Chuva

A dias que chove

no meu coração, que explode!

Quase levado a termo, pois no

ermo bosque há um sepultamento

de malas, de falas, de tempo.

Mas acho que a chuva não para,

chuva que lava calçadas e caras

e lava os de baixo, os de cima

e lava até as lágrimas da menina.

Que posso eu mais querer com este

gosto de terra na boca, pobre

terra oca, corroída por dentro

os vermes comeram todo o seu miolo só

deixando uma casca fina e seca

A dias que chove

no meu coração, que se fode!

Talvez o único consolo e ter

neste ano eleição.

Pobre é o meu coração!

Alexandre

Exibições: 20

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de María Cristina em 5 janeiro 2018 às 20:28
Comentário de Elías Antonio Almada em 5 janeiro 2018 às 12:31

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 5 janeiro 2018 às 11:51

Estamos todos com o coração afogado.

Mauro M. Santos

Graça Campos

Carlos Saraiva

José Santiago

Lilian Reinhardt Art

De Luna Freire

Visitantes

Liv Traffic Stats

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço