Todas as mensagens do blog (32,592)

Doce amar

Dos grilhões importunos pensei livre estar.
Deixei o sol minha pele acariciar.
Encharquei-me nas águas gélidas do mar.
Dancei sozinha à noite, ao vento, ao luar.
Vaguei pela rua. O teu nome a murmurar.
Colhi pelos jardins flores p´ra te ofertar.
Entendo agora, depois de muito andejar,
Não me salvei, querido, do teu doce amar...

Mardilê Friedrich Fabre

Adicionado por Mardilê Friedrich Fabre em 25 maio 2010 às 11:08 — Sem comentários

A SAUDADE A ENGRAVIDOU

A SAUDADE A ENGRAVIDOU



Minha Poesia é bem singela

Mas orgulhosa se envaideceu

Hoje se debruça namorando à janela

Caprichosa, de vento o coração encheu.

A saudade a engravidou

Anda nua em liberdade e pureza

As cores ao arco-íris namorou

E ao verbo livre do pensar roubou beleza.



E eu me sinto nela como afluente

Dum rio que corre ao mar

Levo comigo saudades na corrente

E as… Continuar

Adicionado por natalia canais nuno em 25 maio 2010 às 11:00 — 3 Comentários

SÚPLICA À DIONISIO

Duas taças de vinho sobre a mesa,

Os teus braços meu corpo conduzindo...

Nesse tango “caliente”, a vela acesa,

Embriagada de amor, te seduzindo!



O tremor dessa vela, com leveza,

No meu corpo, sensível, vai luzindo.

Sei que a noite nos guarda uma surpresa,

E o desejo, entre nós, vai traduzindo...



Oh! Dionísio! Em qualquer lugar que estejas

Eu saúdo-te e imploro em cada taça,

Desse vinho que… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 25 maio 2010 às 8:19 — 1 Comentário

BACANTE (Ressentimento)

Bacante! Tu me chamas, com ironia

Perdida e só no pélago da vida,

Nas alvacentas brumas, tão vencida!

Um simulacro só, sem galhardia!



Mísera nau, ao léu, sem luz do dia!

Assim me tens, bacante, só, perdida...

E que lasciva, nua, desmedida,

Tão sem pudor, se entrega à luxúria!



No teu olhar não vejo mais o lume,

Daquele amor que fora meu antanho

Ficou tristonho, sem… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 25 maio 2010 às 8:14 — Sem comentários

Intolerâncias





Music Playlist Ringtones



CLÁUDIO AVELINO DA COSTA, O POETA DOS… Continuar

Adicionado por Cláudio Avelino em 25 maio 2010 às 3:30 — 2 Comentários

COISA MAIS SEM GRAÇA

COISA MAIS SEM GRAÇA

NALDOVELHO



Tem um vento arruaceiro

desarrumando o quarto,

trazendo cheiro de mato,

notícias dos longes,

verdades trazidas

nem sei bem de onde,

e uma certa inquietude,

coisa difícil de explicar.







Tem uma certa nostalgia

desencravando histórias,

resgatando memórias,

sentimentos guardados,

cicatrizes que ainda doem,

se tocar ainda sangram,

e a saudade diz presente,

diz… Continuar

Adicionado por Naldo Velho em 24 maio 2010 às 23:57 — Sem comentários

RIO DE JANEIRO!



O Rio de Janeiro é um poema,

Escrito com seus morros, suas praias

De areias quentes, brancas quais cambraias...

Replenas de beleza tão suprema!



O Cristo Redentor é seu emblema,

E existe mais beleza em suas raias,

As matas, onde cantam mil jandaias...

O mar que beija o sol na unção extrema!



O mar que molha a barra da cidade,

E vai roçando, ébrio, as beiras suas,

Num vai e vem febril… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 24 maio 2010 às 21:53 — 2 Comentários

TRAGO UM RIO DENTRO DE MIM



TRAGO UM RIO DENTRO DE MIM



Trago um rio dentro de mim

Vem de longe, faz tempo este rio

Trago um sonho danado sem fim

E vou recordando para esquecer o vazio.



Trago um rio dentro de mim

E o caudal é a saudade

Brota nos meus olhos sem fim

E é sonho entrelaçado com a realidade.



Trago as mãos cheias de nada

E meu coração palpitante

Desfolho palavras… Continuar

Adicionado por natalia canais nuno em 24 maio 2010 às 19:47 — 6 Comentários

VEM POR AQUI!

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 24 maio 2010 às 16:26 — 2 Comentários

HORA SACRA



A tempestade amaina e a fina chuva cai

O sol retorna lento e a tarde já declina...

E a brisa, sem cessar, batendo na colina,

Murmura uma canção, que tanta paz atrai.



Toda tormenta finda e o vento se retrai,

E contra a luz se vê a chuva calma e fina,

Distante e tão sozinho o canarinho trina,

Soltando, com fulgor, um canto que se esvai...



Por sobre o largo rio encantos mil se vê,

Canoas que… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 24 maio 2010 às 15:00 — 1 Comentário

Deixa-me só...



Deixa-me só...



Não atormentes o meu silêncio

com palavras inúteis

ou um sorriso macilento

que traga consigo o odor

a bafio

e uma quase aspereza

com sabor a castigo

sem perdão!



Deixa que me embale no abandono

duma viagem sem destino

como se buscasse a pedra filosofal

ou o elixir da eterna juventude

ainda que as lágrimas

caiam no âmago do mesmo… Continuar

Adicionado por Paulo César em 24 maio 2010 às 10:30 — 5 Comentários

Poetas e Escritores Amigos,

Amigos,

Estou a cata de escritores- professores de TEOLOGIA , FILOSOFIA e LITERATURA , PARA PUBLICAR SEUS TEXTOS EM : http://revistaliteracia.blogspot.com/



Quem poderia me ajudar?





Gostaria tb. de publicar os Poetas e Escritores desta Rede.

Quem desejar colaborar na Edição de Junho de Literacia , ficarei muito feliz em divulgar cada um.

[ POEMAS, CONTOS,… Continuar

Adicionado por analuciaandradededeabrãomerij em 24 maio 2010 às 8:47 — Sem comentários

OS TEUS FANTASMAS

Os teus fantasmas seguem-me nas ruas,

Nos vãos das noites minhas, tão vazias,

Nos meus lençóis em que também dormias,

E nos desvãos de minhas carnes nuas...



Os teus fantasmas são verdades cruas

Que roubam toda a luz destes meus dias,

E tornam minhas noites tristes, frias...

Replenas de saudades, que são tuas.



Os teus fantasmas calam minha lira,

Meus pobres versos... Deixam-me vazia...

E no… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 24 maio 2010 às 8:30 — 2 Comentários

PARADOXOS DO COTIDIANO



Mas que coisa ambivalente

Esse tal do cotidiano...

Sempre igual fico doente

E se muda eu já reclamo!



E dizem que mata o amor!

Mas sem ele não se vive

O que fazer meu Senhor

Pra que dele não me prive?!



Se ficas muito comigo

Já me sinto sufocada

Entanto teu amor bendigo...



Veja que coisa engraçada!

Canso de viver contigo

E sem ti eu não sou… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 24 maio 2010 às 8:25 — Sem comentários

OH!DEIXEM-ME VIVER PAIXÕES DIVERSAS!



Oh!Deixem-me viver paixões diversas!

De suas chamas, quero todo o lume,

Também luxúrias, mesmo controversas

Daquelas que se vão com seu perfume...



Oh! Paixões! Mesmo que das mais adversas!

Que sejam etéreas, como é costume,

E deixem sempre as marcas mais perversas...

Vivê-las, quero, antes que me escume...



Que sejam ais, quimeras, só loucuras...

Eu as quero, sim, sem medos! Quero,… Continuar

Adicionado por Edir Pina de Barros em 24 maio 2010 às 8:18 — 1 Comentário

Passado é fundamental...

imagem/google

Soaroir
23/5/10

sem o meu passado eu pouco
ou nada seria
além de cega, surda e muda -
passado é fundamental...

presente, um vestibular
para futuro doutorado...



(releitura de "Pretérito mais-que-perfeito"
Soaroir/2006)

Adicionado por Soaroir de Campos em 24 maio 2010 às 7:44 — 1 Comentário

Sórdida Fome

Sórdida fome que maltrata

Destrói, humilha e mata...

Essa gente tão simples e gentil.

Das nuvens não cai chuva nem nada

Aos céus elevam-se preces e súplicas mil

Reza o sofrido povo...

Pedindo clemência por essa

Seca que destrói a vida e a dignidade,

Por essa fome que ceifa

As almas de seus filhos a fio.



Dos céus caem raios que arrasam

Racham a terra, a pele e a alma...

Desse povo… Continuar

Adicionado por Cláudio Avelino em 23 maio 2010 às 23:30 — 1 Comentário

Som das Águas

O teu vestido de bronze molhado

Esconde tantos segredos!

Fazendo os meus sonhos percorrerem,

Como a água, o teu corpo perfeito...



E em teus pés correm sem destino,

Essas águas que banham tua pele

Como os desejos que ora tenho tido

A espraiar-se em meus pensamentos...



O… Continuar

Adicionado por Cláudio Avelino em 23 maio 2010 às 23:30 — 1 Comentário

Se Tiveres Fé

Pode todo o Universo

Mover-se contra ti

Usando toda força

Que tiver,

Todo poder

Que nele existir.



Certamente ele usará

A eternidade do tempo

Para te mostrar friamente

Quão insignificante

É o teu curto caminho.



Usará ele, o destino

Para justificar

As punições e… Continuar

Adicionado por Cláudio Avelino em 23 maio 2010 às 23:30 — 1 Comentário

Arquivos mensais

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

1999

Membros

Designers PEAPAZ

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

*Reinaldo*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço