Todas as mensagens do blog (31,501)

Teu perfume na minha cama (Resposta à Tertúlia Poética nº 1)

Quanto tempo faz que não te vejo!
São duas horas da manhã e eu não te esqueço!
Lembro-me de você como uma rosa branca
e o teu perfume invade a minha cama...

Eduardo Rodrigues Tavares
Cabo Frio, 19 de abril de 2010.

Adicionado por Eduardo Rodrigues em 19 abril 2010 às 22:55 — 6 Comentários

Lamento

Ah! Natureza!
O que será das matas
Se as estamos destruindo?
Onde estarão os pássaros
Se os vi fugindo?


Eduardo Rodrigues Tavares.
Cabo Frio, 19 de abril de 2010.

Adicionado por Eduardo Rodrigues em 19 abril 2010 às 21:57 — Sem comentários

Elo Quebrado

Elo Quebrado

Poema de Carlos Magno



Quem ama sem ser amado,

Perde a visão de repente.

Troca o certo pelo errado

e na verdade não sente

que quando um elo é quebrado

ele solta da corrente.

Mas amor é um sentimento

que ninguém pode evitar.´

É feito chuva de vento

varrendo as águas do mar.

É fogo do pensamento

que faz o peito queimar.

Por isso a gente suspira

num verso ou numa canção,

pisando um chão de… Continuar

Adicionado por Carlos Magno em 19 abril 2010 às 18:36 — 2 Comentários

EU E ELA & ELA E EU

essa irmã gêmea,
siamesa, atrevida,
separou-se de mim;
mas, pérfida,
estraçalha minha vergonha,
olha-me e de mim zomba e ri.


Flor da Madrugada.
1º de março de 2010.

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 18:30 — Sem comentários

Andarilha andarilho



Cântico! Cântico! Cântico!

Tua voz recorta o ar

e andarilho vaga pelo falo do teu corpo.



Amor! Amor! Amor!

Rascunho palavras ao céu

e andarilho pela finitude dos teus seios.



Tesão! Tesão! Tesão!

Teu sexo – diferente - afunda-se no…
Continuar

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 18:00 — 2 Comentários

Hoje, um dia especial!

Ao te beijar em público,
assim, daquela forma apaixonada,
que somente nós entendemos,
nada percebi de estranho...
nada, nada percebi...
nenhum dedo em riste...
Terá sido, Igualdade?

*************
Flor da Madrugada.
27 de janeiro de 2009.

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 18:00 — 1 Comentário

Além das Montanhas

...fim de tarde.
Além das montanhas, atrás de vastas plantações,
rubro sol se vai num derradeiro adeus.

A noite vem lenta e mansamente
com seus anjos que trazem esperança aos ateus.
Almas recolhem-se em preces esperando por um novo poente...





(Cristina Bonetti)

Adicionado por Cristina Bonetti em 19 abril 2010 às 18:00 — Sem comentários

Quero e não quero!

QUERO-TE! TE QUERO!



AMO-TE!

TE AMO!



QUERO teu corpo engalfinhado ao meu,

a sussurrar os suores dos nossos pecados!

QUERO teu dom de espalhar pelo meu céu,

as estrelas-gemido dos teus desejos!



Mas...

Ah!...

NÃO QUERO o cancro do preconceito

que ostentamos por nós mesmas!



******************

Flor da Madrugada.

São Paulo, 22 de janeiro de… Continuar

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 18:00 — Sem comentários

Conceda-me esta honra!

Permita-me transitar ao teu lado

Nesse mundo de estrelas,

Que faíscam poesia

Para todos os lados.

Permita-me entrar no teu recanto

E entender o sentimento,

Que flui do teu coração

De poeta apaixonado.



Permita-me!

Não te farei mal,

Quero aprender a sorrir,

Com o sorriso fluido

Que transborda das tuas letras.

Permita-me!

Não sou o que dizem,

Ou o que pensam que sou.

A leviandade não me… Continuar

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 17:30 — Sem comentários

...folhas secas abandonadas...

Ouço choro nas madrugadas
confuso com lamentos
que vêm das almas esquecidas;
folhas secas abandonadas
ou assopradas pelo vento.

Algo que se confunde despertando
eternos e profundos temas
aos escritores sensíveis
enquanto esboçam
seus poemas.





(Cristina Bonetti)

Adicionado por Cristina Bonetti em 19 abril 2010 às 17:30 — Sem comentários

Nascimento de Deus? Quem é?

Se devo preocupar-me
Com o aniversário
E a existência ou inexistência
De um ser superior,
Nesse momento
Em que sou discriminada
Até pelo meu outro Eu?
Não será perda de tempo?!!


Flor da Madrugada.
20 de dezembro de 2009.

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 17:30 — 2 Comentários

Duas em uma

Pouco importa

se não gostas de mim,

porque eu me gosto

e muito!

Ignoro tua estupidez,

tua inveja

e teu preconceito.



Sou rosa e cravo, ao mesmo tempo...

Talvez, não consigas

sentir meu perfume,

mas ele está no ar.

Apura o olfato!





*************************

Flor da Madrugada.

25 de novembro de…

Continuar

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 17:30 — Sem comentários

Romeu & Julieta

Quem sou?

Romeu?

Então, sou ateu.

Julieta?

Então, sou asceta.



Crença... que importa?

Se Romeu ou Julieta,

Tenho força no olhar

E rebolado no andar,

O resto... que se esconda atrás da porta!





*************************

Flor da Madrugada.

7 de outubro de… Continuar

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 17:00 — Sem comentários

...beira de estrada...

Na beira da estrada,
vejo um corpo cansado; um coração machucado;
uma alma sofrida, querendo ser amada.

O corpo estraçalhado
ainda acredita que essa beira de estrada
será apenas um passado.





(Cristina Bonetti)

Adicionado por Cristina Bonetti em 19 abril 2010 às 17:00 — Sem comentários

Minha amada

Estás faminta.

Tenho carne em meu corpo,
Que sobeja,
Aveludada
e traz gosto de cereja.

Estás faminta.
Penso em te matar a fome
Que alimenta
Angustiada
A mulher que se esconde em mim.

Flor da Madrugada.

Adicionado por Flor da Madrugada em 19 abril 2010 às 17:00 — Sem comentários

...pérolas de outrora...

MARINHEIRO PERDIDO,
O QUE HÁ NO TEU SER ESCONDIDO?


...brisa da alvorada,
porto de um sonho aventureiro,
guitarra lírica da lua,
pérolas de outrora,
oferendas luminosas,
arco-iris de cintilantes cores...

Já não partirei sozinho oceano afora;
lua prateada sobre mim flutua!





(Cristina Bonetti)

Adicionado por Cristina Bonetti em 19 abril 2010 às 17:00 — Sem comentários

A DOR DO AMOR

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 19 abril 2010 às 16:43 — 2 Comentários

Anjo sem Asas

Tem a rua por morada;
vento frio seu sono embala.

Papelão por cama na calçada.

Suplica migalha;
lágrima nos olhos por muitos blasfemeada.

Anjo sem asas.




(Cristina Bonetti)

Adicionado por Cristina Bonetti em 19 abril 2010 às 15:00 — Sem comentários

...orquídeas na rocha...

...eis uma doce e nova cantiga
vinda da fonte misteriosa que a alma chama.

Entre orquídeas na rocha,
pétalas frias como cristal e um corpo se encontram.

...eis uma alma peregrina
que adormece e delira vivendo a ilusão de uma nova vida.





(Cristina Bonetti)

Adicionado por Cristina Bonetti em 19 abril 2010 às 14:00 — 1 Comentário

Que anjo é este?

Tarde da noite, vejo aos pés da cama,
um anjo com asas prostradas,
rosto sofrido e corpo cansado.

Desfocados, seus olhos tristonhos
refletem lembranças de infância
e entes queridos em remoto passado.

Tenho medo.
Que anjo é este?
A insônia e seu segredo.





(Cristina Bonetti)

Adicionado por Cristina Bonetti em 19 abril 2010 às 13:30 — 1 Comentário

Arquivos mensais

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

1999

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...