Todas as mensagens do blog (32,104)

Mãe... minha mãe

Agradeço a Deus

por te ter

a me compreender.

Por todo o meu viver,

quero estar

sempre ao teu lado

a te amar.



Ficaste comigo,

não me abandonaste

e, tenho certeza,

jamais abandonarás

um filho teu.

Isso é muito bom

e que continues assim,

amando parentes e amigos

e que sejas abençoada,

porque tens um coração enorme.



Não aceitas mágoa...

Acho mesmo que nem sabes

o que seja… Continuar

Adicionado por Eduardo Rodrigues em 10 abril 2010 às 19:18 — 6 Comentários

Rio de Janeiro, ao mar revolto das omissões, clama por solidariedade!



penetration testing



Chuva forte!



Águas fortes caem dos céus!

Saio livre às ruas...

deixo-me molhar!



Águas fortes lavam-me o…
Continuar

Adicionado por Sílvia Mota em 10 abril 2010 às 14:00 — 6 Comentários

Melancolia

Melancolia

 

Perdi meu Eu

Pelos cantos sujos

De uma Natureza construída

Por um deus qualquer!



Perdi meu Eu

Pelos perfumes das flores

De uma Natureza glorificada

Por quem não…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 10:00 — 5 Comentários

Meu riso Demócrito

Meu riso Demócrito

 

Ah! Padre Vieira!

Como descobriste a essência

Dos risos que choram?

Escondo a cara manchada

De mentiras

E mesmo assim

Ultrapassas meus risos

Que transcendem o escárnio

Por…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 10:00 — Sem comentários

Eu posso falar de melancolia

Como Heráclito, choro,

A lamentar o efêmero que se foi.

Num mundo irreal,

Construído ao amparo da sobrevivência,

Conto as gotas da Vida

Ao conta-gotas da Morte.

E, enquanto os sonhos

Não me permitem morrer,

Escrevo sobre a melancolia da Vida.



A mim, compete escrever sobre melancolia,

Pois somente ao melancólico cabe fazê-lo.

A ninguém…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 10:00 — 1 Comentário

Não quero chorar, mas choro!

 

Fragmento de ser humano,

razão sem poder de decisão,

caminho na cegueira a mirar a dor

e minha finitude parece infinita!



Imploro para ir embora,

mas as algemas, lacradas

com o fedor da vida,

não me libertam!



Essa melancolia que me consome

transforma-se em patologia do Mal,

e, numa absurda expressão do pranto,

gargalho do meu…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 9:30 — Sem comentários

A morte arrebatou meu sonho de amor

A morte arrebatou meu sonho de amor

 

Desceu dos infernos,

Com a boca escancarada de sorrisos

E deitou-se entre nós

Indecente,

Envolvente,

Concupiscente...



Ao descuido do meu paraíso,

Permiti que se instalasse

No meu…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 9:30 — Sem comentários

Só, em tudo... até em ti!

Só,

Trafego nas vias do teu desejo...



Sei tuas preferências,

Teus caminhos mais saborosos,

As palavras todas que desejas ouvir!

Sei, não porque possua o dom da magia,

Mas, porque implorei que me dissesses!

Implorei entre beijos e orgasmos...

E me disseste, tanto!



Trafegas pelas vias do meu desejo...



Nada sabes de mim,

Nem dos meus caminhos,

Nem das palavras que desejo ouvir!

Não…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 9:30 — Sem comentários

Não quero ser só, mas sou!

Caminho por caminhos doidos (doídos?),
Solitariamente, assim, só!
Nem minha sombra covarde
Quer acompanhar-me.
Pede-me que pare.
Não paro!
Insiste.
Vou só!
Só.

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 9:30 — Sem comentários

Só não aceito o perdão!

Aceito o corpo que trepida no chão

Aceito o sangue que escorre

Aceito a sombra do passado

Aceito o abandono

Aceito a saudade

Aceito a culpa

Aceito o luto

Aceito a dor



Só não aceito o perdão!



No fogo deste inferno

Ardo minha dor

Perco-me só

Na…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 10 abril 2010 às 9:30 — Sem comentários

Piquete, Cidade-Paisagem



Piquete, Cidade-Paisagem…
Continuar

Adicionado por Mariinha Mota (In memoriam) em 10 abril 2010 às 1:00 — 1 Comentário

Ao Salvador Augusto

Filhinho, tão querido, és no mar da distância

a nossa Estrela-Guia, o Anjo da Ternura,

que as horas abençoa e enche de fragrância

como linda florzinha perfumada e pura.



As saudades, somente calmáveis com a prece,

são procelas rugindo em nosso coração;

aos singultos da dor, nossa boca emudece,

nos momentos profundos de introspecção.



Oh! luz dos nossos sonhos! Temos a…

Continuar

Adicionado por Mariinha Mota (In memoriam) em 10 abril 2010 às 0:30 — 1 Comentário

Minha solidão em ti

Essa solidão

Que me deixa

No absoluto

Encontro de mim

Com meus espectros.



Essa solidão

Que faz de mim

Um outro ser

Com o qual dialogo

Em silêncio.



Essa solidão

Que me obriga

À acareação de mim

Por mim, sempre

E sempre.



Essa solidão

Que delira

Ao decompor

Pensamentos mortos

Num corpo vivo.



Nessa…

Continuar

Adicionado por JCVMoura em 9 abril 2010 às 22:30 — 2 Comentários

...NO CORAÇÃO DO MEU JARDIM

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 9 abril 2010 às 15:00 — 1 Comentário

ENTRE POEMAS E FLORES

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 9 abril 2010 às 15:00 — 1 Comentário

ETERNA PAIXÃO

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 9 abril 2010 às 15:00 — 1 Comentário

AMÉM

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 9 abril 2010 às 11:30 — 1 Comentário

ORAÇÃO

Adicionado por Carlos Alberto Baltazar em 9 abril 2010 às 2:30 — 1 Comentário

.....UM MIMO AO POETA {DAES SAVÓ..

Adicionado por Maria Santa Cabreira Ramires em 3 abril 2010 às 2:00 — Sem comentários

Arquivos mensais

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

1999

Mauro M. Santos

Graça Campos

Carlos Saraiva

José Santiago

Lilian Reinhardt Art

De Luna Freire

Visitantes

Liv Traffic Stats

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço