Metamorfose

 

 

O velhinho, naquela *hipocondria

Passava a noite, e surgia o dia

Naquela melancolia e depressão

Que tomara conta de seu coração

Já não tinha a lucidez de outrora,

E nem mesmo a avassaladora

Clareza da perceptibilidade,

E tudo, em razão de tanta idade,

 

E foi nessa amargura infinda

Quando os dias transcorriam, ainda

Lentamente que o velhinho chorou !...

 

P’la saudade dos tempos que passou   

Longe da amada, do amor que acreditou

Por mais qu’inata, dela inda prescindia.

 

*tristeza profunda

São Paulo, 04/12/2017 (data da criação) 
Armando A. C. Garcia 

Visite meus blogs: 
http://brisadapoesia.blogspot.com ;
http://preludiodesonetos.blogspot.com ;
http://criancaspoesias.blogspot.com
 

 

Direitos autorais registrados 
Mantenha a autoria do poema
 

Exibições: 21

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 12 janeiro 2018 às 14:12

Tristes versos a compor a beleza de sua poesia.

Parabéns.

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 11 janeiro 2018 às 12:37

Muito belo, Poeta Armando.

Comentário de Elías Antonio Almada em 11 janeiro 2018 às 12:02

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Margarida*

 *Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Liv Traffic Stats

Mídias Sociais

View Sílvia Mota ***'s profile on LinkedIn

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço