surdos que são parados e que......!!! ;)

Grata a ti Poetisa! Fizeste-me ganhar o meu dia!! 

Chantal

O Rio Doce ....... fico sem sopro, ao lembrar o desastre esquecido.... 

penso que 1 seculo será o necessario para limpar esses metais pesados essas mantilhas sem rendilhados, pesadas de pecados corruptos corrosivos ......... 

2 anos......

..........

beijos

Cantal

Querida Chantal, permita-me...

O Rio Doce .......

fico sem sopro, ao lembrar o desastre esquecido.... 

penso que 1 seculo será o necessario para limpar

esses metais pesados essas mantilhas sem rendilhados,

pesadas de pecados corruptos corrosivos ......... 

2 anos......

Chantal Fournet

A espada cuspiu fogo // em paz rezavam // paz as almas rezemos...(5)

Grata querido poeta João Furtado por encerrar com nobre sentimento este nosso Trívioletra .

Onde se tecem preces, a arrogância não floresce...

Rezemos pois!

beijos

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...