julho 2010 Posts no Blog (352)

Saudade _TAUTOGRAMA





Saudade (Tautograma)



Saudade,

Só sentindo

Sabe-se sim.

Só sorrindo, suporta-se...

Sei,

Sonhos são sentenças segredadas,

Sei,

Sobreviver, sombras segregadas.



Sustos?

Só se sucumbir sem saber...



Sementes,

Soerguer suavemente,

Soberanamente salvaguardar-se,

Substituir saudades,



Somente… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 31 julho 2010 às 20:42 — 6 Comentários

Luzes e cores ao teu chegar - Frases Diversas

Frases:

Quando encontro teu olhar, afugento a solidão. Chega a alegria que rouba o lugar do vazio, traz preenchimento.





Quando imagino que tu vens, já é florido o meu olhar. Eis que tu chegas, o Sol acalora e orvalha o jardim, sou flores regadas de ti.





Sonho-te e me ponho a navegar, são nuvens de mar, no céu tenro e doce da tua boca. Faço navio de teus beijos, e vou, teus mares a… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 31 julho 2010 às 20:31 — Sem comentários

Enigmas do teu olhar - Trovas



Enigmas do teu olhar _ Trovas

I

O teu olhar quis entender

Um dia ousei em vão decifrar

Nas retinas li o querer

Sublimado a me falar.



II

Depois mudou o traduzir

Veio a dor do desfeito encanto

Castelos vãos do iludir

Sonhos se fizeram pranto.



III

Quero mas não saberei

O que quer teu olhar dizer.

Esfinge que guardarei

Olhos sem nunca… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 31 julho 2010 às 20:17 — Sem comentários

Poesia da Cura - Indriso



Poesia da cura



Fazer poema, encontrar razão.

Alheio, escutar letras e vontades.

Rascunhar o querer que vem do coração.





Pintar as telas vindas do intenso e fundo

Buscar no poço as palavras afligidas

Salvar do abismo o sonho mais profundo.



Esquecer a dor, sanar rancor, curar feridas.



Caçar nos negros versos a cor azul da… Continuar

Adicionado por Escrever é partilhar em 31 julho 2010 às 20:10 — Sem comentários

Paixão (O Lado Escuro)



Oxigênio. Silêncio solto no ar,

Na escuridão que embriaga a noite,

Seus olhos gritavam de desespero,

Na mata fechada sem disfarce.





Ninguém mais à volta ou em parte alguma,

Seu corpo petrificado, dolorido e imóvel,

Sua honra dilacerada ao longo de intermináveis minutos,

Sua boca sentia o gosto de saliva alheia, capim e azedume.





Nojo e asco são os despertos sentimentos… Continuar

Adicionado por Wellington Fontes Menezes em 31 julho 2010 às 17:50 — 3 Comentários

Um beijo...

(Beijo # Imagem obtida na internet)





Um beijo dou a ti...

Outro igual também a ti..

E outro do mesmo tamanho a ti...



E um, sem tamanho, imenso,

descomunal,

tridimensional e mais ainda,

a todos vós

que amais o belo que é ser

poeta ou aprendiz de feiticeiro

das palavras sonoras,

caladas,

silenciosas,

rutilantes,

lustrosas,

ou tão somente elas… Continuar

Adicionado por Paulo César em 31 julho 2010 às 17:42 — Sem comentários

Dormindo com o inimigo

Soaroir 31/7/10



"Eu durmo comigo e se quiseres dormir comigo

terá que ser ao meu lado"












durmo

às vezes tarde

outras divido o tempo

depois do almoço

e do Jo



sem roteiro

eu durmo

quando chega o sono

ou o cansaço

de dormir comigo

o que não é fácil



meu acompanhante

tem que estar cheiroso

bem banhado e barbeado

sem meias… Continuar

Adicionado por Soaroir de Campos em 31 julho 2010 às 15:31 — 1 Comentário

Dá-me...

(Dádiva - Imagem obtida na internet)



Dá-me flores, e poemas, e beijos...

e um labirinto de músicas suaves

onde eu me possa perder feliz!



Dá-me a luz do teu olhar

e acende o caminho de volta

ao imorredoiro lugar do amor!



Dá-me a leveza dum sim,

mas não fales por palavras

o que me apetece por gestos!



Dá-me o já dado, repetidamente...

Prometo pedir-te sempre o impossível

na… Continuar

Adicionado por Paulo César em 31 julho 2010 às 15:14 — Sem comentários

Poema deslumbrado...

(Alma - Ponto luz # Imagem obtida na internet)



Desfaleço nos braços da noite

e adormeço no colo do luar

como se a poesia fosse

ainda

o lençol de linho

que minha avó punha a corar

ao sol do meio dia.



Que sei de palavras

tão cheias de odores

como as rosas nascidas

do ventre da terra

ou as papoilas rubras

sacudidas pelo vento?



Deixem-me dormir mansamente

até que a… Continuar

Adicionado por Paulo César em 31 julho 2010 às 15:02 — 1 Comentário

Pesadelo

(Pesadelo # Imagem obtida na internet)



framboesas, cristais, preces...

olhos cegos de ver mais além...

surdos homens que já nada têm

e só encontram dores e stresses...



pedidos de almas que tu esqueces

enquanto corres em busca do bem...

dores agudas, abandono, desdém,

que rasgam a carne onde adoeces!



é teu o grito que oiço e não vejo,

que sei existir mas que tanto esqueço...

é tua a… Continuar

Adicionado por Paulo César em 31 julho 2010 às 15:00 — Sem comentários

Onze horas

Adicionado por Eliza Augusta Gouveia Gregio em 31 julho 2010 às 11:11 — 2 Comentários

Mãe

Adicionado por Eliza Augusta Gouveia Gregio em 31 julho 2010 às 11:00 — 4 Comentários

Coração trancafiado

Resolvi trancafiar meu coração...

Sofrer...já não quero desgosto não...

Ficar nesta bendita ilusão...

Melhor descansar na prisão!



Esse coração sofrido...

Por vezes tão dolorido...

Já não suporta a dor...

Dessa inseparável solidão!



Decidi não mais sofrer...

Arrancarei do meu peito...

Este amor desfeito...

Que agoniza desde o verão!



Já não vejo saída...

Prefiro a… Continuar

Adicionado por Marcia Moreno em 31 julho 2010 às 6:30 — 5 Comentários

A todos... todos os poetas e escritores da PEAPAZ!



Bali Hotels



Ah! que bonito, que ardor!

é tão bom ver-te a escrever

nesses teus versos de amor,

coisas lindas de se ler!…





Continuar

Adicionado por Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 31 julho 2010 às 4:36 — 3 Comentários

FAZ DE CONTA

Faz de conta, amor...

Só faz de conta!

Que o dia é de sol,

Que a praia é mansa!

Que o mar e o céu são azuis

Que as nuvens são brancas!

Entre o arrebois.

Que acordam os pássaros

E os faz adormecer!

Da manhã e do entarder

As ondas terminam na areia

E brincamos de vai-e-vem!

Pisando na branca escuma!

Esperando a lua nascer!



Faz de conta, só faz de conta.

Se chover,

Que a grama é verde

Que a chuva é… Continuar

Adicionado por Deo Sant'Anna em 31 julho 2010 às 2:09 — 2 Comentários

NEGÓCIOS Á PARTE

NEGÓCIOS À PARTE



- Me dá aqui.

- De jeito nenhum.

- Como, não? Eu vi primeiro.

- Mas quem pegou fui eu.

- Leonardo. Eu não quero partir pra ignorância.

- Está insinuando o que. Vai me agredir?

- Se for necessário.

- E a nossa amizade?!

- Amizade é uma coisa. Negócios à parte.

- Crápula.

- Miserável. Ridículo

- Se você quer jogar duro. Olha só que vou fazer com isto.

- Você está louco. Não faça isso.

- Se continuar… Continuar

Adicionado por Sérgio Tadeu Furlan em 30 julho 2010 às 23:21 — Sem comentários

Lampejos

 

Flutuo como uma pena

em manto interminável de insônia...

Quando…

Continuar

Adicionado por Marcia Portella em 30 julho 2010 às 21:00 — 5 Comentários

PODER DAS PALAVRAS

Palavras têm poder, ainda que fingidas...

Depois de solta ao ar não podem ser contidas

Podem ferir, matar...cortar tal qual punhal,

Podem fazer o bem, podem fazer o mal...



Quais finas facas, são! Afiadas, bem cortantes...

Pelo poder que têm não devem ser rasantes!

Ou ditas sem pensar, de modo assim banal...

Palavras têm poder, pois têm força vital!



Quais bumerangues são, retornam sempre a… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 30 julho 2010 às 17:55 — 1 Comentário

MÃE, EU TE AGRADEÇO!



Eu te agradeço, mãe, por esta vida

forjada lá no ventre teu profundo,

por tudo que aprendi, por este mundo,

contando sempre com tua guarida!



Agradecida eu sou, por ter esteio,

por ter teu colo e ter o teu abrigo,

por teu amor e teu abraço amigo,

por ter sorvido a vida no teu seio...



Eternamente grata eu sou por tudo,

por teu olhar macio, qual veludo...

Por teus cuidados, prenhes de… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 30 julho 2010 às 17:50 — 1 Comentário

VIDA MINHA

VIDA MINHA...

*Gilda Pinheiro de Campos*



Meu amor, minha vida...

Onde anda você? Por que caminhos

está que não lembra mais de mim?



E você tempo maldito que leva com tudo,

minha mocidade, esperança e fé...

Meus melhores e mais lindos sonhos de amor...

Por que não desacelera

e me devolve aquilo que me tirou sem dó?



Só restam lágrimas, tristeza, desesperança...

Sinto tudo terminando lentamente, como uma tortura

que não… Continuar

Adicionado por Gilda Maria Quintero em 30 julho 2010 às 17:40 — Sem comentários

Arquivos mensais

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

1999

Membros

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...