O céu trazia uma aparência vítriode um azul

que caminhava lentamente para o cinza.

Era uma tarde prateada,bizantina.

Uma débil claridade tocou a borda da

minha alma e um cheiro flor pairou no ar

dizendo que havias partido...

Chorei tua falta como chorei por tantos outros,

como chorei por aqueles que sequer abracei,

toquei o calor das mãos ou ouvi a voz.

De todos,sorvi a emoção contida nos versos

gravados nas pedras do chão,

nos degraus dos passos incertos.

No adeus desenhado nas janelas com o hálito

das bocas e a música das vozes flutuando no vazio.

Agora,resta a quietude,brancura aberta-

nostalgia  num ar claro,quieto e brando

Marcia Portella_Go

Arte_Anne Marie Zeberman

 

Exibições: 122

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Marcia Portella em 9 maio 2017 às 10:36

Dely,minha gratidão por sua presença...Abraço

Comentário de Neuza de Brito Carneiro em 8 maio 2017 às 21:29

Lindo poema, parabéns, Márcia Portella!

Comentário de Vera Regina Cazaubon em 7 maio 2017 às 23:01

Tuas notas musicais interior orquestraram uma sinfonia para dissertar sobre o amor. uma avalanche de sentimentos que despenca no vazio. Magníficoooooooooooooooooooooooooooooooo, beijokas com carinho

"No adeus desenhado nas janelas com o hálito

das bocas e a música das vozes flutuando no vazio."

 

 

Comentário de Vera Regina Cazaubon em 7 maio 2017 às 23:01

Tuas notas musicais interior orquestraram uma sinfonia para dissertar sobre o amor. uma avalanche de sentimentos que despenca no vazio. Magníficoooooooooooooooooooooooooooooooo, beijokas com carinho

"No adeus desenhado nas janelas com o hálito

das bocas e a música das vozes flutuando no vazio."

 

 

Comentário de Arlete Brasil Deretti Fernandes em 2 maio 2017 às 14:07

Querida Márcia.

Poema belíssimo que muito emociona em cada palavra, em cada descrição. Os sentimentos se revelam dentro do coração poético e em tudo o que acontece ao redor,

Parabéns, amiga poeta.

Beijos da Arlete.

 

Comentário de Maria-José Chantal F. Dias em 2 maio 2017 às 11:51

muito especial.......

sinto cada palavra e cada verso...

beijos de poesiaaaaa

Chantal Fournet

Comentário de Dulce de Souza Leao Barros em 2 maio 2017 às 6:22
Muita emoção e ternura nos seus versos. Fiquei encantada. Beijos.
Comentário de Marcia Cristina B. N. Varricchio em 1 maio 2017 às 19:34

Belíssimos!

O escrito, a melodia, a imagem!

Pura Poesia!

Um abraço.

Comentário de Lais Maria Muller Moreira em 29 abril 2017 às 22:42

Sem palavras....

Maravilhoso!!!!!

beijos

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 29 abril 2017 às 21:58

Querida Marcia, pungentes versos. Por excelência, belos!

Sem mais palavras, frente à expressão de tanto sentimento!

Beijossssssssssss

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...