Blog de Gustavo Antonio Drummond (144)

CONSTATAÇÃO

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 22 maio 2017 às 22:03 — Sem comentários

MÃE DIVINIZADA

No âmago da amargura, procura-se...

No útero da luz, busca-se,

No ventre da alegria,

Nas pegadas da nostalgia.

Ah, o que bradam os condenados que sabem que vão morrer?

Por quem clamam os de coração de granito ou alma afável?

Chamam:

-Mãeeeeeeeee!

Que gritam as crianças com medo, dos pesadelos e monstros?…

Continuar

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 13 maio 2017 às 19:56 — 1 Comentário

ÍMPETO

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 13 maio 2017 às 11:32 — Sem comentários

HARMÔNICOS

Sinto-me presente

em sua alma elegante,

na dor que te atordoa,...

estou, em seu âmago, sente ...

em suas cordas

vocais, vibrante.

Não te amo á toa,

voce é minha ponte,

minha estrela guia,

o mais belo

horizonte,

te ofereço uma rosa rubra,

um modesto castelo,

roupa que te…

Continuar

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 9 maio 2017 às 19:41 — Sem comentários

BUSCA-SE UMA MÃE

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 8 maio 2017 às 11:30 — Sem comentários

PLANETA POESIA

  

      A poesia é de remota origem,...

em pergaminhos, grutas, solo,

varou temporais e eras,...

geografia áspera, virgem.

filha do eventual, sem dolo,

vagante, arte primitiva,

uma interminável…

Continuar

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 5 maio 2017 às 19:45 — Sem comentários

ALIANÇA

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 3 maio 2017 às 21:27 — 1 Comentário

Tudo e nada

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 2 maio 2017 às 22:00 — Sem comentários

VARIANTES

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 2 maio 2017 às 11:30 — 1 Comentário

VALSA DE NOSSA VIDA

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 20 abril 2017 às 19:40 — Sem comentários

SURREAL

SURREAL

Tange os sonhos á galope.

manipula o vento e seus golpes,

faz levitar os gorjeios

da águia, que renasce,

degusta o amor em goles,

faz girar senos e seios,

do nada surge dois cálices,

incita a viola para que sole

um canto que entorpece,

a música que alucina,

os toque dos sinos,

leveza das meninas,

destreza dos meninos,

a natureza virgem,

vestígios de imprevisível…

Continuar

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 19 abril 2017 às 11:26 — Sem comentários

SOBRE AS COISAS DO AMOR

 AS

SOBRE AS COISAS DO AMOR

O amor é imprevisível.

surpreendente, ágil.

como o rumo do vento,

vem em hora improvável,

suave e feroz; doce, atroz.

tão próximo e invisível.

favos de fel,

mel que escorre,

dolorido alento,

nascente, foz.

de repente nasce;

insano morre;

segue vivo

na saudade

inconcebível.…

Continuar

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 13 abril 2017 às 20:00 — Sem comentários

ME CHAME

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 9 abril 2017 às 10:31 — Sem comentários

BAILE DE MÁSCARAS

BAILE DE MÁSCARAS

Meteoros mutantes,

Mosteiros em movimento,

Moléculas misteriosas,

Morcegos militantes,

Melhores momentos,

Meandros da mucosa,

Melancias moldadas,

Miragens miraculosas,

Memórias na moldura,

Moscas melindradas,

Moléstias maduras,

Movimento das mucosas.

Mudanças milimétricas,

Música sem…

Continuar

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 8 abril 2017 às 11:39 — Sem comentários

INCERTEZAS

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 6 abril 2017 às 19:47 — 1 Comentário

LASCÍVIA

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 5 abril 2017 às 19:58 — 4 Comentários

BEIJA-FLOR

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 27 fevereiro 2017 às 22:14 — 1 Comentário

ENLEVO

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 26 fevereiro 2017 às 0:24 — Sem comentários

EU NÃO SABIA

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 25 fevereiro 2017 às 0:22 — 1 Comentário

AMIGO

Continuar

Adicionado por Gustavo Antonio Drummond em 12 fevereiro 2017 às 19:47 — 4 Comentários

Arquivos mensais

2017

2016

2015

2014

2013

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...