maio 2010 Posts no Blog (354)

Amplidão

Passo após passo
ao compasso
do coração
aqui passo
sem espaço
sem emoção.
É estreita a porta
mas o que importa
é, para lá da porta,
a amplidão.

Adicionado por Jaime da Silva Valente em 31 maio 2010 às 23:11 — 3 Comentários

Amanhã, 01 de junho, em toda rede a edição de Junho-Literacia. Inaugurando novas seções: - Filosofia e Humanidades, Vozes da Escola , Novos Talentos, Depoimentos e Notícias. Em nosso Centro de Estudo…

Amanhã, 01 de junho, em toda rede a edição de Junho-Literacia.

Inaugurando novas seções: - Filosofia e Humanidades, Vozes da Escola , Novos Talentos, Depoimentos e Notícias.

Em nosso Centro de Estudos, conteúdos importantes para Professores e Escritores.

Visitem:…



Continuar

Adicionado por analuciaandradededeabrãomerij em 31 maio 2010 às 11:56 — Sem comentários

Entre a Mão e a Tela

(para Alfonso Prellwitz

por ocasião da exposição no Centro Brasileiro Britânico)





acrílico sobre tela/90







Entre a mão e a tela, um vão,

Voam tintas, galegas parrudas deitam

Como pedras lisas sob canteiros;

Um traço, um caibro,

Desabrolham o pintor por toda parte.



Entalha cor para a trama bruta

Pavimenta fronteiras secretas;

Matagal – que o artista desemaranha

Nas… Continuar

Adicionado por Soaroir de Campos em 31 maio 2010 às 11:00 — 2 Comentários

NOVA ESTRADA

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 31 maio 2010 às 10:30 — 2 Comentários

Antagonia

Soaroir

31/5/10



By: Stefano Martini

Equipment: Canon EOS 30D, SanDisk 1.0 GB

Extreme III - 133X, Tamron SP AF90MM F/2.8 Di Macro 1:1





quê seria da princesa

sem a feiticeira e a fada

quê seria do príncipe

sem a vitória régia

um brejo e um beijo...

e o poeta então

que seria dele

não fosse a metamorfose

em alegria, da tristeza

e da saudade em… Continuar

Adicionado por Soaroir de Campos em 31 maio 2010 às 8:00 — Sem comentários

FIBS REFLETIDO e INVERTIDO da Série "Canções e Re-Versos"



“... Foi assim como ver o mar, a primeira vez que meus olhos se viram no teu olhar...” – Todo azul do mar- Flávio Venturini







FIB Refletido



Tons



Claros

Azuis

Esverdeados

Transparecem luz

Clarão incandescendo meu olhar

Amplo Horizonte

A se abrir

Infindo

Teu



Meu





FIB Invertido



Foi como luz a… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 30 maio 2010 às 22:30 — Sem comentários

Campo de Emoções

De sorrisos e lágrimas

Vai vivendo o meu coração.

Às vezes, ele ri na tristeza

Outras, ele chora calado

Numa felicidade passageira.

Sempre faço do meu coração

Um campo fértil de emoções...

Mas, ele sempre está minado

Por tuas doces lembranças,

Por tua amarga falta.



Por outro lado, ainda,

Nesse campo nascem,

Rosas espinhosas, raras...

Belas rosas ensolaradas

Que me fazem… Continuar

Adicionado por Cláudio Avelino em 30 maio 2010 às 15:00 — 2 Comentários

LENÇÓIS FLORIDOS



Deitar-me-ei nestes lençóis floridos

A doirar minha suave pele;

Escorregarei por este jardim

E abraçarei meu bem querer.



Nos desejos loucos vejo-te

A carregar-me nos braços;

Tão forte e viril é teu laço

Então...afago-me neste espaço.



Os sonhos vem, vão e não voltam

Se não souberes sonhar;

Apego-me com veemência

Para não deixar de te amar!



Nestes lençóis… Continuar

Adicionado por Marcia Moreno em 29 maio 2010 às 23:26 — Sem comentários

SOU JASMIM



Melhor calar o que sentimos do que

manifestar a quem não consegue

compreender.



O silêncio é melhor que palavras e

teu olhar eu leio, então...calo-me!



Fazes-me assim, fria e uma geleira,

escondendo em mim um calor cheio

de desejos de estar em teus braços

e que beije-me até que enlouqueças-me!



Mas...sofro com tua ausência,

com tua indiferença, calando o meu

desejo,…
Continuar

Adicionado por Marcia Moreno em 29 maio 2010 às 23:12 — 2 Comentários

Amor Apaixonante



Amor Apaixonante



Busco-te, sonho constante.

Encontro-te, desejo incessante.

Procuro-te, vontade dilacerante.

Tenho-te, beijo provocante.

Acorro-te, toque excitante.

Recebo-te, mãos fascinantes.

Anseio-te, aroma marcante.

Acho-te, gosto inebriante.

Desejo-te, voz murmurante.

Acolho-te, abraço aconchegante.

Quero-te, respirar vibrante.

Amo-te, pessoa… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 22:04 — Sem comentários

Minha Obra....



Minha obra...



Meu versejar mistura-se aos meus afetos. São expressões de mim que não se separam.

Nós que não desatam.

As mulheres que sou, somam-se todas em mim, múltiplas, não aceitam divisões. Completam-se, interagem e só por vezes esvaziam-se de mim. Querem respirar.Experimentar a solidão.

Não as amarro ou cerceio. Abrigo-as junto aos sentimentos.

Delas sou confessa, a elas entrego-me em confissão.… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 21:56 — Sem comentários

Meu " Blue"



Meu blue...





Na terra de índio,

Sou Arara Azul,

Pinto-me de céu

Sou leve sou blue...



Mas tempos que chove

Faço-me de cinzas,

Sou sombras, disforme

Sou ave, ferina...



Ah,

Aqui na minha terra tem as cores que vibram,

Azul é meu preferir, verde é o idealizar...

Quero com paz e respeito viver...

Sonhos de verdade realizar...



Por um MUNDO… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 21:48 — Sem comentários

AÇAÍ poético



AÇAÍ Poético



Alimentas meus desejos despertos

Suprindo ânsias: de ti de poesia

Por isso a ti oferto meus versos

Quero dizer da tua inegável magia...



Tua cor, ah como atrai

Linda, forte, vibrante

Vinho vivo, cor alegre

AÇAÍ, que cor marcante...



E a textura? Cremosa!

Sumo grosso, consistente!

Sorvo-te, te como, contente

Fruta esperta e… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 21:43 — Sem comentários

Cosendo da vida pedaços...



Cosendo da vida pedaços...





Tinha mania de colecionar. Guardava tudo. Caixas vazias, ingressos usados, ticket de passagens seja de que transporte fossem, canetas sem tinta, pequenos vidros vazios, aquilo que para a maioria das pessoas parecia estranho, lhe era normal. Uma certa época colecionava conchinhas da praia, noutra sementes que achava diferente, houve um tempo que colecionou pequenos, pequeníssimos pedaços de… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 21:39 — Sem comentários

Girassóis Interiores....

Girassóis interiores

Não os tenho ao alcance da visão, mas insurgem no jardim imaginário do meu ilusório.

Amarelos, degradantemente amarelos, eloquentemente e em quantidades variáveis, nos vasos ou cortados, um delírio visual precioso e necessário para o alegrar. Qual o Sol. Girassóis infligem a regra da delicadeza de um jardim, abundando em tamanho, exuberando na cor, são convidativos, plenos, intensos, chegam a parecer ter… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 21:34 — Sem comentários

Sobre meus Rios...( Os Rios da minha Aldeia)





Sobre meus Rios...



“O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,

Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia

Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia...”( Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XX"

Heterônimo de Fernando Pessoa






“... Olhando Belém enquanto uma canoa desce o rio

E um curumim assiste da canoa

Um… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 21:28 — Sem comentários

Amazonas (Um canto de saudades...)



Amazonas (Um canto de saudades...)



Amável e revolto,

Em ti um dia depositei meus olhos de maresia

No teu leito descansei meu olhar de lua,

Meu pranto, meu pratear...



Ama_Zonas,

Sonhei-te,

E acordei alagada em densos e turvos desalinhos,

Qual és tu, qual tu és...



Desafiaste meu olhar vazio, e a mim propuseste poesia,

Amazonas dos meus dias,

Rio da minha inteira… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 29 maio 2010 às 21:25 — Sem comentários

O Homem Errado



Por vezes indago-me,

será que amei o

homem errado?

Parecia meio desajustado

meio que embriagado

dançando desengraçado.



Será que amei o

homem errado?

Parecia um sobrevivente

dentro de suas lentes

e deixava-me muito contente.



Será que amei o

homem errado?

Parecia papel laminado

brilhava dentro de um quadrado

no nosso quarto inacabado.



Será que amei…
Continuar

Adicionado por Marcia Moreno em 28 maio 2010 às 19:30 — 2 Comentários

Pai

(Imagem retirada da internet)



À luz do luar,

o teu rosto tisnado

tem a grandeza do sol!



Tuas mãos calejadas

têm desenhados os caminhos

do tempo e das partidas da vida!



E no inenarrável sonho

que é ser teu filho faz-se viva

a memória de canções velhas

que aprendi a trautear

em noites de estórias

com sabor a família.



Deixa que me aninhe nos teus braços

e volte a… Continuar

Adicionado por Paulo César em 28 maio 2010 às 18:30 — 1 Comentário

Tempo inócuo

(Imagem retirada da internet)



Não temo o sorriso,

nem as asas brancas dos anjos,

ou o afago das tuas mãos

frias,

tampouco o teu olhar envolto

em silêncio e lágrimas...



Temo a solidão

das palavras coadas,

a aspereza dos gestos

agressivos

e o abandono das horas

redondas e vazias,

quando o luar se apaga

e a manhã ainda se enrosca

nos lençóis da madrugada.



Temo… Continuar

Adicionado por Paulo César em 28 maio 2010 às 15:30 — 1 Comentário

Arquivos mensais

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

1999

Membros

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...