Luz

 

Luz. Ela ilumina a noite escura

E mostra a luz.  As marcas do caminho.

Noite de sombras. Silenciosa e pura.

Quem anda nesta noite.  Não está sozinho

No meio de um encruzilhar continuo

 

As densas nuvens descem na noite. Devagar

É um grande nevoeiro ofuscando a claridade

Que desavisada (a claridade) parece sussurrar

Esta chegando a madrugada na cidade

E a noite já passa da sua metade

 

Não há luz na noite! A não ser que eu minta.

A escuridão sempre fez parte do meu ser,

Toda a emoção em meu coração foi extinta

Há brumas em todo meu anoitecer

E meus dias foram todos decepados por você

Alexandre Montalvan

Exibições: 46

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Elías Antonio Almada em 13 março 2018 às 10:11
Excelente
Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 13 março 2018 às 10:01

O seu poema se chama luz e você o encerra dizendo que há brumas em todo seu anoitecer.

O escuro é ausência de luz e só através dele a luz pode brilhar. Muito interessante.

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço