TINTO, DOCE

Enganando o tempo severo,
pisando em roxas uvas,
pés absorvendo aroma, sabor,
pó alimentando o ar cinzento.

Sigo remoendo-me, te espero,
no interior da poluída chuva,
Venha recheada de tinto amor.
Vinho de nobre safra, nosso alimento.

(gustavo drummond)

Exibições: 34

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 11 fevereiro 2018 às 21:26

Belíssimo.

Comentário de Elías Antonio Almada em 11 fevereiro 2018 às 3:55

Comentário de Elisiário Luiz em 10 fevereiro 2018 às 20:24

Caro amigo quão ideal, repleto de paz e sossegado sustento,... parabéns...Fique Bem!

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço