Rosimeire Lea, da Motta Piredda
Compartilhar
  • Mensagens de blog
  • Tópicos
  • Eventos
  • Grupos
  • Fotos
  • Álbuns de Fotos
  • Vídeos

Amigos de Rosimeire Lea, da Motta Piredda

  • Maria Iraci Leal
  • Lais Maria Muller Moreira
  • Marcia Portella
  • Sílvia Mota
 

Página de Rosimeire Lea, da Motta Piredda

Últimas atividades

Etelvina Gonçalves da Costa deixou um comentário para Rosimeire Lea, da Motta Piredda
16 Abr
MARGARIDA MARIA MADRUGA deixou um comentário para Rosimeire Lea, da Motta Piredda
"PARABÉNS ROSIMEIRE - PROSPERIDADE E SAÚDE!"
16 Abr

Informações do Perfil

1 - Indicar nome verdadeiro, por completo, e o nome a ser usado no Portal PEAPAZ.
Rosimeire Lea, da Motta
2 - Local da residência: cidade, estado e país. Por motivos de segurança, não indicar endereços completos.
Vila Velha - ES - Brasil
3 - Como chegaste ao Portal PEAPAZ?
Fui Convidada por Silvia Mota
4 - Traça-nos s tua trajetória no âmbito das artes/literatura/ciência.
Comecei a escrever aos 15 anos, seguindo o exemplo da minha mãe, que usava a escrita como uma maneira de expressar seus problemas pessoais. A outra influência foi a leitura, pois por ser tímida, passei a maior parte da minha adolescência lendo.

Meu primeiro trabalho literário foi "MEU IDEAL DE POESIA" (prosa), escrito aos 15 anos.

Desenvolvo o estilo Simbolismo, onde a vida interior é revelada por meio de símbolos. Existe a postura romântica, centralizada no "eu", explorando as camadas mais profundas do subconsciente e inconsciente... interioridade... poesias endereçadas à emoção... romantismo... idéias envoltas em sombra, em névoa... Na verdade, não sei explicar como adquiri este estilo, possivelmente deve ter sido porque sempre fui tímida e tinha vergonha de falar sobre mim de maneira clara e então inconscientemente, usava objetos materiais e abstratos para representar o que sinto. A Inspiração não tem hora para chegar; quando estou triste os textos brotam com maior facilidade, mas me encanta olhar uma foto, imagem ou desenho fixamente, analisando o que vejo, o que está me transmitindo e os sentimentos ocultos.

Quantidade de Livros e textos produzidos

1.º Livro – Voz da Alma – 11 Crônicas – 04 Contos – 37 Poesias

2.º Livro – Eu Poético – 01 Crônica – 05 Contos – 54 Poesias

3.º Livro – O Cair da Tarde - 01 Crônica – 00 Contos – 32 Poesias

Total - 13 Crônicas – 09 Contos – 123 Poesias

Escrevia com frequência, mas depois que o meu pai e o restante dos meus familiares faleceram, parece que perdi a inspiração. O livro o cair da tarde, chama-se assim porque comparo a morte com o fim da tarde, escrevi este livro em homenagem ao meu pai. Éramos cinco – faleceram em- meu irmão em 1991, minha mãe em 1994, meu pai em 2007 e minha irmã em 2012. Fiquei sozinha e foi uma situação muito triste, mas reencontrei um rapaz que estudou comigo quando tínhamos 06 anos e nos casamos em 2013.

Não consigo escrever mais nenhum texto, nem poesia. Não sei para onde foi à poesia que havia em mim. Minhas ultimas poesias são as que estão no livro O CAIR DA TARDE. Estou tentando voltar a escrever
5 - Concordas que utilizarás o Grupo Sensuais e Eróticos SE publicares imagens de nu explícito?
Nao escrevo este tipo de poesia, tampouco uso estes tipos de imagens.
6 - Link para site/blog próprio.
http://www.rosimeiremotta.com.br/
7 - Insira aqui os links para os teus perfis nas Redes Sociais.
https://www.facebook.com/profile.php?id=100000975458189&sk=about
8 - Publica três poemas, textos ou imagens da tua autoria.
01 - NO PEITO UMA CAVERNA
Rosimeire Leal da Motta


A estrutura do meu ser é uma rocha.
O meu interior foi dissolvido pela água da chuva,
ocorrendo uma série de processos geológicos:
uma combinação de transformações
químicas, tectônicas, biológicas e atmosféricas,
formando uma cavidade rochosa no meu peito!
Ao redor: paisagem cerrada, relevo acidentado,
alta permeabilidade do solo,
permitindo a absorção rápida das decepções!
Minha alma especializou-se em viver
em ambientes escuros e sem vegetação nativa.
O meu “eu” está refugiado numa caverna.
Esconderijo seguro contra os animais selvagens da vida!
Lágrimas desenharam no chão, desenhos,
arte rupestre dos desenganos!
Evidências arqueológicas mostraram
que eu sou da idade da pedra,
com uma mente fechada para as mudanças!
Perdi-me no tempo,
coloquei uma barreira na entrada do meu coração.
Escondi-me de mim mesma,
fechei as portas para o sol da manhã!
Isolada, morria aos poucos e não sabia.

- Esta poesia pertence ao Livro
"O Cair da Tarde" - Editora CBJE - RJ - Julho/2012 -
Poesia e Prosa.


02 - PAISAGEM DESÉRTICA
Rosimeire Leal da Motta

(Obs.: Poesia escrita logo após a morte do meu pai, Pedro Sabino da Mota – 1912/2007)

O meu coração foi coberto por um manto de areia,
tornou-se um deserto sem a sua presença.
Vaguei por todos os lados buscando-te,
perdi-me na paisagem desértica.
Grandes barreiras montanhosas
dificultam a chegada de nuvens úmidas.
Minhas lagrimas são impedidas de deslizar pela face:
conformada estou que a sua partida é eterna!
Nesta região de dunas onduladas,
sua fisionomia sobrevoa minha mente,
num vai-e-vem de recordações.
Nesta terra seca,
encontrei um oásis onde a sua existência é quase real:
o sol não queimou as lembranças!
Avistei um cacto cujas folhas armazenavam água:
saciei a sede da sua ausência!
Outras plantas tinham longas raízes
que penetraram fundo em minha alma:
seus traços são indestrutíveis!
Nesta zona árida, o calor na temperatura máxima,
vi algo logo a frente:
Uma pessoa caminhava.
Adivinhei quem era.
Saí correndo para abraçá-lo, mas sumiu!
A miragem brincava com a minha saudade!
A reflexão da luz solar criou uma ilusão.
Um lagarto passou por mim ignorando-me.
Sensação de abandono.
O vento soprou forte espalhando a areia.
Vazio.

- Esta poesia pertence ao Livro
"O Cair da Tarde" - Editora CBJE - RJ - Julho/2012 -
Poesia e Prosa.


03 - ESCULPINDO UMA POESIA
Rosimeire Leal da Motta

Dois artistas se uniram
para criar uma obra de arte.
Utilizaram materiais belos e perenes.
Inspiraram-se na ternura mais profunda
que sentiam um pelo outro!
Escreveram uma história de amor
e a perpetuaram com seus sangues!
Linguagem humana retratando um momento vivido a dois.
Expressão de um sentimento especial!
A matéria-prima dos poetas é a paixão que os torna um!
Poder criativo delineando uma arte poética,
despertando a sensibilidade do belo.
Um ser inicia seu processo de crescimento:
desenvolvimento do feto gerado no útero.
Após nove meses, o conjunto de obras em verso,
tomou forma, abriu os olhos e chorou de emoção!
Era uma poesia viva,
esculpida em relevo total.
Lirismo em toda sua extensão!
Fruto da união de um homem e de uma mulher
que se amaram e eternizaram este afeto.
Um filho: visão emocional do estado da alma.
Porém, ali há também,
a assinatura de Deus.

- Esta poesia pertence ao Livro
"O Cair da Tarde" - Editora CBJE - RJ - Julho/2012 -
Poesia e Prosa.

Caixa de Recados (18 comentários)

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Às 17:20 em 16 abril 2018, Etelvina Gonçalves da Costa disse...

Às 13:52 em 16 abril 2018, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

PARABÉNS ROSIMEIRE - PROSPERIDADE E SAÚDE!

Às 23:17 em 16 abril 2017, Sílvia Mota disse...

Às 22:58 em 16 abril 2017, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

FELIZ ANIVERSÁRIO ROSIMEIRE!

Às 18:20 em 16 abril 2016, Sílvia Mota disse...

Em 4:48pm on abril 16, 2016, Waulena d'Oliveira Silva deu para Rosimeire Lea, da Motta Piredda um presente...
Presente
FELIZ ANIVERSÁRIO !!! Muita saúde e poesia ! Waulena
Em 11:17am on abril 16, 2016, Dione Fonseca de Barros deu para Rosimeire Lea, da Motta Piredda um presente...
Presente
Felicidades hoje e sempre .Abraços pelo seu aniversário poeta
Em 8:12am on abril 16, 2016, Neusa Marilda Mucci deu para Rosimeire Lea, da Motta Piredda um presente...
Presente
Parabéns pelo aniversário !
Em 2:42am on abril 16, 2016, Mauro Martins Santos deu para Rosimeire Lea, da Motta Piredda um presente...
Presente
ROSIMEIRE NESTA SUA DATA MAGNA DE VIDA, DOU-TE MEUS PARABÉNS E A CONVIDO SER MINHA AMIGA PEAPAZ. ABRAÇO!
Em 12:49am on abril 16, 2016, Maria Iraci Leal deu para Rosimeire Lea, da Motta Piredda um presente...
Presente
FELIZ ANIVERSÁRIO,SAÚDE,PAZ E AMOR, ALEGRIA,BEIJOS MIL.
 
 
 

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço