Guilherme Ribeiro
Compartilhar

Amigos de Guilherme Ribeiro

  • Nieves Merino Guerra
  • Lais Maria Muller Moreira
  • Sílvia Mota
 

Página de Guilherme Ribeiro

Informações do Perfil

1 - Indicar nome verdadeiro, por completo, e o nome a ser usado no Portal PEAPAZ.
Guilherme Ribeiro
2 - Local da residência: cidade, estado e país. Por motivos de segurança, não indicar endereços completos.
Sintra, Portugal
3 - Como chegaste ao Portal PEAPAZ?
Silvia
4 - Traça-nos s tua trajetória no âmbito das artes/literatura/ciência.
Comecei a escrever cerca dos 12 anos de idade, inspirado pela poesia de autores como Pablo Neruda, Fernando Pessoa e Garcia Lorca entre outros.
5 - Concordas que utilizarás o Grupo Sensuais e Eróticos SE publicares imagens de nu explícito?
Sim
6 - Link para site/blog próprio.
http://www.guilhermeribeiro.pt
7 - Insira aqui os links para os teus perfis nas Redes Sociais.
http://www.linkedin.com/in/guiribeiro
8 - Publica três poemas, textos ou imagens da tua autoria.
Amo-te aqui…
Onde ninguém te vê
E todos te sentem
Onde o mar toca os meus sentidos
E me acorda para te descrever
Amo-te aqui e ali…
Onde o som da tua voz
Se confunde com o ruído suave da noite
Onde as estrelas
Sussurram pelos cantos do universo
Amo-te cá…
Num local onde a Lua nunca tocou
E a madrugada em tempo algum ousou pousar
Onde a vibração dos corpos é eternamente intensa
E os anjos se embriagam levemente
Amo-te…
Como se algum dia esperasse o fim da eternidade
Para te deixar um beijo no rosto

De repente o mundo ficou rápido
Tempestuoso e frio
E a água gelou
Congelou…
As árvores pararam de crescer
Os meus pássaros pararam de cantar
E a minha sentença desenrolava-se
Escrita por alguém
Num livro dourado de metal
Eu fiquei á espera
Que me fosse retirado um ultimo folego
E sem querer encontrei um pequeno ramo
Ao qual me segurei
Com força…
Agarrei-me ali sem sentido
O frio congelou-me e sentia o peito apertado
O meu coração abrandou
Eu podia agora pensar mais devagar
O mundo ficava mais lento
Mais limpo
Mais puro
Deixava-me levar
E perguntei-me como será?
Como será encostar-me aqui?
Congelar o corpo nu
Até que alguém me venha resgatar da vida
Até que alguém note que existi e que vivi

Quem me quiser falar que me chame
Já não vejo ninguém…
Se alguém me vir foi um acaso
Se alguém me reconhecer é um engano
Ou um fracasso da memória de alguns
Mergulhei convicto há muito tempo
Sob um céu de águas estagnadas
Onde outrora a água era água
Vinho era vinho
E amor era amor
Esta dor que arde dentro de mim
Num perpétuo movimento
Onde numa sinfonia turtuosa nado para longe
Até ao meu desembarque
Em terras distantes
Vivo aqui na água
Mas não dentro dela
Vivo aqui no mundo
Mas não dentro dele

Blog de Guilherme Ribeiro

Proibido

Postado em 22 junho 2016 às 8:30 0 Comentários

Talvez seja proibido

Falar nos dias que amo e nunca os conto

Talvez assim seja…

Porque por um dia falhado na vida

Serão mil anos de solidão intensa

Talvez então seja proibido

Como o sinal tão encarnado

É como quando passamos e ninguém nos passa

Quando vemos e ninguém nos olha

Quando falamos e ninguém nos diz nada

Talvez assim seja…

Vivermos na sombra do que passa proibido

Como o sinal vermelho…

Então passo devagar

E olho o mundo que…

Continuar

Caixa de Recados (13 comentários)

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Às 12:00 em 3 setembro 2017, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

PARABÉNS GUILHERME - SAÚDE E ALEGRIA - HOJE E SEMPRE!

Às 23:55 em 3 setembro 2016, Sílvia Mota disse...

Às 7:45 em 3 setembro 2016, Maria Iraci Leal disse...

Em 2:59am on setembro 03, 2016, Waulena d'Oliveira Silva deu para Guilherme Ribeiro um presente...
Presente
FELIZ ANIVERSÁRIO !!! Muita saúde e poesia ! Waulena
Em 10:39pm on julho 27, 2016, Suzanaheemann deu para Guilherme Ribeiro um presente...
Presente
OI.
Às 21:37 em 20 junho 2016, MARIA LUCIA DE MORAES disse...

Seja bem-vindo,Guilherme! Bjss no coração.

Às 19:00 em 20 junho 2016, Maria Iraci Leal disse...

Às 14:31 em 20 junho 2016, ROSEMARIE PARRA disse...

Às 20:51 em 19 junho 2016, Sílvia Mota disse...

Às 20:44 em 19 junho 2016, Nieves Merino Guerra disse...

 
 
 

© 2019   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço