Muitas vezes as intenções são as melhores. Os propósitos. Os sonhos.

Por que às vezes perdem-se com o tempo, com o caminhar dos dias ?

Terá razão o dito popular de que “de boas intenções o inferno está cheio” ?...

Será que não foi suficiente o querer, o esforço ? O que mais era preciso ?

Haverá resposta ?

Um dia os olhares se cruzaram, falaram um com o outro, a língua da alma. Desde então sempre havia primavera, cheiravam à flor, aninhavam-se um no outro. Desde então percorriam juntos as trilhas da vida, buscavam-se, alimentavam-se de amor …

O passado tornara-se distante, esquecido, sem importância. Para aqueles olhos apenas o presente fazia sentido, porque o sentido da vida era estarem juntos.

Seus desejos eram a argamassa que selava um só destino. Não importavam os ventos, as tormentas. As intempéries da vida os desafiavam - e os tornavam mais fortes ! Aqueles olhares cruzados sabiam ser o esteio um do outro.

Mas então por quê ?!...

De repente a primavera  foi virando outono, esmaecendo, até  ser apenas inverno …

N’alguma encruzilhada tomaram caminhos diversos. As ruas ficaram vazias e solitárias. Nada mais os aquecia. Apenas seguiam - sós …

Haveria, algum dia, novo encontro ?...  Aqueles olhos, que antes sorriam, calaram-se. Eles não sabiam.

Eles apenas seguiam ...

                                                                                                   Waulena

Exibições: 42

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:33

Moniquita, minha eterna parceira  ...

Nada é eterno, a não ser a saudade, talvez ... Mas os ciclos renovam ! Mesmo ao mais rigoroso dos invernos segue a primavera ... Então ...

Obrigada Amiga !!!!

Bjsss Wau

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:31

Querida Lucia Guedes, precisamos entender dos ciclos , não é ?...

Obrigada pelo teu carinho !!

Bjsss Wau

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:29

Obrigada , Amigo Elisiário !

Fico feliz com tuas visitas.

Bjsss Wau 

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:29

Muito obrigada Margarida !

Acho que o suspense está no fundo daqueles olhos que não reencontram o caminho comum ...

Bjsss Wau

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:27

Obrigada Neuza de Brito, pela tua visita e comentário !

Bjsss Wau

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:27

Amigo Antonio Domingos, como é bom vê-lo por aqui !!

Obrigada pelo carinho que sempre demonstras pelos meus pequenos textos.

Vamos torcer por uma primavera ? ...  rsrs

Bjsss Wau

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:26

Querida Chantal, tu me emocionas como poucos ...

Tomara, não é mesmo, que advenha uma tarde de primavera ...  rsrs

Obrigada Amiga muito querida !!!

Bjss Wau

Comentário de Waulena d'Oliveira Silva em 18 junho 2018 às 15:24

Obrigada Poeta Elias !

Bjss Wau

Comentário de Mônica do S Nunes Pamplona em 8 junho 2018 às 17:46

O que dizer das reflexões que me deixaram tuas linhas?

Até mesmo os sentimentos fraquejam. 

Quando pensa que está tudo bem, de repente o 'tudo' acaba, ficando somente as recordações.

Encantada com tua leitura.

Bjss, no coração.

Comentário de LUCIA GUEDES (Lufague) em 7 junho 2018 às 23:23

Belíssima inspiração sobre o poder do amor e a consciência que tudo tem começo , meio e fim e que também existem os recomeços, assim como as estações que vão e vêm gradativamente. Parabéns! 

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço