Teus afagos
 
Tu és flor, que nasceu para me amar
E no tempo Deus, uniu a mim de coração
Paixão que se tornou pra lua, a decoração
O enfeito que ela jamais quis de cena tirar
 
Porque o real romantismo não tira férias
Oferta buquês, de flores declama poemas
Impedindo que os corações fiquem na miséria
Reféns da solidão, decepcionante dilema
 
Sou poeta, descrevo a paixão que fascina
De dia, de noite, também nas madrugadas
Inspirações me vêem como enxurradas
 
Deixando-me como herança os arco-íris
Teus incríveis, afagos minha Deusa íris
O amor, que chega arrebata e germina
 
Valdomiro Da Costa 17/08/2017

Exibições: 39

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de LUIZ GONZAGA BEZERRA em 28 agosto 2017 às 8:55

O amor do poeta é eterno e assim será em outros mundos onde a poesia permanece eternamente.

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 27 agosto 2017 às 22:49

Germina a paixão em teus versos.

Parabéns.

Comentário de Antonio Cícero da Silva em 27 agosto 2017 às 19:04

Paixão e amor... Abraços...

Comentário de Sílvia Mota em 27 agosto 2017 às 11:10

Poema apaixonado...

Parabéns e Felicidades!

Beijosssssssssss

Mauro M. Santos

Graça Campos

Carlos Saraiva

José Santiago

Lilian Reinhardt Art

De Luna Freire

Visitantes

Liv Traffic Stats

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço