Rouba-me!

Surge assim do nada e rouba-me!

Rouba-me meu amor e ainda diz estar tudo bem?

Ainda diz-se ser somente um empréstimo?

================================ 

Tira de mim o meu pão...

E diz-se estar faminta?

 ======================

Tira de mim minha água...

E diz-se estar sedenta?

================== 

Vem e rouba-me!

Rouba-me meu amor...

Ainda diz-se ser só por instantes?

============================ 

Tira de mim meu cobertor, meu aconchego...

E diz-se estar com frio?

 ==============================

Um disparate, isto é abuso.

Quer simplesmente um uso.

========================= 

Vai pegando, se apossando...

Sem questionar se há carimbo

Rouba-me meu tesouro!

         ========================

Atrevida, cangaceiro...!

Vem de longe, sem eira nem beira...

Vai chutando, empurrando,se apossando

Se usufrui daquilo que construí.

E rouba-me!

 =========================

Fui lá e tomei de volta.

É meu por direito!

Não empresto, não vendo e nem dou.

============================= 

Rezo minhas Ave Marias!

O vento socorre-me destas tempestades

Leva de volta este estrago passageiro

E lança-a onde tal merecer

========================= 

Vai-te pentelha atrevida!

Cure os seus devaneios junto ao quinto dos infernos

 ==============================

E o vento ...Rouba-te!

Exibições: 94

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 12 agosto 2017 às 12:02

Queridas amigas Margarida e Arlete

Obrigada pela linda presença

Bjs no coração

Comentário de Arlete Brasil Deretti Fernandes em 9 agosto 2017 às 22:23

Querida Selda.

Interessante poema. 

Parabéns pela criatividade.

beijos, Arlete.

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 9 agosto 2017 às 19:54

Surpreendente Selda!

Eu, maliciosa...

Adorei a música escolhida.

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 7 agosto 2017 às 14:33

Obrigada amigo poeta Críspulo

Meu carinhoso abraço

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 7 agosto 2017 às 14:32

Obrigada Dione pelo carinho

Um prazer suas visitas

Gde beijo

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 7 agosto 2017 às 14:32

Querida amiga Silvia

Obrigada pelo sempre carinho aos nossos trabalhos poéticos

Este poema é meu preferido rsrsrsr Fiz há alguns anos atrás e sempre tento posta-lo novamente 

Bjs no seu coração

Comentário de Críspulo Cortés Cortés em 7 agosto 2017 às 2:20

Comentário de Dione Fonseca de Barros em 6 agosto 2017 às 13:44

rrrrrrrrrssssss

Boa, é isto ai

 Falas por muitos que se calam.

Amei

Bjis . 

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 6 agosto 2017 às 11:03

 

 Um poema atrevido, para uma atrevida qualquer...

 Adorei!

 Beijosssssssssssssss

Comentário de SELDA MOREIRA KALIL em 5 agosto 2017 às 20:15

Obrigada meu amigo pelo carinho

Um prazer e honra suas visitas

Meu abraço

Membros

Aniversários

Aniversários de Hoje

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...