José Aurélio Medeiros da Luz
  • Masculino
  • Ouro Preto
  • Brasil
Compartilhar

Amigos de José Aurélio Medeiros da Luz

  • Imelda Maria Neis Bilinski
  • MARGARIDA MARIA MADRUGA
  • Ednaldo Florentino dos Santos
  • Neuza de Brito Carneiro
  • Beatriz Teresa Bustos
  • Críspulo Cortés Cortés
  • Elías Antonio Almada
  • Etelvina Gonçalves da Costa
  • Sandra Galante
  • Nieves Merino Guerra
  • Maria-José Chantal F. Dias
  • Paolo Lim
  • João Pereira Correia Furtado
  • Zélia Mendonça Chamusca
  • Lais Maria Muller Moreira
 

Página de José Aurélio Medeiros da Luz

Últimas atividades

José Aurélio Medeiros da Luz deixou um comentário para Marcia Portella
"Cara conterrânea Marcia: Que o sol do Planalto Central brilhe para você ainda durante muitos e muitos anos. Parabéns pelo aniversário! São os votos do j. a."
9 Jun
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog – Vespertinamente Vem... – de Elisiário Luiz
"Bravo Elisiário: Os pássaros de nossos desideratos, em especial sob a vermelhidão do pôr-do-sol, sempre soem bater asas em busca de horizontes por nós sonhados. Parabéns pelo instigante poema. j. a. (um tanto…"
17 Maio
José Aurélio Medeiros da Luz curtiu a postagem no blog Dos poemas de Joaquín Ramiro Alzate y su perfil juglaresco de Zimbalo
15 Abr
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog As Ilhas de meu Ser de Antonio Carlos Santos Rocha
"Caro Antônio Carlos: Parabéns pelo belo e envolvente poema. Deveras, o zarpar com velas pandas através dos vagalhões da vida nos faculta tanto o percurso, quanto o porto buscado. É  como nas longínquas…"
15 Abr
José Aurélio Medeiros da Luz curtiu a postagem no blog POETA de Elisa Barth
24 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz curtiu a postagem no blog – Conquanto Focados Jazem: de Elisiário Luiz
24 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog – Conquanto Focados Jazem: de Elisiário Luiz
"Nos enigmas dos versos, a atualidade da miríade de olhos eletrônicos, que nos seguem, sem nenhuma piscadela,  os desencontros dos gestos e  até dos sentimentos.  abraço do j. a."
24 Mar
Beatriz Teresa Bustos e José Aurélio Medeiros da Luz agora são amigos
17 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz curtiu a postagem no blog - Ah Essa Fosforescência de Elisiário Luiz
14 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz curtiu a postagem no blog EL PARAÌSO de Elisa Barth
14 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog EL PARAÌSO de Elisa Barth
"Cara Elisa: tocante texto; o verdadeiro El-dorado que procuramos há eras talvez seja essa imponderável sensação de comunhão e de partilha, passageiros que somos dessa bolinha de gude girante pelo cosmo.…"
14 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog - Ah Essa Fosforescência de Elisiário Luiz
"Híper Elisiário: Belo poema, onde a tropicalidade inebria as névoas convidativas do amor. Abraço do j. a."
14 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog Inocencia atrevida de Elías Antonio Almada
"Caro Almada: Congratulações pelo belo poema. Junte-se ar angelical e  sorriso maroto e temos uma mulher com todos os sortilégios do gênero. Abraço, j. a."
9 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz curtiu a postagem no blog Inocencia atrevida de Elías Antonio Almada
9 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog Minha cantiga brasilo-galaico-portuguesa de José Aurélio Medeiros da Luz
"Obrigado pela gentileza do seu incentivo, meu caro Críspulo. Ainda mais, quando o poema aborda parcialmente um falar quando o português e o castelhano eram ainda mais (que hoje) "romances irmãos", e mal saídos…"
3 Mar
Críspulo Cortés Cortés comentou a postagem no blog Minha cantiga brasilo-galaico-portuguesa de José Aurélio Medeiros da Luz
3 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog Coração doido de Neuza de Brito Carneiro
"Parabéns, cara Neuza, pela homenagem a essa bombinha emotiva e resistente que nos dá o alento, conquanto nos tire o sossego com frequência desconfortável. Abraço do j. a."
3 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog Estilicídio de José Aurélio Medeiros da Luz
"Fico  deveras feliz pela empatia demonstrada, cara Maria Cristina, de um modo pictórico tão gentil. Quando falamos de infância sempre estaremos falando com o coração. Abraço."
2 Mar
María Cristina comentou a postagem no blog Estilicídio de José Aurélio Medeiros da Luz
2 Mar
José Aurélio Medeiros da Luz comentou a postagem no blog Minha cantiga brasilo-galaico-portuguesa de José Aurélio Medeiros da Luz
"Obrigado, caro Elisiário: bom ver que a nossa "última flor do Lácio", desde os suas primeiras pétalas até a sua atual configuração, com as mil acresções de África,…"
2 Mar

Informações do Perfil

1 - Indicar nome verdadeiro, por completo, e o nome a ser usado no Portal PEAPAZ.
J. Aurélio Luz
2 - Local da residência: cidade, estado e país. Por motivos de segurança, não indicar endereços completos.
Ouro Preto
3 - Como chegaste ao Portal PEAPAZ?
Convidado
4 - Traça-nos s tua trajetória no âmbito das artes/literatura/ciência.
Brasileiro, goiano, professor da Universidade Federal de Ouro Preto (Minas Gerais), na área de engenharia de minas. Sócio quotista fundador da Jornada Lúcida Editora Ltda. Colaborou em duas antologias e publicou dois livros de poemas lusófonos e tem ainda na gaveta outros três, programados a sair a lume, espaçadamente, até 2018. Uma centena de artigos e capítulos de livros na área de engenharia de minas (em vernáculo ou em inglês), a maioria em coautoria. É membro da Academia de Ciência de Ouro Preto e Região (ACIOP). Crê que o bom uso da cultura e da ciência pode transcender o "Homo sapiens" muito para além dos limites biológicos da ordem dos primatas.
5 - Concordas que utilizarás o Grupo Sensuais e Eróticos SE publicares imagens de nu explícito?
sim, mas não cogito publicar esse tipo de coisa
6 - Link para site/blog próprio.
https://ufop.academia.edu/Jos%C3%A9Aur%C3%A9lioMedeirosdaLuz/Poetry
7 - Insira aqui os links para os teus perfis nas Redes Sociais.
jaurelio@demin.ufop.br
8 - Publica três poemas, textos ou imagens da tua autoria.
"Meu poema virtualmente antropofágico; dá licença?"

E havia aquela pedra no meio do caminho.
Assim, ante a enorme pedra no caminho,
O trajeto bifurcou-se, gerando outro caminho.
E, a seu tempo, a cada qual desses caminhos
Houve uma nova pedra atravancando o caminho.
Bifurcaram-se novamente os dois caminhos
Expandindo-se a área palmilhada do terreno
Em quatro novos caminhos, que seguiam
Em sua função de permitir
O avanço do viajor rumo ao destino.
E pedras novas postaram-se a meio dos caminhos
E novas bifurcações as superaram.
Então, entre pedras e bifurcações, alguns caminhos
Se fundiram novamente, insulando
Os antigos obstáculos
E, nesse procedimento recorrente,
Ao final se teve esta visão:
Em anastomose, facultando todos os itinerários,
Um arquipélago fractal
De pedras mil aprisionadas
Dentro de um mar de caminhos,
Resultando – por assim dizer –
Mil pedras jacentes ao lado dos caminhos.
(Minaçu, 1998; do livro "Tempos de Vindima", de 2014).

"Meu mundo e a lua"

Lua, minha amada companheira,
Tu que és para mim
Branca cadela que vagueia à noite,
Buscando, no espaço, ninho entre as estrelas,
Por que não vens te enrodilhar mansinho
Sobre o tapete, ao pé de nosso leito?
Faz frio aí fora e a aragem
Está de enregelar os ossos!
Deixa o apelo das canções da noite
Que o vento suscita na ramagem úmida:
Que minha vigília vele teu sono
E que durmas ao pé de nossa cama,
Até que os clarins luminosos da alvorada
Te desvaneçam as formas, que, de tua presença,
Fique só a impressão de que foi tudo um sonho.
Então, a minha mulher companheira
Há de acordar, a meu lado, e cheia de zelo,
Irá me perguntar se tive insônia...
(Belo Horizonte, 1987; do livro "Tempos de Vindima", de 2014).

"Pervagância"

Visando a não perder os passos pelos descaminhos
Desta pluma de tempo a se escoar
Da chaminé das horas,
Peregrinos em busca de nirvana,
Da sombra de oásis a nos dessedentar,
Vamos seguindo assim por esta região,
Tostada pela seca e na expectância
De dias mais úmidos.
E eis que, qual novo Leonardo,
Em pareidolia reconfortadora,
Nas gretas dessa argila de ressecamento,
Entre cem grifos, hidras e dragões,
Vislumbramos de você tão-que-perfeita
Face de mui serena ninfa, sim.
Delicada miragem, fantasia,
A se esfumar, espadanando-se na bruma,
Assim que miramos
Para além daquele tremeluzir
De éter bailante sobre o difuso
Ocre das dunas no amanhã,
Colossalmente imemoriais.
Concluímos, afinal, que as esfinges,
Se é que as há
(E dizê-lo dói-nos um bocadinho),
Habitam, ao fim e ao cabo,
As penumbras de nosso mundo interior;
Remirando-nos
Desde nossa silente sala dos desejos,
Abismais.
(Ouro Preto, 2016; do livro "Um óvni em meu jardim",de 2016).

Blog de José Aurélio Medeiros da Luz

Minha cantiga brasilo-galaico-portuguesa

Postado em 1 março 2018 às 10:30 11 Comentários

Minha cantiga brasilo-galaico-portuguesa

J. A. Medeiros da Luz

 

Mudam-se os ventos, se mudam

As nuvens, tôdolos tempos.

E na ermida da montanha

Houve eu vista de…

Continuar

Estilicídio

Postado em 28 fevereiro 2018 às 13:00 11 Comentários

Estilicídio

J. A. Medeiros da Luz

 

Outrora, em pequenino, o lento gotejar

Da chuva dos beirais de todos os telhados

Levava sortilégios, mistérios da vida

Pra…

Continuar

Meu cubo esferoidal (recuerdo de lejana niñez)

Postado em 18 fevereiro 2018 às 17:00 6 Comentários

Meu cubo esferoidal

 J. A. Medeiros da Luz

 

Eis que, meditabundo à varanda

De nossa morada cá nas Alterosas,

Rumino minha adultez de décadas,

No lembramento de queridos entes.

E, como os filamentos da memória se entrelaçam,

Vem à baila uma dúvida de antanho:

 

Em que praia esquecida abandonei

Minha amada bola quadrada,

— Multicolorido cubo

Estufado de…

Continuar

Condicionamento: um poemeto entre Skinner e Pavlov...

Postado em 18 fevereiro 2018 às 14:30 7 Comentários

Condicionamento

J. A. Medeiros da Luz

 

Estapafúrdias teorias dos humanos

A explicar a conduta de mil deuses,

A vagarem por interstícios dimensionais

De cordões de milésimo de angstrom

Da tessitura do espaço-tempo,

Em busca aflitiva do que fazer e

Do que suscitar do nada para a luz.

 

E o primata bípede a todos cataloga!

Explica,…

Continuar

Caixa de Recados (16 comentários)

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Às 9:36 em 28 fevereiro 2018, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

A data em que viestes ao Mundo
Hoje festejamos unidos contigo
Desejando-lhe Felicidades
no apertado abraço AMIGO!!!

FELIZ ANIVERSÁRIO!

Em 3:24am on fevereiro 27, 2018, Marcia Portella deu para José Aurélio Medeiros da Luz um presente...
Presente
Que a paz esteja sempre presente em sua jornada...Parabéns por seu dia especial...
Às 10:06 em 13 fevereiro 2018, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

BOM DIA - BOM CARNAVAL!

A vida é um "carnaval";

Pena que de vez em "sempre" algumas máscaras caem...  - Paula Liron

Às 13:28 em 11 fevereiro 2018, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

TOP MEMBERS DOMINGO DE CARNAVAL - 6º LUGAR - PARABÉNS!

Às 13:46 em 9 fevereiro 2018, Etelvina Gonçalves da Costa disse...

Obrigada caro José´Aurélio escreveu o que verdadeiramente meu poema quer exprimir a mensagem que deseja deixar a quem o lê na integra e o entende nos dois quartetos e dois tercetos  o que exprimimos do nosso sentimento tem a mensagem nem sempre compreendida pelo leitor . meu caro poeta experiente soube bem encontrar a palavra que exprime o todo.. um forte abraço 

Às 17:17 em 17 dezembro 2017, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

BEM VINDO POETA JOSÉ AURÉLIO!

É um prazer receber sua amizade.

Às 12:19 em 13 novembro 2017, Sandra Galante disse...

Bem vindo!

Às 12:19 em 13 novembro 2017, Sandra Galante disse...

Em 4:53pm on novembro 06, 2017, Marcia Portella deu para José Aurélio Medeiros da Luz um presente...
Presente
Seja bem-vindo...
Em 9:46pm on fevereiro 28, 2017, Etelvina Gonçalves da Costa deu para José Aurélio Medeiros da Luz um presente...
Presente
Meu caro aqui lhe deixo os meus votos de imensa felicidade paz saude e amor neste aniversário e que daqui a um ano o possa vir felicitar com muit alegri. Um abraço parabéns..
 
 
 

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço