novembro 2010 Posts no Blog (524)

ENTRE ESPINHOS E ALGODÃO

Encontro-me diante de uma paineira

árvore frondosa nos dá algodão de presente,

tronco e caules banhados de espinhos

Ah... o que é a natureza!

O que nos diz, nesse jeito de ser,

uma paineira repleta de espinhos,

dando-nos frutos de algodão?

Qual a mensagem que a natureza insiste em nos dar?

Talvez...

que a vida nos permite

viver as adversidades

Talvez...

que a tristeza e a alegria estão presentes no

caminho do ser humano.

...… Continuar

Adicionado por Vania de Castro em 30 novembro 2010 às 22:30 — Sem comentários

Giro em sol

Giro em sol,com

meus olhos negros

acompanhando seu

poente,suavizado

pelo brilho âmbar

do crepúsculo.

Posto minhas

pétalas amarelas,

adormeço,esperando

o sol me acordar.

Ao sentir sua luz,

sorrio,corpo

inclinado, para a

fonte de calor

e prazer.

Eu mulher girassol,

me ofertando,ao sol



Marcia portella

Imagem Google

Go_10/08/2009

Publicado no…

Continuar

Adicionado por Marcia Portella em 30 novembro 2010 às 19:00 — 7 Comentários

SÁBANAS BLANCAS-- FOTO DE ROSALÍO CASTILLO BRAND- VENEZUELA-

FOTOGRAFÍA DE ROSALÍO CASTILLO BRANDT-VENEZUELA…

Continuar

Adicionado por Nieves Merino Guerra em 30 novembro 2010 às 18:30 — Sem comentários

Vida como ciência.



Encanto-me a observar as

Belezas sem fim que escondem-se

Nas entrelinhas do viver,

Como raízes de seringueiras que

Transformam-se em troncos.



Água, luz, lua, mar, rios, cactos,

Vida e amor seguem um ritual.

O oceano cheio de vida,

A paz que sinto num olhar.

Alegria, Amizade, Harmonia.



Cada minuto que passa

Jamais volta, a não ser lembrança.

Faz parte de um elo… Continuar

Adicionado por Arlete Brasil Deretti Fernandes em 30 novembro 2010 às 17:40 — 8 Comentários

SILENCIOSA AGONIA

Na calçada imunda, fétida e dura

Chora o menino, drogado, com frio

O corpo apodrecido e a alma pura

Pendurada apenas por um frágil fio



Buzinas, fumaça e gente apressada

Todos imunes à desgraça alheia

Muitos podem, ninguém faz nada

Menino-inseto debatendo-se na teia



Meio-dia... A fábrica apita

E apesar da dor lancinante

O guri não soluça nem grita

O fio se parte... Último instante...



Não é incômodo nem estorvo

Os… Continuar

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 16:22 — 1 Comentário

IMPOSSIBILIDADES

O tom da voz

a força e o vigor que emanam da sua presença

o brilho intenso dos olhos vivazes

a importância dos seus assuntos

o peso da sua eloquência

a intensidade das suas idéias

a profundidade da abordagem

a pureza das intenções

a grandeza dos seus pensamentos

a genialidade da sua busca

o absoluto respeito

o carinho e o amor que em tudo emprega

e o verdadeiro prazer que sente

na presença de outro ser humano

na… Continuar

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 16:21 — Sem comentários

POESIA EMPRESARIAL

A Camargo Corrêa

não Vale um Doce

no máximo Del Valle

um Pão de Açucar



mas em achar

que a gente é bobo

quem bate o Record

é a Rede Globo



petro-dólares

petro-reais

Petrobrás

preto-bras



nova Aurora

novo Dia

e a Perdigão

fica mais Sadia



enquanto a Alcoa

tá numa boa

a Dow

tá super down



a Varig alçou voo

e marcou um belo Gol

deixando a Tam

mais que… Continuar

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 16:16 — Sem comentários

Alunos da professora Zuleica Barbosa de Juiz de Fora, lêm meu O Sono das Fadas

Quando fui receber a medalha de Mérito TIRADENTES, da FALASP, depois de encerrado o concorrido e organizado evento, doei um dos exemplares de meu livro a uma pessoa muito simpática, com quem me encontrei na ante-sala, que falou a respeito de ler a história para as crianças para quem leciona. Ela pediu que autografassee o fiz.

isso foi ontem.Hoje, ao acordar, encontrei um recado dela, dizendo que estava enviando fotos.

para minha surpresa, já eram os seus alunos, lendo o… Continuar

Adicionado por Clevane Pessoa em 30 novembro 2010 às 16:10 — 1 Comentário

Permita-me, arrepiar-te



Permita-me, arrepiar-te

permita-me fazer sua pele suar

permita-me despertar

teu desejos

permita-me fazer-te

perder os sentidos

permita-me ouvir teus gemidos

permita-me ser devasso

permita-me tudo que faço

permita-me que eu te desfaleça

permita-me e isso não é promessa

permita-me em uma noite inteirinha

permita-me ser pura e simplesmente

minha...



gilson… Continuar

Adicionado por gilson costa brito em 30 novembro 2010 às 14:21 — 1 Comentário

Amor // Solidão - [Marcial Salaverry e Sílvia Mota]



Amor

Marcial Salaverry





Noite chorosa,

teria sido gostosa,

com teus beijos...





Solidão

Sílvia Mota…
Continuar

Adicionado por Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 30 novembro 2010 às 13:30 — 3 Comentários

ESCÚCHAME...DESEO HABLARTE - Iª Parte-

.

Escúchame,

deseo hablarte...…

Continuar

Adicionado por Nieves Merino Guerra em 30 novembro 2010 às 13:00 — Sem comentários

JARDIM DO AMOR

minhocas firmam

borboletas confirmam



numa linda manhã de domingo

o céu cor-de-rosa flamingo



uma festa florida

uma orgia colorida



a margarida

atrevida



a violeta

xereta



dálias

só de sandálias



um narciso

indeciso



o jasmim

super a fim



e a flor-de-lis

quis



brincadeiras

entre trepadeiras



cactos erectus

no leito do… Continuar

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 10:25 — 1 Comentário

LUGAR DE PRESTÍGIO

Na cidade de Quindim

no alto da montanha do pudim

nevada de glacê rosê

existe uma cereja mágica



é lá que brota o rio de chocolate

que desce caudaloso

e derrama granulados

e fios de ovos

no vale do bolo de pão-de-mel

recheado de frutas e flores



doce deleite em mil folhas

pura sensação

dos deuses o manjar

e um perfume de caramelo no ar



céu de brigadeiro

nuvens de mousse

gêiseres de chantili

e… Continuar

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 10:24 — Sem comentários

POR AMOR

Cobre-me
Qual cobertor
Engole-me
Nesse torpor
Dilatando-me
Nesse vapor
Dissolvendo-me
Em teu sabor
Mimetiza-me
Com tua cor
Diluindo-me
Na tua dor
Esquenta-me
Com teu calor
Leva-me
Pra onde for
Ainda que por amor
Rolo compressor

Sigmar Montemor

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 9:56 — Sem comentários

A CONSTANTE

Infinitas retas
Tangem
O círculo da vida de um homem

Cada uma
Numa
Direção

Gerando
Um raio
De ação

Muitos raios
Diâmetros
E áreas

Infinitas
Opções
Geométricas

Só Deus
É PÍ
Uma constante

Coisas
De outras
Esferas

Sigmar Montemor

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 9:55 — Sem comentários

Osmosis Platonic Apollonian Dionysian

Mix of men and gods
between the material and the spiritual
between chance and codes
spontaneous and the ritual


Mixture of circumstances and genetics
on the threshold of the need and desire
combination of organized and frantic
tangency on the ice and fire


Sigmar Montemor

Adicionado por sigmar montemor em 30 novembro 2010 às 9:35 — Sem comentários

Dilúvio sem aviso



Dilúvio sem aviso



Vestisse vermelho para esperar o inverno

Que pena, a chuva torrencial matou as flores

Por trás dos janelões que te guarda

O sorriso acinzentado apagado

Tal qual o vermelho que amarelou...



Tudo foi assim tão de repente

O céu escureceu as copas das árvores alvoroçaram

O dia tornou-se noite

O amor que seria de sol enegreceu

Nem a lua pode sair para… Continuar

Adicionado por Jamaveira Marx em 29 novembro 2010 às 20:30 — 3 Comentários

ELA... EXISTE!



Ela estava bem ali... Adormecida!

Recôndito e mágico sonho que inebria

Pior é que eu já sabia que um dia...

Iria dar de cara com seu semblante



E falei a ela bem assim meio imponente:

Tudo em ti desperta a minha atenção

Estremece e arrepia dos pés ao coração

É produto do sopro divino da inspiração



Escreverei muitos poemas relembrando...

Deste belo momento inefável e mágico

Onde…
Continuar

Adicionado por Hildebrando Souza Menezes Filho em 29 novembro 2010 às 19:07 — 1 Comentário

VOA PENSAMENTO

.

Tem o espanto!
Mas tem o sentimento.
Da vida a alforria
Liberdade por um dia.
*
Calmo e tão sereno.
Num vôo pleno
A mente a se voar.
Daí se começa a pensar
*
Em domínio que não se faz.
Do coração a sorrir!
Expande de vez a paz.
*
Não uma simples coisa a buscarmos.
Do horizonte estonteante beleza.
Em visualização a própria natureza.

Adicionado por elio candido de oliveira em 29 novembro 2010 às 17:06 — 2 Comentários

OS SONS DE CRISTAIS.

A canção que traz na noite a paz

E nos conduz a madrugada

Até mesmo ao eterno amanhecer

Noites de ternuras e prazer.

Pessoa às vezes extenuada.

*

Tem a lembrança que vem acompanhar

O dia que tentamos logo vê-lo terminar,

Cansaço a nós tanto atormentar

As gargalhadas incluídas no consciente

*

Numa bela e terna composição.

Falando para os boêmios a paixão

Aos amantes que seja só ilusão.

*

A noite tem uma razão.

Tem… Continuar

Adicionado por elio candido de oliveira em 29 novembro 2010 às 17:05 — 2 Comentários

Arquivos mensais

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

1999

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...