RECOCER.

Trivioletra TI (Individual)

 

R. Recozimento // aquecer duas vezes// meu coração cozinha.(1)

e. Efeito da Temple// quer muito// amo você mais vezes(2)

c. condição na fogo// ele é ineficiente// mas, ambos gostam.(3)

o. ouro pedra preciosa// digo e repito  // você é minha jóia(4)

c. cair, subir // com paixão veementa   //caminho andado(5)

e. encontrar queimado//  amando muito //o desejo foi renovado(6)

r. resultou num amar// sempre sincero//Ponha a palabra(7)

 

--o-- en castellano --o—

 

r. resultado de amar// siempre sincero // pongo la palabra.(7)

e. encuentra quemado// amando mucho //el deseo se recoció(6)

c.  caída, subida//con vehemente pasión  //  camino ya andado.(5)

o. oro piedra preciosa//  digo y repito //  tu eres mi joya(4)

c. condición de fuego//no es eficaz// pero ambos gustan.(3)

e. efecto del temple// quiere mucho// te amo más veces.(2)

R. recocido //caletar dos veces// meu coração cozinha (1)

 

Dr. Rafael Mérida Cruz-Lascano

Guatemala, C. A.

 

El amor es como la comida que si alimenta, alimenta el alma, la razón, la existencia, la alegría de vivir y el espíritu. Creemos que el ritual de cocer la comida, por amor. es preparar alimentos con la sencilla motivación de la alegría que se crea al producir algo para otros.     

Exibições: 53

Respostas a este tópico

Querido Poeta  Rafael Mérida

El Palíndromo non es un Trívioletra! Compreendo sus razónes por la lectura que se hace al contrario y Recocer es siempre RECOCER!! 

PERO el Trívioletra no puede ser jamas leído al revés!!! Para ser de verdad un Trívioletra no puede jamas ser leído secuencialmente de la misma forma que en directo!

Veamos AGUA en Palíndromo AGUA es leída directa o al revés de la misma forma....

PERO en Trívioletra se debe desconstruir la palabra y nunca nunca jamas puede quedarse en la misma forma, ni tampoco se escribir letra a letra en su propria secuencia como en el acróstico! Po eso la importancia de la numeración.

veamos el ejemplo del Poeta Joao Furtado:

 ÁGUA ....... TSUGAÁ

esto es TRÍVIOLETRA! desconstruir la palabra siguiendo nuestra intuición y creando el poema en torno de 2 motes: el título y el 2º mote en el 2º verso del 1º terceto!

La numeración tampoco es aleatoria ni puede ser seguida: Non habría lo poema ni lo importante insight que el Trívioletra construye y transmite al lector.......


Y aqui RECOCER non es AÚN um Trívioletra!... pero puede transformá-lo!

Beijos de poesiaaaaa

Chantal Fournet

A salgada... O mar // vasto mistério // via nossa... Lar da Sereia (4) 

G ranizo em pedra // neve em flocos // chuva e orvalho e neblina (2)  
U ma dádiva // PRECIPITAÇÃO // trás benção e esperança (1) 
A cana doce estática // água do coco // néctares Divinos (3)  

 

TRIVIOLETRA TS

U ma dádiva // PRECIPITAÇÃO // trás benção e esperança (1) 
G ranizo em pedra // neve em flocos // chuva e orvalho e neblina (2)  
A cana doce estática // água do coco // néctares Divinos (3)

A salgada... O mar // vasto mistério // via nossa... Lar da Sereia (4) 

Querido amigo poeta Rafael,

Não resisti e, sem prévia autorização, tentei adaptar teu belo poema ao formato poético Trívioletra... Perdoa-me o atrevimento...

Elegi, nos teus versos, o segundo mote - CALETAR DOS VECES - e modifiquei a numeração de quatro versos, sob o intuito de que não constituíssem sequência, inadmitida nos Trívioletras. Somente isso.

Quanto ao "palíndromo" citado por Chantal, nada li, que me remetesse a tal formato, a não ser o título do teu poema: RECOCER. No meu entender, para que fossem palíndromos, TODOS os versos deveriam ser lidos da mesma forma, nos dois sentidos - frente para trás e de trás para a frente. Ainda que de dificílima execução, se alcançado tal objetivo pelo poeta, não considero esse um óbice à construção do Trívioletra, que, seguidas as demais regras, se manteria como tal.

Aguardarei a tua concordância e a aprovação da nossa querida Chantal, para a reorganização abaixo:

 

En castellano

 

TRÍVIOLETRA TI: RECOCER

 

R ecocido // CALETAR DOS VECES // mi corazón cocina. (1)

E ncuentra quemado // amando mucho //el deseo se recoció. (6)

C ondición de fuego // no es eficaz // pero ambos gustan. (3)

O ro piedra preciosa // digo y repito // tu eres mi joya. (5)

C aída, subida // con vehemente pasión // camino ya andado. (4)

E fecto del temple // quiere mucho // te amo más veces. (2)

R esultado de amar // siempre sincero // pongo la palabra. (7)

 

TRÍVIOLETRA TS: RECOCER

 

R ecocido // CALETAR DOS VECES // mi corazón cocina. (1)

E fecto del temple // quiere mucho // te amo más veces. (2)

C ondición de fuego // no es eficaz // pero ambos gustan. (3)

C aída, subida // con vehemente pasión // camino ya andado. (4)

O ro piedra preciosa // digo y repito // tu eres mi joya. (5)

E ncuentra quemado // amando mucho //el deseo se recoció. (6)

R esultado de amar // siempre sincero // pongo la palabra. (7)

 

Em português

 

TRÍVIOLETRA TI: RECOCER

 

R ecozimento // AQUECER DUAS VEZES // meu coração cozinha. (1)

E ncontrar queimado // amando muito //o desejo renovado. (6)

C ondição de fogo // ineficaz // mas, ambos gostam. (3)

O uro pedra preciosa // digo e repito // és minha joia. (5)

C aída, subida // com paixão veemente // caminho andado. (4)

E feito de temperamento // quer muito // amo-te mais vezes. (2)

R esultou num amar // sempre sincero // ponho a palavra. (7)

 

TRÍVIOLETRA TS: RECOCER

 

R ecozimento // AQUECER DUAS VEZES // meu coração cozinha. (1)

E feito de temperamento // quer muito // amo-te mais vezes. (2)

C ondição de fogo // ineficaz // mas, ambos gostam. (3)

C aída, subida // com paixão veemente // caminho andado. (4)

O uro pedra preciosa // digo e repito // és minha joia. (5)

E ncontrar queimado // amando muito //o desejo renovado. (6)

R esultou num amar // sempre sincero // ponho a palavra. (7)

Beijosssssssssssssss

 

Querida Silvia Mota!

O Poeta Rafael Mérida, no seu titulo inicial, tinha escrito Palíndromo/Trívioletra Individual...

Foi nessa base que escrevi meu comentário, esclarecendo documentado, que um e outro eram diferentes e porquê!

É claro que nunca iria falar disso e tão extensivamente, se para tal não tivesse existido motivo! rs

Gostei do efeito do Poema, depois de reordenado!

Teria Gostado muito que tivesse sido o seu autor Poeta Rafael Mérida a refazer ... 

beijos de poesiaaaaa

Chantal Fournet

Querida Chantal,

Também li, anteriormente, os dizeres que o nosso querido poeta inseriu no título desta página. Aliás, saliento que a sua criatividade, sob diversos formatos poéticos, excede o comum. É um poeta de grande jaez.

No meu comentário, apenas afirmo que não considero o poema em epígrafe um palíndromo (a não ser o título), mas, que não vejo óbice nenhum em criar um Trívioletra com versos palíndromos, que merecerá o título de Trívioletra-palíndromo... ainda que considere essa inovação uma proeza, apropriada ao talento de Dom Rafael Mérida Cruz-Lascano.

Quanto à reordenação apresentada, reafirmo o meu pensamento no sentido de que sejam expostos exemplos ao poeta em exercício, em particular, porque as regras do Trívioletra nem sempre são claras, até mesmo para quem maneja o idioma português. Não sou adepta das abstrações desnecessárias, no processo de aprendizagem. Por tal motivo, afirmo que não está correto e exemplifico. É preciso compreender, para depois criar. Escrevi o mesmo em: http://peapaz.ning.com/group/trivioletra/forum/topics/trivioletra-i...

Agradeço-te a gentileza da intervenção.

Beijossssssssssssss

Sou grato pela deferência das minhas letras. Colocar "Palindromo- foi apenas um comentário, e sim, entendi que confundiu.


Paramí este estilo que é extremamente reconfortante, para ter muita filosofia, ainda é novidade para mim. Então eu aceito todos os tipos de correções.

Rafael.-

Estimado poeta Rafael,

Admiro as belas aventuras que desabrocham da tua eloquente criatividade.

És um exemplo grandioso, para mim.

Beijossssssssssss

RSS

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...