Blog de Antonio Carlos Gomes (184)

QUANDO NASCI

QUANDO NASCI!

Quando nasci

Há duas horas

A poesia já me esperava.

Irônica

Ela dizia

Que me enganava.

Não acreditei...

CRESCI!

Não quis acreditar:

- Vi o amor

Rodeado de artimanhas

Enganos e frustrações.

- Vi flores perfumadas…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 27 fevereiro 2013 às 14:29 — 5 Comentários

CEU E OCEANO

 

CEU E OCEANO

 

Os azuis se misturam no horizonte:

Não tenho passos, nem braços para vencer o mundo.

Um dia me integrarei!

Hoje:…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 24 janeiro 2013 às 19:00 — 2 Comentários

JEITO FEMININO

JEITO FEMININO

Se muda o mundo

Mudando formas

Novos contornos

Vem destacar

Como poeta

A velha forma

Venho louvar.

Quero mulher

De tom feminino

Com graça e beicinho

Fingindo chorar

Que se acomode nos braços

Flutue nos abraços

Que dou…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 15 janeiro 2013 às 17:51 — 3 Comentários

portal de ano novo

 

PORTAL DO NOVO ANO

Findava à tarde, chovera como sempre acontece nesta época do ano, o sol já ressurgira forte e vigoroso trazendo suas despedidas do dia. Estava eu meio cabisbaixo, um vazio penetrava meus pensamentos, que de sempre irrequietos haviam se acalmados e praticamente não existiam…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 13 janeiro 2013 às 1:18 — 1 Comentário

É NATAL

É NATAL

 

Na transição entre hoje e amanhã comemoramos o Natal Cristão.

O Menino na Manjedoura, cercado pelos animais do estabulo reforça a mensagem anual, para que todos Cristão ou Não Cristão, façam uma reflexão.

O nascimento é a imagem da vida. Não do começo, mas da continuação da vida no Planeta. O menino acomodado na maciez do capim, cercado por gente e animais, nos diz que a vida é a continuidade. É a ponte do ontem para o amanhã. É a harmonia da criação,…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 24 dezembro 2012 às 12:00 — Sem comentários

separação

SEPARAÇÃO

 

No real

Pega a mala

Vai embora

Apenas chora.

 

No pensamento

O tormento…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 27 novembro 2012 às 21:49 — 2 Comentários

poeta, não é tua a tua poesia

 

Poeta, não é tua a tua poesia

Poeta

Tua poesia não é tua.

Foi jogada para o mundo,

A ele pertence.

Poeta

Teu poema, escrito com sangue,

Na pena fina de teus sentimentos,

Ora do amor lancinante

Que te atormenta e enleva

Em sonhos de…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 18 novembro 2012 às 13:30 — 5 Comentários

VIBRAÇÕES E O PALHAÇO

VIBRAÇÕES E O PALHAÇO

A prateleira de João tem uma coleção de palhacinhos como enfeite. Cada vez que se sentia angustiado comprava um novo.

Dizia que ao se concentrar no palhaço, entender o mágico movimento do artista principal do circo conseguia guardar as vibrações negativas, e desfrutar das…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 17 novembro 2012 às 14:38 — Sem comentários

o fogão e o pecado

O FOGÃO E O PECADO.

 

 

O fogão desabou na cozinha, caíram os pés e a chapa de suporte também, foi a maresia que provocou ferrugem.  Era um fogão relativamente novo, uns sete anos de uso, estando o forno e os queimadores em perfeito estado.

A solução foi comprar outro novo e, descartar o velho que já não parava em pé. Um funcionário do edifício pediu para aproveitar as peças e foi concedido, obviamente.

Algumas horas depois este perguntou onde estava um…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 10 novembro 2012 às 23:46 — 4 Comentários

vagalume

VAGALUME

 

De despedidas se fazem

No fusco breve a passar

Luzes que ao fim divergem

Ou choro ou a dor de amar

 

Qual vagalume em…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 9 novembro 2012 às 15:58 — 3 Comentários

AMIZADE

AMIZADE

 

 

Pessoas nos marcam; amigos são cicatrizes que permanecem na ausência, tanto temporária como definitiva.

Conversamos com eles nas horas de angustia, nas noites mal dormidas; naquela hora em que acendemos a luz para espantar nossos fantasmas e, os vemos sentados em…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 5 novembro 2012 às 22:55 — 4 Comentários

MOVIMENTOS

MOVIMENTOS

 

Corro...

Na cortina da ilusão

Buscando um coração

Que meu sentido afronta.

 

Busco...…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 3 novembro 2012 às 15:46 — 3 Comentários

ESCRAVO

ESCRAVO

Escravo serve o senhor,…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 2 novembro 2012 às 23:29 — 1 Comentário

RETORNO

RETORNO

 

 

Nada é errado

O retorno

Sempre está marcado.

 …

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 25 outubro 2012 às 18:21 — 6 Comentários

A GARÇA E A NOITE

A GARÇA E A NOITE

 

Olhava a noite

Anoite me olhava

Parados

Sem movimentos

Jogávamos pôquer

Na mesa estática…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 9 outubro 2012 às 14:07 — 9 Comentários

DOIS DESEJOS

DOIS DESEJOS

 

Caminho entre dois desejos:

O desejo de ser

E o de pertencer:

Dependo dos dois para viver.

Neles me reconheço…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 22 setembro 2012 às 22:35 — Sem comentários

o cuidar e os presentes

O CUIDAR E OS PRESENTES

 

 

Quando iniciei meu trabalho como Médico, Dr. Simão de Andrade Ribeiro me cedeu uma sala, isto em 1975, na cidade de Marilia. Dr. Simão, já aposentado, além de Médico havia sido vice-prefeito pelo PTB e foi próximo a Getúlio Vargas e outros lideres do…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 21 setembro 2012 às 19:39 — Sem comentários

FALA E HOLISMO

FALA E HOLISMO

 

A fala

Quando se solta ao espaço

A ele pertence.

[O poeta apenas a captura.].

 

Ela tem a força…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 14 setembro 2012 às 15:28 — 3 Comentários

O TEMPO PAROU

O TEMPO PAROU

 

Mané abriu os olhos. Abriu por abrir. Não tinha nada em mente. Não pensou no que faria, ou no que já fizera. Nem se importou onde estava. Nada vibrava ou tinha afetos a seu redor.

Olhou para o lado.  Ofélia estava deitada. Nenhum pensamento passou pela sua…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 12 setembro 2012 às 15:30 — 4 Comentários

ESPECTROS

ESPECTROS

 

A noite era muito escura. Nunca se vira tanta escuridão. O mar estava bravo, as ondas batiam na praia e nos rochedos, emitiam sons contínuos. Junior deitou. Estava cansado. Pegara as melhores ondas, tomara seu uísque, tentava se acomodar.

Apagou a luz, ouvia o barulho e,…

Continuar

Adicionado por Antonio Carlos Gomes em 11 setembro 2012 às 13:29 — 5 Comentários

Membros

Poema ao acaso...

Pensamento do dia

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...